Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

terça-feira, 27 de setembro de 2016

VOCÊ SABIA?

DEPOIS QUE O CORAÇÃO PARA, O CÉREBRO FICA CONSCIENTE POR QUANTO TEMPO?
Não é de hoje que a especulação a respeito do que acontece com o corpo humano depois de o coração parar de bater instiga cientistas de todo o mundo a realizarem novas pesquisas. Um novo estudo feito por pesquisadores britânicos, que avaliaram mais de 2 mil pessoas, comprovou algo curioso e um pouco assustador: o pensamento humano realmente continua a existir, mesmo depois de o coração parar de pulsar. Até o momento, acreditava-se que o cérebro humano permanecia consciente por um período de 30 segundos depois de o coração deixar de bombear sangue para o corpo todo, mas as novas descobertas mostram que esse tempo pode ser um pouco maior. A pesquisa, realizada pela Universidade de Southampton, mostra que é possível ter consciência por até 3 minutos após o fim das atividades cardíacas. “Ao contrário do que se imagina, a morte não é um momento específico, mas um processo potencialmente reversível que ocorre após qualquer doença grave ou acidente que faz com que coração, pulmões e cérebro parem de funcionar”, resumiu o médico Dr. Sam Parnia.
PARADA CARDÍACA E MORTE
Parnia explica que, quando esse processo é revertido, passa a ser chamado de “parada cardíaca”, mas que, quando não é, é chamado de “morte”. As 2.060 pessoas que participaram da entrevista são pacientes da Áustria, dos EUA e do Reino Unido – todos sobreviventes de paradas cardíacas. Desses, 40% afirmaram que se lembraram de coisas mesmo quando foram considerados clinicamente mortos. Para Parnia, isso pode evidenciar que as pessoas têm atividades cerebrais mesmo quando o coração não está mais funcionando, e que aquelas que são reanimadas podem se esquecer desses momentos, por isso nem sempre falam sobre eles. Para outras pessoas, essas lembranças são retratadas como experiências fora do corpo, que é a sensação de consciência após a morte. Dos voluntários, metade disse que o sentimento maior nesses momentos foi o de medo. O estudo conseguiu comprovar, pela primeira vez, a experiência fora de corpo de um homem de 57 anos de idade, que se lembrou do que acontecia ao seu redor, mesmo durante uma parada cardíaca, com muita precisão. Para Parnia, isso é realmente importante, já que muitas das experiências como as desse paciente, que “morreram” e foram reanimados, foram interpretadas como alucinações. Nesses casos, segundo o médico, é possível que uma pessoa fique consciente por até 3 minutos, mesmo sem batimento cardíaco. 

Nenhum comentário: