Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

RAPIDINHAS DO BLOG...

ITAÚ PASSA BANCO DO BRASIL E SE TORNA MAIOR BANCO DO PAÍS
O Itaú Unibanco passou a ser o maior banco brasileiro por ativos no fim de 2016, superando o Banco do Brasil, segundo dados dos balanços publicados pelas instituições financeiras. Na semana passada o BB anunciou ter fechado o ano passado com R$ 1,401 trilhão em ativos, queda ante os R$ 1,448 trilhão do fim de setembro. Já os ativos do Itaú Unibanco subiram de R$ 1,399 trilhão para R$ 1,426 trilhão no período. O Banco do Brasil anunciou ter registrado lucro líquido de R$ 8,034 bilhões em 2016, 44,2% abaixo dos R$ 14,4 bilhões obtidos no ano anterior. Já o Itaú informou na semana passada que o lucro do banco em 2016 somou R$ 21,6 bilhões, 7% abaixo dos R$ 23,3 bilhões registrados em 2015. Segundo dados da Economatica, o Itaú também é o banco com o maior patrimônio líquido, que em dezembro alcançou R$ 115,59 bilhões, seguido por Bradesco (R$ 100,4 bilhões) e BB (R$ 87,2 bilhões). Em termos de valor de mercado na Bovespa, o Itaú também lidera, avaliado em R$ 252 bilhões, seguido pelo Bradesco (R$ 179,7 bilhões), Santander (R$ 132,3 bilhões) e BB (R$ 88,7 bilhões). Em número de agências, o Banco do Brasil ainda supera o Itaú. Segundo dados do Banco Central, a rede do BB reunia 5.440 agências em dezembro de 2016, enquanto que a do Itaú tinha 3.464.

NAVE ESPECIAL DA NASA DETECTA MATERIAL ORGÂNICO NO PLANETA ANÃO CERES
A nave Dawn, da Nasa, agência espacial dos Estados Unidos, observou a superfície do planeta anão Ceres e encontrou compostos orgânicos, que são base para a origem da vida. Os resultados foram publicados na revista "Science". De acordo com a publicação, os compostos eram constituídos com base de carbono. Os cientistas avaliaram a geologia e concluíram que os orgânicos podem ser nativos do planeta. Uma análise inicial dos pesquisadores sugere que o interior de Ceres é a fonte desses materiais. Ou seja: os elementos não chegaram por meio de impactos de asteroides ou cometas. "A descoberta local de uma concentração alta de compostos orgânicos é intrigante, com amplas implicações para a comunidade astrobiólogica", disse Simone Marchi, pesquisadora do Instituto de Pesquisa de Southwest e uma das autoras do artigo. "Ceres tem evidências de minerais hidratados contendo amônia, gelo, carbonatos, sais e, agora, materiais orgânicos", completou. O mapeamento da nave Dawn apontou uma alta concentração do material próximo à cratera Ernuet, com 50 km de diâmetro e localizada no hemisfério norte do planeta. Outras regiões com compostos orgânicos foram encontrados na borda da cratera, e em uma outra cavidade mais degradada. As pesquisas espaciais apontam que Ceres se originou há 4,5 bilhões de anos antes da criação do Sistema Solar. Por isso, estudar os recém descobertos compostos orgânicos do planeta podem ajudar a explicar a origem das matérias da vida, de acordo com a Nasa.

GOOGLE LANÇA NO BRASIL INICIATIVA CONTRA NOTÍCIAS FALSAS
Google deu mais um passo no combate às notícias falsas com o lançamento no Brasil nesta semana de um selo de checagem de fatos. O recurso aparece em artigos na aba de notícias do Google, no app Google Notícias, e ajuda a identificar reportagens com informações verdadeiras. A novidade, chamada no exterior de "fact check", foi anunciada em outubro de 2016 e desde então estava disponível apenas nos Estados Unidos e no Reino Unido. Agora, chega à América Latina com parcerias no Brasil, México e Argentina.  Por aqui, o Google se aliou às páginas Agência Lupa, Aos Fatos e Agência Pública, já conhecidas por checar se as informações que circulam na mídia são verdadeiras. Os artigos desses sites irão aparecer nas buscas do Google com o selo "verificação de fatos". "A checagem de fatos se firmou como uma área importante do jornalismo nos últimos anos dentro de veículos tradicionais e startups de mídia, que trabalham para averiguar a veracidade de informações sobre mitos urbanos, política, saúde e até a própria imprensa", diz Richard Gringas, vice-presidente da divisão de notícias do Google, em nota.  

Nenhum comentário: