Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

RAPIDINHAS DO BLOG...

UM TERÇO DAS NEGOCIAÇÕES SALARIAIS FICA ABAIXO DA INFLAÇÃO
Mais de um terço (37,6%) das negociações salariais feitas em julho resultou em reajustes abaixo da inflação. A proporção é maior que a verificada no mês anterior (25,2%). Por outro lado, o número de acordos coletivos com redução salarial está em queda: foram apenas nove em julho, bem abaixo dos 23 em junho, 28 em maio e 34 em abril. Os dados são do boletim Salariômetro, da Fundação Instituto de Pesquisas (Fipe), com base em dados informados ao MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. A mediana dos ajustes salariais com vigência em julho ficou em 9,5%, igual à inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), acumulada nos 12 meses anteriores, conforme a primeira estimativa dos resultados das negociações coletivas. Em junho, foi de 9,8%, também igual à inflação, informa a Fipe, com resultados fechados de 601 negociações, das quais apenas 167 trataram de ajustes salariais e 151 de pisos salariais. A tendência de paridade entre reajustes e inflação se mantém desde abril. Antes disso, a diferença — em favor da inflação — veio em declínio neste ano: em março, o ajuste mediano ficou 0,1 ponto percentual abaixo do INPC acumulado; em fevereiro, 0,3 ponto percentual; e, em janeiro, 0,8 ponto percentual. Porém, 37,6% das negociações resultaram em ajustes salariais abaixo do índice. A fatia é maior do que a verificada no mês anterior, quando um quarto (25,2%) dos acordos acabaram em resultado inferior à inflação. Mas fica próxima do índice verificado em maio (36%) e abril (36%). A tendência predominante neste ano, contudo, é de declínio na fatia de reajustes que ficam abaixo do INPC: em abril foi de 41,4%, em março foi de 53,6%, em fevereiro, de 58,5% e, em janeiro, de 68,7%.
ACORDOS COM REDUÇÃO EM QUEDA
Dos 167 acordos coletivos que trataram de ajustes salariais, nove estabeleceram redução de jornada acompanhada de redução de salários, e destes, apenas um se apoiou no Programa de Proteção do Emprego (PPE), contra cinco de junho, oito de maio e quatro de abril, informa o Salariômetro, que analisou 497 acordos desde janeiro de 2015. É a mais longa sequência de recuos no número de acordos com redução salaria desde o início da série.
PISO AVANÇA
A mediana do piso salarial com vigência em julho foi R$ 1.089 (23,8% maior que o salário mínimo, de R$ 880), contra R$ 1.055 de junho. Nas convenções, o piso mediano foi R$ 1.085, contra R$ 1.100 no mês anterior, enquanto nos acordos, foi R$ 1.089, contra R$ 1.053 do período prévio.
PUBLICIDADE
O maior piso é o de São Paulo (R$ 1.182) e o menor, do Rio Grande do Norte (R$ 893). A folha de salários, estimada a partir do volume de depósitos vinculados ao FGTS, equivale a R$ 99,3 bilhões, no dado dessazonalizado referente ao mês de maio. A cifra é 0,7% maior que a observada no mês anterior (R$ 98,6 bilhões) e 2,5% menor que em maio de 2015 (R$ 101,8 bilhões). O valor anualizado da folha salarial de maio é de aproximadamente R$ 1,19 trilhão. Esta é a massa salarial anual do setor coberto pela CLT, que não inclui os rendimentos dos funcionários públicos estatutários e dos trabalhadores informais.

EXPOSIÇÃO À LUZ INTENSA “MELHORA SATISFAÇÃO SEXUAL EM HOMENS”
Cientistas da Universidade de Siena, na Itália, descobriram que o uso de uma caixa de luz, similar às empregadas em terapias de luz para tratar certos tipos de depressão, eleva os níveis de testosterona. E isso motivou o registro de maiores níveis de satisfação sexual. Mas os pesquisadores afirmam que é preciso mais pesquisas antes de essa técnica ser usada como tratamento. A equipe estudou 38 homens diagnosticados com problemas que causam falta de interesse em sexo.
LUZ INTENSA
Metade do grupo recebeu tratamento com a caixa de luz, enquanto a outra metade foi exposta a uma caixa de luz adaptada para emitir bem menos luz. Todos foram submetidos a meia hora de exposição pela manhã, por duas semanas. Quando testaram os participantes novamente, os pesquisadores descobriram que o grupo exposto à luz intensa havia triplicado os escores de satisfação sexual, enquanto o chamado grupo de controle manteve basicamente os mesmos níveis. Os níveis de testosterona nos homens que receberam o tratamento ativo com luz subiram de cerca de 2,1 ng/ml (nanogramas por mililitro) para 3,6 ng/ml - mas o outro grupo não registrou alta. Andrea Fagiolini, que coordenou o estudo, disse que os níveis mais altos de testosterona explicam os relatos de maior satisfação sexual.
O QUE É TRATAMENTO COM LUZ BRILHANTE?
A terapia com luz emprega uma lâmpada especial chamada caixa de luz, usada para simular a exposição à luz solar. A caixa contém tubos fluorescentes muito intensos - normalmente cerca de 10 vezes a intensidade de luzes residenciais. Costumam ser usadas para tratar o chamado transtorno afetivo sazonal, uma forma de depressão também conhecida como depressão de inverno. O paciente olha dentro da caixa e quando a luz atinge o fundo dos olhos, mensagens são transmitidas à parte do cérebro que controla o sono, apetite, desejo sexual, temperatura, humor e ação. Algumas pessoas parecem precisar de muito mais luz do que outras para que seus corpos funcionem normalmente.
IMITANDO A NATUREZA
Fagiolini explicou como o tratamento funciona. "No hemisfério norte, a produção de testosterona do corpo normalmente cai de novembro até abril, depois cresce gradativamente durante a primavera e o verão, com um pico em outubro". "Você vê o efeito disso em taxas de reprodução, com o mês de junho tendo as médias mais altas de concepções. O uso da caixa de luz realmente mimetiza o que a natureza faz", completa. O coordenador do estudo sugere que a terapia possa ter inibido a atividade da glândula pineal no centro do cérebro, permitindo maior produção de testosterona.
ESPERANÇAS FUTURAS
Há várias possíveis razões para a ausência de desejo sexual, e tratamentos dependem da causa. O tratamento pode envolver injeções de testosterona, antidepressivos e outros medicamentos. Os pesquisadores acreditam que a terapia com luz possa oferecer no futuro os benefícios de medicamentos, mas com menos efeitos colaterais. Mas Fagiolini disse que eles ainda não estão no estágio em que poderiam recomendar a técnica como tratamento clínico. O artigo com os resultados da pesquisa será apresentado em um congresso de neuropsicofarmacologia em Viena, na Áustria.

GOOGLE LANÇA ALLO, APLICATIVO DE MENSAGEM PARA RIVALIZAR COM O WHATSAPP
O Google lançou na quarta-feira (21) o Allo, um aplicativo de mensagem instantânea, que tentará travar uma batalha com o WhatsApp, graças à inteligência artificial de seu assistente virtual, que permite desde fazer reservas em restaurantes a atender automaticamente as mensagens. O aplicativo, disponível para telefones com sistemas operacionais iOS e Android, funciona associada a um número de telefone e oferece ao usuário a possibilidade de buscar informações variadas sem sair da conversa. Por exemplo, o acesso as últimas notícias, previsão do tempo, trânsito, traduzir um texto ou mesmo saber que horas sai determinado voo. Também não será necessário sair do bate-papo com outro usuário para anotar um endereço, definir uma data no calendário, ler opiniões sobre restaurantes próximos e inclusive pedir ao assistente que conte uma piada. No futuro, o Allo permitirá fazer diretamente reservas de restaurantes, hotéis e bilhetes de avião ou trem. Para chamar o assistente virtual, o usuário só precisa escrever ou falar "@google". Por enquanto, a interação está limitado ao idioma inglês, embora a empresa afirma que outras línguas serão inclusas em breve. Assim, o Google segue os passos do Facebook, que introduziu este ano em conversação no Messenger e fará no WhatsApp. O Telegram também fez essa implementação. O Google informa em seu blog oficial que o Allo também contempla respostas prefixadas a mensagens simples, como por exemplo "Você vem junto?". O sistema vai aprender sobre o comportamento do usuário e personalizar essas respostas, dependendo de seu estilo e necessidades. Entre as funcionalidades do design, o Allo oferece a possibilidade de modificar o tamanho de texto e emoticons, acessar 25 pacotes de adesivos e desenhar ou escrever sobre fotografias antes de enviá-las. Segundo a tecnológica da empresa, todas as conversas do aplicativo estão cifradas, mas oferece uma opção de maior segurança com o "modo incógnito": nele, as mensagens estão cifrados de ponta a ponta (não são armazenados em nenhum servidor, da mesma forma que no WhatsApp), são efêmeros (excluídos depois de um tempo) e as notificações são mais discretas.

Nenhum comentário: