Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

RAPIDINHAS DO BLOG...

CONFIANÇA DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS É A MAIOR EM 15 MESES
A confiança dos micro e pequenos empresários dos segmentos do varejo e de serviços calculada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) avançou 20,7% em julho em relação a 2015, passando de 37,06 pontos para 44,72 pontos. Trata-se do maior patamar em 15 meses. Na comparação com junho, quando o indicador estava em 42,93 pontos, o crescimento foi de 4,2%. De acordo com as entidades, apesar da melhora no indicador, a maior parte dos entrevistados ainda avalia que as condições gerais da economia e de seus negócios pioraram no último semestre, abaixo do nível neutro de 50 pontos. A escala do indicador varia de zero a 100 – acima de 50 pontos mostra otimismo e abaixo mostra pessimismo. “A proporção dos que se dizem confiantes com a economia subiu, ao passo que a proporção dos que se dizem pessimistas caiu. O fenômeno repete-se, com intensidade ainda maior, quando analisamos as perspectivas para o futuro dos próprios negócios. Mais da metade dos empresários diz estar confiante com o desempenho futuro de sua empresa”, analisa o presidente da CNDL, Honório Pinheiro. Os micro e pequenos empresários têm clara percepção de que as condições econômicas se deterioraram, mas já veem sinais de recuperação nos próximos meses. O Indicador de Confiança é composto pelo Indicador de Condições Gerais e pelo Indicador de Expectativas. Por meio das condições gerais, busca-se medir a percepção dos micro e pequenos varejistas e empresários de serviços sobre os últimos seis meses. Já por meio das expectativas, o indicador busca medir o que se espera para os próximos seis meses. O Indicador de Condições Gerais avançou de 21,32 pontos para 25,53 na comparação entre julho e o mesmo mês do ano anterior. O resultado, porém, segue abaixo do nível neutro de 50 pontos, o que indica que para a maior parte dos entrevistados a economia piorou ao longo dos últimos seis meses. Em termos percentuais, 77,7% consideram que a economia piorou nos últimos seis meses. Embora elevada, esta é a menor proporção observada desde o início da sondagem. Apenas 6,4% consideram ter havido melhora. Em relação aos seus negócios, a proporção dos que relatam piora é ligeiramente menor (66,7%), enquanto a proporção dos que relatam melhora, um pouco maior (7,5%). Desde o início da série histórica, os micro e pequenos empresários demostram mais pessimismo com a economia do que com os negócios. Em julho, para aqueles que consideram ter havido piora dos negócios, a crise é o principal motivo das dificuldades: 81,6% dizem que por sua causa as vendas diminuíram. Outros 7,3% mencionam o aumento do preço dos insumos e da matéria-prima sem que pudessem repassar para o consumidor.
EXPECTATIVAS 
Os micro e pequenos empresários melhoraram suas expectativas para os próximos seis meses. Em julho, o indicador marcou 59,11 pontos, alta de 20,9% com relação ao mesmo mês do ano passado, quando marcava 48,87. Na comparação mensal, as expectativas para a economia passaram de 54,78 pontos, em junho, para 56,07 pontos, em julho. Com essa alta, o indicador manteve-se acima da marca neutra de 50 pontos, indicando que a maior parte desses empresários espera que a economia melhore nos próximos meses. O mesmo foi observado nas expectativas para os negócios, que atingiram 62,16 pontos. Em termos percentuais, 42,5% manifestam confiança para os próximos seis meses em relação ao desempenho da economia e 21,5% manifestam pessimismo. Entre os confiantes com a economia, a percepção de que a crise política será resolvida foi a principal razão para justificar o otimismo (42,4%). Outros 28,5%, apenas sentem que as coisas irão acontecer e 15,6% afirmam que a inflação será controlada e que o país retomará o crescimento. Porém, a crise política aparece como razão tanto para o otimismo quanto para o pessimismo: seis em cada dez MPEs (59,3%) que se dizem pessimistas com a trajetória da economia brasileira atribuem essa percepção ao fato de que a crise política não será resolvida. Outros 14,5% dizem acreditar que crise econômica seja grave e que por isso estão pessimistas. Já sobre o cenário dos seus negócios, o percentual de otimistas passa para 53,5% e o de pessimistas para 13,9%. Entre os otimistas, 4 em cada 10 micro e pequenos empresários (41,4%) justificam-se dizendo que seu negócio vai se recuperar com a queda da inflação e aumento do emprego; 26,9% diz que tem o sentimento de que as coisas irão melhorar, 14,3% garantem que estão investindo no negócio para enfrentar a crise e por isso estão confiantes e 9,1% dizem estar fazendo uma gestão profissional do negócio e acreditam que isso ajudará. Já entre os que manifestam pessimismo com seu negócio, 62,2% justificam-se dizendo que a economia não vai se recuperar, com aumento da inflação e queda do emprego. Outros 22,5% dizem que seu negócio foi afetado demais e não tem como se recuperar.


CHINA TEM MAIOR BURACO SUBAQUÁTICO DO MUNDO, DIZ IMPRENSA LOCAL
Pesquisadores chineses dizem ter encontrado o mais profundo buraco subaquático do mundo, ou buraco azul, localizado nas Ilhas Xisha, na China Meridional. Chamado de “Buraco do Dragão” (Dragon Hole, em inglês), ele está localizado em um dos maiores recifes de coral do arquipélago. Os moradores o chamam de “olho do mar”, ao sul da China. O buraco azul tem 300,89 metros de profundidade, tamanho equivalente à altura do maior prédio da Europa, o edifício Shard, localizado em Londres. O diâmetro é de 130 metros. O recorde anterior era de um buraco com 202 metros, o “Grande Buraco Azul”, que fica nas Bahamas. Os buracos subaquátcos são formações marinhas importantes para a investigação das espécies e a para a construção de projetos. Os pesquisadores recomendaram a proteção e exploração científica da nova descoberta num projeto de cinco anos na China.

''ALÉM DO MAPA'': PLATAFORMA DO GOOGLE MOSTRA FAVELAS DO RIO DE JANEIRO EM 360º
O Google lançou nesta semana a plataforma "Além do Mapa" (Beyond the map), que mostra favelas cariocas a partir devídeos em 360º. A ferramenta ainda conta com panoramas, 3 mil imagens históricas e exposições do Rio de Janeiro. O projeto integra o Google Arts & Culture, que traz acervos artísticos de todo o mundo. A série de vídeos disponibilizada pela "Além do Mapa" também apresenta histórias dos moradores das comunidades, nas versões português e inglês. Entre os destaques dos arquivos fotográficos, estão o tour interativo no Cristo Redentor e a visita ao pier Mauá. O Google também anunciou, a poucos dias das Olimpíadas, a atualização do Parque Olímpico e de mais de 3 mil novos estabelecimentos comerciais e interiores de hotéis, restaurantes e bares do Rio de Janeiro no Google Maps. "Esta será a Olimpíada mais digital da história e, de nossa parte, teremos informações de todos os eventos, antes e depois, incluindo vídeos integrados à busca", afirmou à Efe um porta-voz do Google. Além disso, o Google vai disponibilizar no Youtube vídeos oficiais com os melhores momentos dos jogos em 60 países. 

Nenhum comentário: