Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

CINEMA NO BLOG

SONATA DE AMOR (1947)
Song of love
FICHA TÉCNICA
Outros Títulos:
Canto d'amore (Itália)
Pasión inmortal (Espanha)
Melodía inmortal (Argentina)
Liebesmelodie (Austria)
Clara Schumanns große liebe (Alemanha)
Du är mitt allt (Suécia)
Denmark (Dinamarca)
Säveltäjän unelma (Finlândia)
Szerelmi dal (Hungria) 
Pais:
Estados Unidos
Gênero:
Drama, Biográfico, Música
Direção:
Clarence Brown
Roteiro:
Ivan Tors, Irma von Cube, Allen Vincent, Robert Ardrey
Produção:
Clarence Brown
Direção Musical:
Bronislau Kaper
Fotografia:
Harry Stradling Sr.
Edição:
Robert Kern
Direção de Arte:
Cedric Gibbons, Hans Peters
Figurino:
Walter Plunkett, Valles
Guarda-Roupa:
Irene
Maquiagem:
Jack Dawn
Efeitos Sonoros:
Douglas Shearer
Efeitos Especiais:
Warren Newcombe

ELENCO
Katharine Hepburn
Clara Wieck Schumann
Paul Henreid
Robert Schumann
Robert Walker
Johannes Brahms
Henry Daniell
Franz Liszt
Leo G. Carroll
Professor Wieck
Elsa Janssen
Bertha
Gigi Perreau
Julie
Ann Carter
Marie
Janine Perreau
Eugenie
Jimmy Hunt
Ludwig
Konstantin Shayne
Reinecke
Kurt Katch
Juiz
Anthony Sydes
Ferdinand
Eilene Janssen
Elise
Roman Bohnen
Dr. Hoffman
Henry Stephenson
Rei Albert
Tala Birell
Princesa Valerie
Ludwig Stössel
Haslinger
Wheaton Chambers
Sr. Heller
Lela Bliss
Sra. Heller
Leslie Denison
Rei Fredericus Augustus
Fred Essler
Sr. Hein
Jane Green
Rainha
Eloise Hardt
Rainha Maria
Frank Reicher
Sr. Fuerbach
Larry Simms
Principe Albert

VIDEOCLIPES


SINOPSE
Em 1839, na cidade de Dresden, Alemanha, a virtuosa pianista Clara Wieck realiza um concerto para o Rei. Depois de apresentar um número composto pelo notável compositor Franz Liszt, ela introduz "Traumerei," uma peça de seu amante, o desconhecido compositor Robert Schumann. Nos bastidores, Clara é punida por seu autoritário pai, professor Wieck, por interpretar a composição, mas ela responde que se acha apaixonada pelo compositor. Quando Schumann pede a mão de Clara em casamento, Wieck proíbe a união, declarando que ele não é digno de sua famosa filha. Desafiando seu pai, Clara recorre a um tribunal com o fim de conseguir permissão para se casar. Quando o juiz está prestes a negar seu pedido, Liszt defende o casamento e elogia o talento de Schumann, ganhando assim o consentimento do tribunal. Como presente de casamento, Schumann compõe uma peça para sua noiva intitulada “Dedicação”. Anos mais tarde, incapaz de conseguir o reconhecimento como um grande compositor, Schumann se vê forçado a dar aulas de música para sustentar sua família. Sobrecarregada com sete filhos, Clara parou de tocar piano. Johannes Brahms, um jovem e promissor compositor, passa a ter aulas com Schumann. Convidado pelo professor, Brahms participa de uma festa de Réveillon e se apaixona por Clara. Em pouco tempo, ele se torna um membro indispensável da família, ajudando nas tarefas diárias, junto às crianças e à própria governanta, Bertha. O estresse devido ao excesso de trabalho começa a afetar a mente de Schumann, que passa a sofrer de dores de cabeça crônicas. Para ajudar as finanças da família, Clara decide retornar aos palcos, causando no marido um aumento de sentimentos de fracasso. Mesmo abatido, Schumann se esforça para completar sua Sinfonia Fausto. No entanto, ao sentir que o marido está caindo numa forte depressão, Clara desiste dos palcos para cuidar dele, preocupada que ele siga o mesmo caminho da irmã que cometeu suicídio após sofrer um esgotamento nervoso. Intercedendo em nome de seu amigo, Liszt convence Reinecke, o proprietário de uma sala de concertos, a abrir sua temporada com a Sinfonia Fausto. Por outro lado, incapaz de suportar seu amor não correspondido por Clara, Brahms deixa a casa de Schumann. Enquanto isso, quando da abertura da temporada, ao conduzir sua Sinfonia Fausto, Schumann sofre uma crise nervosa e é levado para uma instituição mental. Ele morre pouco tempo depois e, cinco anos mais tarde, Brahms, agora tendo alcançado fama e fortuna, vem visitar Clara. Surpreso ao encontrá-la ainda em luto e por ter abandonado o piano, ele a relembra a determinação de seu falecido marido. Ressentida, ela rejeita seu convite para encontrá-lo em Colônia, onde ele vai estrear sua nova sinfonia. No entanto, ela termina mudando de ideia e, durante sua apresentação, Brahms se emociona ao vê-la na plateia. Após o concerto, ele lhe propõe casamento, mas ela, muito ligada à memória do marido, prefere preservar o legado dele tocando sua música por todo o mundo. De volta aos palcos, em Dresden, ela reprisa "Traumerei" para o Rei.

COMENTÁRIOS
Realizado pelo cineasta Clarence Brown, “Sonata de Amor” é um filme baseado em um texto teatral de Bernard Schubert e Mario Silva, produzido pela Metro-Goldwyn-Mayer em 1947. Sua trama, fala da vida do famoso compositor Robert Schumann e de sua mulher Clara. Embora não se trate de uma obra premiada, a direção de Brown é de primeira linha, assim como a fotografia de Harry Stradling Sr. Por outro lado, sua trilha sonora, a cargo de Bronislau Kaper, é marcada por belas músicas de Robert Schumann, Johannes Brahms e Franz Liszt.  No elenco, destacam-se as atuações de Paul Henreid, Katharine Hepburn, Robert Walker e Henry Daniell.

por Carlos Augusto de Araújo

Nenhum comentário: