Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

RAPIDINHAS DO BLOG...

BNDES ELEVA CRÉDITO A ENERGIA SOLAR E REDUZ APOIO A HIDRELÉTRICAS E TÉRMICAS
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou na segunda-feira (3) novas condições para financiamento a projetos de energia que incluem melhores condições para usinas solares e a redução do apoio a grandes hidrelétricas e termelétricas. O banco já sinalizava que precisaria mudar sua política em meio aos esforços por um ajuste fiscal anunciados pelo governo brasileiro, o que gerou forte expectativa entre os investidores devido aos vultosos empréstimos concedidos pela instituição ao setor elétrico nos últimos anos. Representantes da instituição de fomento disseram a jornalistas em teleconferência, nesta segunda-feira, que as mudanças visam privilegiar com empréstimos mais atrativos, atrelados à Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), setores vistos como de maior retorno social e ambiental, além de atrair o setor privado para financiar os demais empreendimentos. O BNDES também anunciou para os investidores em energia o fim da concessão de empréstimos-ponte, que costumam ser utilizados pelas empresas para bancar aportes ou obras enquanto o banco analisa a concessão do financiamento de longo prazo a um projeto. A diretora de Infraestrutura do BNDES, Marilene Ramos, disse que o objetivo da instituição é compensar o fim dos empréstimos-ponte com uma maior agilidade na aprovação das operações. Pela nova política, as áreas com maior participação do BNDES serão as de energia solar, eficiência energética e iluminação pública, nos quais o banco participará com até 80% dos itens financiáveis e com todos os recursos a TJPL, atualmente em 7,5% ao ano.  Antes, o teto para empréstimos ao setor solar era de 70% dos itens financiáveis. Já as grandes hidrelétricas terão reduzida a fatia de empréstimos pelo banco de fomento a até 50% dos itens financiáveis, ante 70% anteriormente. A mesma redução, de 70% para 50%, será adotada para as termelétricas a gás natural em ciclo combinado, enquanto térmicas poluentes, a carvão e óleo, não contarão mais com recursos da instituição de fomento. "O banco está tomando essa decisão... para buscar preservar sua participação para as fontes de energia limpas", afirmou a superintendente de Energia do BNDES, Carla Primavera. Nessa linha, usinas eólicas, à biomassa, pequenas hidrelétricas e projetos de cogeração terão mantido o atual nível de participação de até 70% do banco, com recursos integralmente em TJLP.
TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO
As regras para apoio aos setores de transmissão e distribuição de eletricidade também mudaram, com previsão de uma participação menor do BNDES nos financiamentos, que tentarão atrair recursos do setor privado. Em transmissão, o BNDES financiará até 80 por cento dos itens elegíveis, mas a custo de mercado, e não a TJLP. O prazo de amortização será de 20 anos, ante 14 anteriormente. Já na distribuição, o banco apoiará investimentos com até 50 por cento dos itens financiáveis, que poderão receber até 50% dos recursos a TJLP, com o restante a custo de mercado. Antes, até 70% podiam ser financiados pela taxa de longo prazo. As novas condições para transmissão já são válidas para o leilão de concessão para construção e operação de novas linhas que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) promove em 28 de outubro. (por Roberto Samora)

AÇÚCAR MELHORA HUMOR DE ABELHAS E GERA ESTADO DE EMOÇÃO POSITIVA, INDICA ESTUDO
Um alimento açucarado pode gerar uma leve agitação nas abelhas e melhorar seu humor, tornando-as até mesmo otimistas, de acordo com uma pesquisa publicada na quinta-feira na revista Science, que sugere que os polinizadores também têm sentimentos. Considerando que as emoções são subjetivas e difíceis de medir - particularmente nos animais - pesquisadores analisaram como o comportamento das abelhas mudou depois que elas tomaram um gole de uma solução de sacarose. Eles descobriram que as abelhas aprenderam a voar mais rápido para um recipiente com uma bebida açucarada dentro do que para um que continha apenas água."As abelhas que receberam uma recompensa de 60% de sacarose para induzir um estado afetivo positivo voaram mais rápido para o cilindro do que as abelhas não recompensadas", disse o estudo, liderado por Clint Perry na Universidade de Londres.
OTIMISMO
Os pesquisadores comparam o comportamento dos insetos à "forma como as pessoas felizes são mais propensas a fazer julgamentos otimistas sobre situações ambíguas". As abelhas agitadas pelo açúcar pareceram também se recuperar mais rapidamente de um susto - quando foram brevemente capturadas e soltas, como se tivessem sido atacadas por uma aranha predadora - do que as abelhas que não tinham recebido a recompensa doce. "Alimentos doces podem aumentar as emoções positivas e melhorar o humor em adultos humanos, e reduzir o choro e as caretas de recém-nascidos em resposta a estímulos aversivos", disse o estudo. "Se beber uma solução de sacarose causou um estado semelhante a uma emoção positiva em abelhas, previmos que, após o consumo, a reação aversiva das abelhas ao 'predador' seria atenuada", acrescentou. "De fato, as abelhas que consumiram uma solução de sacarose antes do 'ataque' levaram menos tempo para reiniciar a procura de alimento", concluiu. Os pesquisadores disseram que o estudo apoia "a noção de que invertebrados têm estados que se ajustam aos critérios que definem as emoções". Mas ainda há muito a ser entendido sobre o que as abelhas podem estar sentindo, e como isso é importante para a sua sobrevivência. "Se os estados parecidos com emoções em insetos são acompanhados por sentimentos emocionais ou não permanece sem resposta", disse um comentário relacionado ao estudo de Michael Mendl e Elizabeth Paul. "Mas a possibilidade da consciência em insetos passa agora a ser tema de novas teorias excitantes e vigorosos debates", concluiu.

WINDOWS 7 E 8.1 DEIXARÃO DE SER VENDIDOS EM COMPUTADORES APÓS 31 DE OUTUBRO
Se você ainda usa Windows 7 e 8.1, anote essa data: 31 de outubro de 2016. Será o último dia em que a Microsoft vai permitir a venda de novos computadores com algum desses sistemas operacionais. Em sua página "Ficha informativa do ciclo de vida do Windows", a empresa determinou a data como o fim das vendas para os Windows 7 na versão Professional e para o Windows 8.1. Isso significa que após o dia 31, todos os computadores e notebooks que operam com Windows virão com a versão mais recente do sistema, Windows 10, lançada no ano passado. O pacote de discos de instalação do Windows 7 já não era vendido desde 2013. Já o Windows 8.1 saiu das prateleiras no ano passado. Mas ambos ainda contarão com pacotes de atualizações, que são enviados pela internet pela própria Microsoft. O Windows 7 Professional receberá esses pacotes até 14 de janeiro de 2020, e o Windows 8.1, até 10 de janeiro de 2023. A transição entre versões do Windows costuma ser recheada de polêmicas. Lançado no final de 2012, a versão 8 recebeu muitas críticas e isso pode ter levado à longa vida da sua versão anterior. O Windows 7 foi lançado em 2009 e no final de outubro, terá completado sete anos de "carreira". Já o Windows 8 durou quatro anos (2012 a 2016), e o 8.1, três (de 2013 a 2016). No ano passado, o Windows 10 foi lançado com boa recepção pelo público, mas a Microsoft incomodou muita gente por conta da sua política agressiva para convencer os usuários do mundo todo a trocar de sistema gratuitamente. Por conta dessa tática, a Microsoft esperava chegar a 1 bilhão de dispositivos com Windows 10 até 2018. Mas o último balanço, divulgado em setembro, falava em 400 milhões de dispositivos e por isso a meta foi revisada e talvez seja empurrada para 2019 ou 2020. A Microsoft lançou em agosto uma nova atualização de seu sistema operacional, novamente com download gratuito para quem tem Windows 10 original no computador. Veja aqui alguns dos recursos. 

Nenhum comentário: