Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

segunda-feira, 5 de junho de 2017

RAPIDINHAS DO BLOG...

INDÚSTRIA REGISTRA AUMENTO DE PRODUÇÃO EM ABRIL, MAS EM 12 MESES QUEDA É DE 3,6%
A produção industrial subiu 0,60% em abril ante março, na série com ajuste sazonal, divulgou nesta sexta-feira, 02, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em relação a abril de 2016, a produção caiu 4,5%, queda mais intensa desde outubro de 2016, quando o recuo foi de 7,5%. No ano, a indústria teve queda de 0,7%. No acumulado em 12 meses, a produção da indústria acumulou recuo de 3,6%. O resultado veio acima da mediana (0%) mas dentro das expectativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde uma queda de 1,20% a uma expansão de 1,30%.  O avanço de 0,6% da atividade industrial na passagem de março para abril de 2017 teve predomínio de resultados positivos, com alta em 13 dos 24 ramos pesquisados. Entre os setores, as principais influências positivas foram registradas por produtos farmoquímicos e farmacêuticos (19,8%), veículos automotores, reboques e carrocerias (3,4%), coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (2,0%) e máquinas e equipamentos (4,9%). Essas atividades apontaram taxas negativas em março último: -23,4%, -6,9%, -3,4% e -3,3%, respectivamente. Outras contribuições positivas importantes sobre o total da indústria vieram de perfumaria, sabões, produtos de limpeza e de higiene pessoal (2,4%), de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (6,7%), de móveis (8,8%) e de produtos diversos (7,6%). Por outro lado, entre os onze ramos que reduziram a produção nesse mês, o desempenho de maior relevância para a média global foi assinalado por indústrias extrativas (-1,4%), que completou o terceiro mês seguido de queda e acumulou nesse período perda de 2,9%.
BENS DE CAPITAL
A produção da indústria de bens de capital avançou 1,5% em abril ante março. Na comparação com abril de 2016, o indicador mostrou queda de 5,5%. No ano, houve crescimento de 1,9% na produção de bens de capital. No acumulado em 12 meses, a taxa ficou negativa em 1,2%. Bens de consumo. Em relação aos bens de consumo, a pesquisa registrou queda de 0,4% na passagem de março para abril. Na comparação com abril de 2016, houve retração de 7,9%. No ano, a produção de bens de consumo caiu 0,8%. No acumulado em 12 meses, a queda é de 3,7%. Na categoria de bens de consumo duráveis, o mês de abril foi de avanço de 1,9% ante março e de 0,6% comparado a abril de 2016. Entre os semiduráveis e os não duráveis, houve recuo na produção de 0,8% em abril ante março, e queda de 9,8% na comparação com abril do ano passado.
BENS INTERMEDIÁRIOS
Para os bens intermediários, o IBGE informou que o indicador teve avanço de 2,1% em abril ante março. Em relação a abril do ano passado, no entanto, foi registrada queda de 3%. No ano, os bens intermediários acumularam queda de 1%%. Em 12 meses, houve redução de 3,8% na produção.

EUA VÃO USAR CENTRO DE ALCÂNTARA PARA LANÇAR FOGUETES, DIZ MINISTRO
O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou que o governo brasileiro vai permitir inicialmente aos Estados Unidos o uso do Centro de Alcântara, no Maranhão, para o lançamento de foguetes ao espaço. Além dos Estados Unidos, o ministro disse que Israel, Rússia e França já manifestaram interesse em usar a estrutura do equipamento. O Centro de Lançamento de Alcântara, conforme lembrou o ministro durante o Fórum de Investimentos Brasil 2017, está paralisado desde 2001, e o governo do presidente Michel Temer (PMDB) prepara um projeto de lei que autoriza o País a permitir o uso do equipamento a governos estrangeiros. Uma versão do projeto já havia sido apresentada em 2001, mas foi retirada do Congresso para ganhar um novo texto. Durante discurso no evento, o ministro não citou um prazo para envio do projeto, mas disse que "muito em breve" o centro vai estar em plenas condições de funcionamento. Jungmann falou ainda que será reformulada a governança da estrutura, que, segundo ele, era um dos "temas mais frágeis" da estrutura para o governo. Um Conselho Nacional de Espaço também será criado, explicou o ministro, para servir como um comitê executivo que dará suporte à administração do centro de lançamentos. "O País investiu bilhões na construção do equipamento de um centro que aí se encontra plenamente consolidado, com plenas condições de funcionamento e que esperamos (reativá-lo) muito em breve", disse Jungmann. O ministro destacou que o interesse dos outros países em usar a estrutura brasileira para lançar foguetes no espaço se dá pelo fato de o centro estar estrategicamente localizado, já que fica na Linha do Equador e tem uma proximidade maior da superfície terrestre com o espaço. 

INTEL LANÇA NOVA GERAÇÃO DE PROCESSADORES
A Intel anunciou uma nova linha  de processadores de alta performance. Com o nome de Core X, a nova família de chips foi apresentada durante a Computex, feira de computadores em Taiwan, e chama a atenção pelas versões mais potentes dos processadores Core i5 e i7 e pelo Core i9, primeiro para consumidor final composto por 18 núcleos de processamento, aumentando a produtividade dos dispositivos para máquinas que contam com mais exigência de performance. De acordo com a empresa, os novos processadores da família Core X são voltados para gamers e para pessoas com máquinas com alta exigência de performance, como a criação de vídeos em alta definição e realidade virtual. Esta é a oitava geração de chips da empresa, que busca ampliar a gama de usuários atendidos por seus processadores. Os chips são compatíveis com até quatro placas de vídeo, podendo operar com um máximo de quatro monitores simultâneos, garantindo que os gamers possam jogar em alta qualidade de imagem ao mesmo tempo em que fazem streaming de suas partidas.  Já os editores de vídeos podem otimizar os processos, fazendo mais de uma atividade por vez. A oitava família de processadores da Intel ainda não tem data para chegar às lojas e aos aparelhos compatíveis, mas o preço já foi anunciado: o chip com 18 processadores, chamado de Core i9-7980XE, será vendido por US$ 2 mil (cerca de R$ 6,5 mil). Dentre as fabricantes que deverão receber o potente dispositivo, estão a Acer, Dell, Huawei, HP, Lenovo e MSI.
CONCORRENTES
A ARM, que desenvolve tecnologia para criação de chips e que é rival da Intel neste aspecto, anunciou a sua nova linha de processadores para dispositivo de realidade virtual. Segundo a empresa, o Cortex-A75, principal dentre as novidades, tem um poder de processamento "similar a um laptop" e com velocidade até 50% maior que os componentes anteriores da companhia. Os chips da empresa, porém, ainda não tem data para lançamento oficial, mas ainda devem demorar para chegar aos smartphones. Segundo a ARM, a previsão é que comecem a surgir apenas em 2018.

Nenhum comentário: