Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

sexta-feira, 12 de maio de 2017

ARTE NO BLOG

A ARTE DE JOHN MARTIN – PARTE 02
John Martin nasceu em 19 de julho de 1789 em Haydon Bridge, Northumberland, Inglaterra, e morreu na "Isle of Man" em 1854, tendo sido sepultado no cemitério de Kirk Braddon. Martin foi pintor e gravador famoso por suas cenas melodramáticas de episódios cataclísmicos, repletas de figuras diminutas em espaçosos ambientes. Martin atraiu a imaginação pública com pinturas espetaculares tais como "Joshua Commanding the Sun to Stand Still" (United Grand Lodge of Great Britain, London, 1816), o trabalho que o tornou famoso, e em 1821 Laurence a ele se refere como o mais popular artista da época. Martin ganhou a vida principalmente pela venda de gravuras dos seus quadros em lugar de vender as pinturas originais. Tornou-se famoso na França bem como na Inglaterra. tendo recebido o título de "Cavalheiro" outorgado por Leopold I, da Bélgica (1822) e sua influência alcançou artistas americanos como Cole. Apesar disso, enquanto agradava uma audiência vasta e era considerado como um dos maiores gênios já vistos, Martin era ultrajado por Ruskin e outros críticos, que consideravam seu trabalho como um sensacionalismo vulgar. Poucos artistas, na verdade, estiveram sujeitos a tal extremos de apreciação, e a sua fama despencou a um grau tão surpreendente depois de sua morte, que suas pinturas - tão famosas e prestigiadas na década de 1930 - eram vendidas por 2 libras. Na década de 1970 sua reputação foi restaurada. Martin fez gravuras a "mezzotinta" não somente como uma forma de reproduzir suas pinturas, mas também como composições originais. Particularmente dignas de nota são suas "Illustrations to the Bible" e John Milton's "Paradise Lost", mostrando que, apesar de suas falhas como artista, especialmente na composição de figuras humanas, ele tinha também uma vivacidade e grandiloquência de imaginação não desprezível nesse tema. Seus trabalhos acham-se expostos principalmente na "Tate Gallery, London", e na "Laing Art Gallery, Newcastle upon Tyne". 

Fonte: Saber Cultural

Nenhum comentário: