Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

TEXTO DO BLOG

AFOGADOS EM DELÍRIOS
por Luiz Soares das Terras Nordestinas*

É tempo urgente de introspeção. Com o desenrolar irreversível dos acontecimentos pontuais de origem climática e/ou sísmicos, provocando uma remodelagem nos paradigmas existenciais do planeta, outros eminentemente de caráter sensitivo e intuitivo, devemos sim, nos conscientizarmos e nos voltarmos; inserir-nos, cada vez mais para dentro da nossa imaculada essência, como seres divinos.
É claro que devemos construir cada um, os seus novos parâmetros. É claro a premissa de que estamos passando, atravessando um período de transição, nunca registrado em qualquer urbe, da conjuntura crística universal. Não é fácil sairmos do aconchego de uma caverna, na idade da pedra, para nos enquadrarmos numa forma de vida, onde o que pensamos, desejamos e agirmos seja possível a concretização ou realização, no âmbito da materialidade cósmica.
Particularmente, confesso que tenho procurado, através da meditação, pedindo encarecidamente o apoio e a ajuda dos nossos abnegados irmãos, mais conhecido como Anjos de Luz, uma razão para que possa trilhar com galhardia, todos os passos firmes e determinados, que se fazem necessários, para o momento presente. De pronto chegam os ditames da nossa realidade: Use a Luz da verdade e o do Amor Incondicional, multiplique a convicção de que ES um espirito criador e criativo.
De uma plana geral, seria ou é mais fácil imaginarmos a realidade que se aproxima, como sendo um estágio de pleno apogeu. Muitas vezes nos sentimos afogados em delírios inadmissíveis, segundo a influência que ainda permeia a nossa constância, sob os auspícios da terceira dimensão. Pensamos no amanhã, com os pés e a mente amarrada, presa e subjugada, na lei do antagonismo. Neste meio termo, se exige muito mais desprendimento, muito mais humildade e coerência para com os nossos desejos ou imaginações!
A grandiosidade da faxina, a exemplo do planeta, se opera de dentro para fora. É preciso muito desprendimento, como ação de nos renovar, eliminarmos velhos conceitos, ditames astrais, cacoetes e verbetes que nos foram de grande valia, em tempos findos. Melhor será nos julgarmos e acreditarmos em algo novo, com mais capacidade de nos ajustarmos, estarmos íntimos e nos fazermos constantes, do nosso EU Superior.
Já que estamos por nossa conta em caráter irreversível, devemos encontrar urgentemente um ponto ou um porto seguro. Neste caso, sem sombra de dúvidas, devemos nos agarrar ao nosso sagrado EU SUPERIOR, com a assistência solicitada aos inúmeros amados amigos das dimensões superiores. Nesta balada renovadora, não mais teremos como critério de avaliação, com relação ao nosso discernimento, parâmetros alheios a nossa própria e inequívoca realidade interior. Somos sim, senhores absolutos das nossas decisões.
Autenticidade e genuinidade serão os balizadores do nosso caminhar, nestes momentos únicos de transição e ascensão planetária. Sem dúvidas, iremos deixar registrado, como uma assinatura espiritual, o que somos para a eternidade. Passado ficou e o futuro será sempre construído, em cada segundo do nosso comportamento. Esse desafio não mais será abalado ou corrigido, não mais teremos condições ou oportunidades para modificarmos o que conscientemente imaginamos e declaramos ser o melhor na nossa individualidade, com reflexos positivos, com relação ao coletivo.
O momento é de pura introspecção, de nos deixarmos desnudar e mostrarmos o quanto somos capazes de amar e sermos amados!

(*) Luiz Soares é Engenheiro Agrônomo, produtor de frutas irrigadas, no município de Baraúna, Rio Grande do Norte, e Professor aposentado da Universidade Federal Rural do Semiárido-UFERSA.

Nenhum comentário: