Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

RAPIDINHAS DO BLOG...

GOVERNO PROJETA ALTA DE 1,6% NO PIB EM 2017
A equipe econômica deve elevar de 1,2% para 1,6% a previsão de alta do Produto Interno Bruto (PIB) em 2017, no projeto de lei orçamentária para o ano que vem. Com a estimativa de crescimento maior, o governo pretende "engordar" a receita prevista para o ano que vem. Com arrecadação maior, ficaria reduzida a necessidade de medidas de aumento de tributos para garantir o cumprimento da meta fiscal. O projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias enviado ao Congresso projeta um rombo de R$ 139 bilhões em 2017 nas contas do governo federal. Segundo uma fonte do governo, o presidente em exercício Michel Temer não quer anunciar medidas de aumento de impostos. A estratégia que está sendo traçada é mostrar que a meta orçamentária pode ser garantida com o aumento da arrecadação, puxado pela retomada do crescimento e pela venda de ativos. Não está descartado, porém, o envio ao Congresso de algumas medidas "pontuais" de alta de alguns tributos para serem analisadas pelo Congresso. O número de 1,6%, no entanto, está acima das previsões do mercado para o crescimento do PIB no ano que vem. No relatório Focus do Banco Central, que compila as previsões do mercado financeiro, a estimativa média para o crescimento da economia no próximo ano está em 1,1%, embora algumas instituições até visualizem a possibilidade de um resultado melhor, próximo de 2%. Na segunda-feira, 15, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, voltou a dizer que, se for necessário para o reequilíbrio das contas públicas, haverá aumento de impostos. Segundo ele, porém, a economia está evoluindo dentro das projeções e começa a dar os primeiros sinais de retomada. "As indicações são de que vai haver crescimento da economia e consequente aumento da arrecadação. Se isso se configurar, não será necessário aumentar impostos. Mas, se for necessário, nós vamos aprovar (esse aumento)", disse, após reunião com analistas do mercado financeiro em São Paulo. Mais tarde, Meirelles e os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o interino do Planejamento, Dyogo Oliveira, se reuniram com o presidente em exercício, Michel Temer, para tratar exatamente do orçamento de 2017. Quando apresentou, no começo de julho, a proposta de meta fiscal com um déficit de R$ 139 bilhões no próximo ano, o governo revelou que a conta incluía um reforço de receitas de R$ 55,4 bilhões, que viriam principalmente de concessões de serviços e da privatização de estatais. Agora, com a aposta de que, passado o processo de impeachment, a economia terá uma evolução melhor do que a prevista anteriormente e de que as receitas devem crescer mais no próximo ano, essa necessidade de reforço deve ser menor. Ou seja, o governo trabalha com um cenário em que será preciso privatizar menos e ainda assim evitar aumento de impostos.
CORTE
Mas mesmo que a equipe econômica decida elevar a expectativa de crescimento da economia brasileira para 2017, fontes do governo ouvidas pelo Estado não descartam medidas adicionais para o cumprimento da meta fiscal. Para isso, é provável que o governo recorra a mais redução de despesas. "O aumento (de receita) não é tão imediato e há espaço para cortar despesa", afirmou uma fonte do governo. (As informações são do jornal O Estado de S. Paulo)

EXAME PREVENTIVO PODE REDUZIR TRANSPLANTE DE RIM EM 50%
Metade dos pacientes submetidos a transplantes de rim, no Brasil, poderia evitar a dependência dessa cirurgia se tivesse tido o cuidado de fazer exames preventivos de saúde, no caso os de sangue e de urina. O alerta é do nefrologista Diogo Medeiros, responsável pelos transplantes desse órgão no Hospital de Transplantes do Estado de São Paulo, segundo o qual o diagnóstico tardio é a principal causa de lesões irreversíveis. Desde o início das atividades da instituição, em 2010, foram feitos 430 transplantes de rim, dos quais 50% referiam-se às pessoas que apresentavam diabetes e hipertensão ou uma dessas doenças. "Em metade dos casos" - informa Diogo - "as pessoas só procuraram o médico porque passaram mal e, como a consulta foi tardia, não houve mais chance de recuperação ou de se postergar a evolução da doença". Resta ao paciente ficar na fila dos transplantes e, enquanto aguarda um doador, tem que se submeter à hemodiálise para a filtragem do sangue. Segundo o especialista, o número de doações é insuficiente, numa proporção de cinco mil para dez mil pacientes. No entanto, se as visitas periódicas ao médico ocorressem a cada seis meses, haveria maior qualidade de vida e de longevidade. O Hospital de Transplantes é uma unidade da Secretaria de Saúde do estado, gerenciada em parceria com a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM). Ainda de acordo com o nefrologista, os rins têm múltiplas funções no organismo, como a produção de hormônios na formação dos ossos e do sangue, no controle da pressão arterial e na filtragem de impurezas e eliminação de toxinas por meio da urina. E são fundamentais para manter os líquidos e sais do corpo em níveis adequados. Em casos de pessoas com diabetes e hipertensão, os primeiros sinais de lesão podem ocorrer em um período de cinco anos. Mas se forem feitas análises clínicas periódicas a cada seis meses, é possível um controle contra a progressão para uma Doença Renal Crônica (DRC). Por meio do exame de sangue, o médico poderá constatar se há concentração de creatinina (substância derivada da absorção de proteína no músculo) e cruzar essa informação com o resultado do exame de urina, indicando se houve ou não a eliminação de toxinas.

80% DOS BRASILEIROS FAZEM DOWNLOAD DE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS
 A pesquisa nacional Conectaí Express indica que 80% dos internautas brasileiros fazem downloads de conteúdos audiovisuais. Filmes, séries, shows e outros programas são baixados principalmente nos computadores pessoais ou notebooks. Logo em seguida, vêm os smartphones, tablets e smartv's, em ordem de utilização. A pesquisa foi realizada em junho, com 2000 internautas. Segundo a Conectaí, 70% dos usuários usam PC ou notebook para fazer os downloads, enquanto 20% usam smartphones, 7% utilizam tablets, 3% a Smartv e 20% não realizam downloads. A amostragem não indicou quais são os tipos de programas ou softwares utilizados em cada tipo de dispositivo para baixar os conteúdos. No entanto, uma outra pesquisa, realizada pelo grupo MUSO, indica que os brasileiros estão entre os que menos acessam sites de torrent. No ranking dos países que mais utilizam esse serviço, o Brasil ficou em 36º lugar, com apenas 5% da população fazendo downloads através de torrents. Em primeiro lugar está a Letônia, onde, de acordo com o estudo, quase metade dos internautas utilizam esse tipo de ferramenta. O "top 10" da lista é todo constituído de países europeus. Já em relação ao uso de softwares piratas, um estudo realizado pela BSA (Business Software Aliance) em 2015 concluiu que 47% dos softwares instalados no Brasil não são licenciados, enquanto o índice mundial é de 39%. Diversos problemas são relacionados ao uso de softwares piratas, inclusive os ataques cibernéticos, que causaram prejuízo global de U$400 bilhões no ano passado. 

Nenhum comentário: