Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

RAPIDINHAS DO BLOG...

REFORMA DEVE IGUALAR A PREVIDÊNCIA DOS SETORES PÚBLICO E PRIVADO, DIZ TEMER
O presidente Michel Temer disse que a reforma da Previdência "deverá atingir a todos" e que "não haverá mais distinção" entre trabalhadores da iniciativa privada e servidores públicos. A mudança já era esperada, segundo informações divulgadas por fontes, mas não havia sido confirmada oficialmente ainda. "Não haverá mais distinção entre a Previdência geral, dos trabalhadores, e a Previdência pública, dos trabalhadores do serviço público. Nós temos que igualar isso, e esse é um ponto que já está definido", disse. A afirmação foi feita em entrevista à rádio CBN, após a Câmara aprovar, em 1º turno, a medida que congela os gastos públicos por 20 anos. A medida é tida pelo governo como crucial para o reequilíbrio das contas públicas e deve ser a marca da gestão Temer. Segundo um interlocutor do Planalto, o presidente quer que a medida seja o verdadeiro legado de seu governo ao País, a exemplo do que foi o Plano Real do governo Fernando Henrique Cardoso. Na entrevista, o presidente disse reconhecer que a aprovação da reforma da Previdência deve ser "mais polemizada, mais discutida" que a aprovação do limite para os gastos públicos. Temer disse que recebeu "um primeiro esboço da reforma da Previdência" e que, após sua viagem à Índia e ao Japão, deve "examinar isso" e "verificar os pontos que eventualmente possam ser questionados ou melhorados". Em seguida, disse o presidente, pretende fazer reuniões com centrais sindicais, setores empresariais e as lideranças da Câmara e do Senado.
POLÍTICOS E MILITARES
Perguntado se a reforma inclui a eliminação das aposentadorias especiais dos políticos, respondeu: "Nós não discutimos sobre isso ainda, mas ela será geral, ela deverá atingir a todos, sem dúvida alguma. Aliás, essa coisa da aposentadoria dos políticos já começou a ser esboçada, já veio até para a imprensa, e evidentemente nós vamos fazer uma coisa equânime, quer dizer, para atingir todos os setores. Não vamos diferenciar mais os setores", disse. No caso dos militares, que também têm um regime especial de Previdência, o presidente afirmou que ainda não sabe como vai funcionar, mas lembrou que a categoria sempre teve tratamento diferenciado em função das peculiaridades da carreira.
NOVAS REGRAS
As novas regras previstas com a reforma da Previdência ainda não foram divulgadas oficialmente, mas algumas informações foram divulgadas pela imprensa nos últimos dias, citando fontes. Uma delas seria a definição de uma idade mínima de 65 anos, com uma contribuição de pelo menos 25 anos, além de um prazo de transição de 20 anos para mulheres e professores e 15 anos para homens. A fórmula de cálculo do benefício também deve sofrer alteração. Um outro ponto envolve a pensão por morte, que deve deixar de ser integral. O Grupo de Trabalho da Previdência propõe que seja de 50% ou 60% do salário do falecido, mais 10% por dependente, mas o percentual ainda terá que passar pelo crivo do presidente.

EMPRESA BELGA USA ESTANTES E LUZ LED E CRIA 'FAZENDA VERTICAL' FUTURISTA
Um halo de luz violeta banha dezenas de alfaces espalhadas em estantes em uma "fazenda vertical" no oeste da Bélgica. Essa é uma solução para, no futuro, alimentar a humanidade em climas hostis e nos momentos de perda de terra cultiváveis. "Só tentamos imitar a natureza, não é tão futurista quanto pensam", afirma Maarten Vandecruys, que fundou, em 2014, a Urban Crops, uma empresa belga especializada no cultivo interno com sistema iluminação LED. Vandecruys se orgulha de seu sistema completamente automatizado desenvolvido em Waregem, onde centenas de diodos LED, parecidos com os que começaram a substituir as tradicionais lâmpadas incandescentes nas casas, favorecem o bom desenvolvimento de alfaces e rúculas. No laboratório da Urban Crops, as plantas germinam em um substrato neutro e sem terra, já que ela as exporia a doenças vinculadas aos animais e a outros fatores externos. Posteriormente, uma fita transportadora as conduz a um espaço fechado, onde as plantas crescem sob a luz violeta de lâmpadas LED em um ambiente completamente controlado, e alimentadas por um sistema hidropônico, de água misturada com a receita ideal de sais minerais e nutrientes essenciais. E sem pesticidas. Essa luz violeta, nascida da aliança dos LED vermelhos e azuis, ajuda no bom desenvolvimento dos vegetais, com a vantagem de que não produz calor, razão pela qual os diodos podem se situar a poucos centímetros das plantas. Isso também favorece a sucessão de andares de vegetais nas estantes.
APENAS UMA EVOLUÇÃO
O futuro da agricultura vertical passa por seu desenvolvimento industrial, defende Vandecruys, para quem isso é "apenas uma evolução" dos campos de estufas.
Graças ao seu sistema, 50 metros quadrados de superfície podem se transformar rapidamente em 500 metros quadrados exploráveis. A planta também cresce entre duas e três vezes mais rápido que no exterior. A Urban Crops pode produzir em 30 metros quadrados de seu laboratório até 220 alfaces por dia, utilizando 5% do consumo de água da agricultura tradicional. Para Samuel Collasse, professor e pesquisador no centro de pesquisa belga Carah, o conceito de agronomia urbana não é "no momento muito convincente" em países como França ou Bélgica, já que "a distância entre o campo e a cidade não é enorme". "Mas em Nova York há projetos que funcionam muito bem", afirma. Para o pesquisador, as lâmpadas de sódio tradicionalmente utilizadas nas estufas ainda têm uma longa vida pela frente, apesar de um rendimento menor, devido ao seu preço entre duas ou três vezes mais baixo.
UMA FAZENDA NA COZINHA
Para Collasse, o sistema de Vandecruys tem possibilidades de desenvolvimento "em situações um pouco futuristas", tanto em ambientes climaticamente hostis quanto em missões militares, passando por campos de refugiados, graças a contêineres devidamente equipados. A Urban Crops tem muitas ideias para a venda de infraestruturas, tanto a laboratórios farmacêuticos para plantas medicinais quanto a supermercados interessados em uma produção fresca sem gastos de transporte, passando por zonas remotas da Escandinávia, por exemplo. Até o momento, os clientes estão, sobretudo, interessados em estruturas modestas, com o envolvimento de seres humanos. Por exemplo, um dono de restaurante de renome quer controlar o sabor de seus ingredientes, como o da rúcula deste laboratório, que "explode" na boca. De fato, ajustando as diferentes variáveis, como a cor e a intensidade da luz, os nutrientes ou a temperatura, é possível modificar o tamanho ou a intensidade dos sabores. E, diante de um público atraído pela produção local, também existem sistemas individuais de estantes com diodos, vendidas para cultivar nas cozinhas de particulares minitomates ou ervas aromáticas. O gigante sueco do mobiliário, Ikea, já se lançou nesta aventura.

SAIBA COMO CONFIGURAR UM ROTEADOR NO APARELHO DE SUA OPERADORA
Se antes ter um roteador Wi-Fi era sinal de "riqueza", hoje o equipamento se tornou tão básico quanto ter uma televisão ou um rádio em casa. As próprias operadoras de telecomunicações passaram a oferecer gratuitamente o aparelho a todos os assinantes de planos de internet fixa. O que pode ser uma mão na roda para uns, mas não o suficiente para aqueles que buscam opções com maior alcance da rede sem fio. Se você é um desses que busca uma alternativa mais eficiente do que a oferecida por sua operadora o caminho é simples. Por meio de nota, as principais operadoras do país --Oi, Net, Vivo e Tim -- informaram que os usuários têm total autonomia para instalar um novo roteador na rede sem a sua prévia autorização. Nenhuma nelas, no entanto, oferece o serviço de instalação do equipamento, que deverá ser realizado pelo próprio usuário ou por um profissional terceirizado.  Como aponta João Carlos Lopes Fernandes, professor de engenharia de computação, elétrica e eletrônica do Instituto Mauá de Tecnologia, o processo é simples e não requer grandes conhecimentos. Com o novo roteador conectado ao modem da operadora --que em muitos casos também funciona como roteador--, é preciso conectá-lo fisicamente (por meio de um cabo) a um computador. Só assim será possível configurar o aparelho e, consequentemente, fazê-lo funcionar. Os manuais, como explica o professor, detalham cada passo dessa configuração. Mas, em geral, basta digitar na barra de endereços do navegador as combinações de números 192.168.1.1 ou 192.168.0.1 --que normalmente são as variações de IP utilizadas em redes domésticas. Na sequência, será exigida a inclusão de um usuário e senha, disponível no manual do aparelho, mas que, geralmente, é "admin" para os dois itens. A partir daí, é chegada a parte mais técnica do processo subdividida em três etapas.
CONFIGURAÇÃO DA WAN
A primeira delas a configuração da WAN (Wide Área Network), que se refere à configuração da rede externa. "As operadoras não são obrigadas a prestar suporte nesses casos, mas são obrigadas a passarem todas as informações referentes a essas configurações". Portanto, ligue para a central de atendimento e peça os seguintes números: endereço de IP, máscara de sub-rede, gateway, servidor DNS1 e servidor DNS2. Todos os dados –que também podem ser importados a partir das configurações do roteador da operadora-- deverão ser preenchidos nas configurações do WAN, na opção IP Estático.
CONFIGURAÇÕES DO LAN E WLAN
Na sequência, é preciso alterar as configurações do LAN [referente aos dados da rede interna], e do wireless, que também é conhecido como WLAN. Nesta etapa, é importante alterar o SSID para o nome desejado para a sua rede sem fio, além de definir os seus padrões de segurança. "Atualmente, o modo de segurança mais adequado é o WPA. Opte por ele", sugere o professor, que também aconselha o uso de senha mais seguras --o que exclui números repetidos ou em sequência. Por fim, no menu sistema, reinicie o roteador para a conclusão das configurações e para o uso da rede sem fio a partir do novo aparelho.

Nenhum comentário: