Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

CINEMA NO BLOG

A PRIMEIRA NOITE DE UM HOMEM (1967)
The graduate
FICHA TÉCNICA
Outros Títulos:
A primeira noite (Portugal)
Le lauréat (França, Bélgica, Canadá)
El graduado (Espanha, Argentina, México)
Il laureato (Itália)
Die reifeprüfung (Alemanha, Áustria)
Mandomsprovet (Suécia)
Absolwent (Polônia)
Fagre voksne verden (Dinamarca) 
Pais:
Estados Unidos
Gênero:
Comédia, Drama, Romance
Direção:
Mike Nichols
Roteiro:
Buck Henry, Calder Willingham
Produção:
Lawrence Turman
Design Produção:
Richard Sylbert
Música Original:
Dave Grusin, Paul Simon
Fotografia:
Robert Surtees
Edição:
Sam O'Steen
Figurino:
Patricia Zipprodt
Guarda-Roupa:
Robert Fuca
Maquiagem:
Harry Maret
Efeitos Sonoros:
Jack Solomon, Howard Beals

ELENCO
Anne Bancroft
Sra. Robinson
Dustin Hoffman
Benjamin Braddock
Katharine Ross
Elaine Robinson
William Daniels
Sr. Braddock
Murray Hamilton
Sr. Robinson
Elizabeth Wilson
Sra. Braddock
Brian Avery
Carl Smith
Walter Brooke
Sr. McGuire
Norman Fell
Sr. McCleery
Alice Ghostley
Sra. Singleman
Marion Lorne
Srta. DeWitte
Eddra Gale
Mulher no Ônibus
Richard Dreyfuss
Residente na Pensão
Buck Henry
Atendente no Hotel
Buddy Douglas
Boy no Hotel
Harry Holcombe
O Ministro
Noam Pitlik
Frentista no Posto de Serviço
Jonathan Hole
Sr. Singleman
Lainie Miller
Stripper na Casa Noturna
Arthur Tovey
Hóspede do Hotel
Hal Taggart
Hóspede do Hotel
William H. O'Brien
Hóspede do Hotel
Frank Baker
Hóspede do Hotel

PRÊMIOS
Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA:
Oscar de Melhor Direção (Mike Nichols)
Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra:
Prêmio de Melhor Filme
Prêmio de Melhor Edição (Sam O'Steen)
Prêmio de Melhor Roteiro (Calder Willingham, Buck Henry )
Prêmio de Melhor Direção (Mike Nichols)
Prêmio de Melhor Revelação Masculina (Dustin Hoffman)
Prêmios Globo de Ouro, EUA:
Prêmio de Melhor Filme - Musical ou Comédia
Prêmio de Melhor Revelação Masculina (Dustin Hoffman)
Prêmio de Melhor Direção (Mike Nichols)
Prêmio de Melhor Atriz em um Musical ou Comédia (Anne Bancroft)
Prêmio de Melhor Revelação Feminina (Katharine Ross)
Grêmio dos Diretores da América:
Prêmio por Direção Excepcional (Mike Nichols)
Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA:
Prêmio de Melhor Direção (Mike Nichols)
Grêmio dos Roteiristas da América:
Prêmio de Melhor Roteiro de uma Comédia Americana (Calder Willingham, Buck Henry )
INDICAÇÕES
Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA:
Oscar de Melhor Filme (Lawrence Turman)
Oscar de Melhor Roteiro Adaptado (Calder Willingham, Buck Henry)
Oscar de Melhor Fotografia (Robert Surtees)
Oscar de Melhor Ator (Dustin Hoffman)
Oscar de Melhor Atriz (Anne Bancroft)
Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Katharine Ross)
Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra:
Prêmio de Melhor Atriz (Anne Bancroft)
Prêmio de Melhor Revelação Feminina (Katharine Ross)
Prêmios Globo de Ouro, EUA:
Prêmio de Melhor Roteiro (Buck Henry, Calder Willingham )
Prêmio de Melhor Ator em um Musical ou Comédia (Dustin Hoffman)
Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA:
Prêmio de Melhor Roteiro (Calder Willingham, Buck Henry)

VIDEOCLIPES

SINOPSE
Após se formar no Leste, Benjamin Braddock retorna à casa de seus pais, um casal de classe- média alta, em Los Angeles.  Ele é o orgulho da família, que lhe preparou uma festa de boas-vindas e para a qual foram convidados seus amigos.  Como presente pela graduação, ele ganha um automóvel conversível Alfa Romeo. Ao encontrá-lo em seu quarto, seu pai lhe pergunta se há algo errado e ele lhe responde estar preocupado e indeciso em relação ao seu futuro.  Os dois descem para o salão, onde Ben é festejado por todos que lá se encontram.  Percebendo que o ambiente não o está agradando, ele volta para seu quarto. Pouco tempo depois, alegando estar à procura do lavabo, a Sra. Robinson, esposa do sócio de seu pai, entra no quarto.  Na realidade, desde que ela o viu no salão, ficou vivamente interessada nele.  Em seguida, ela lhe pede uma carona, já que seu marido se retirara antes.  Ben lhe entrega as chaves de seu carro, mas ela as joga em um aquário.  Depois de muita insistência, ele resolve levá-la em casa. Uma vez lá, ela lhe oferece um drink e lhe pede que lhe faça companhia até a volta do marido, colocando em seguida uma música.  Confuso, Ben sente que a neurótica Sra. Robinson está tentando lhe seduzir. Alegando que ele ainda não viu o retrato de sua filha Elaine, ela o leva até o quarto da jovem.  Lá, enquanto Ben admira a fotografia, a Sra. Robinson lhe pede que a ajude a desabotoar seu vestido.  Aterrorizado, ele se desculpa e lhe diz que tem que voltar pra casa.  Antes de sair, ela lhe pede o favor de apanhar, na sala de estar, sua bolsa.  Ele a apanha e quando volta ao quarto de Elaine para entregá-la à Sra. Robinson, esta surge completamente nua e tranca a porta.  Ele a empurra, abre a porta e desce correndo no momento em que o Sr. Robinson chega.  Depois de uma breve conversa, ele vai embora. No dia em que faz 21 anos, depois de participar da festa preparada por seus pais, Ben vai ao Hotel Taft, de onde liga para a Sra. Robinson.  Uma hora depois, ela chega ao hotel.  Ben reluta em conseguir um quarto, alegando que eles poderiam apenas conversar.  Depois dela muito insistir, eles terminam num quarto, onde Ben continua não achando justo eles estarem ali, principalmente pelo forte elo que une as duas famílias.  Ela o acusa de ser um virgem inexperiente.  Sentindo-se ultrajado, ele decide apagar as luzes... Os dois passam a se encontrar com freqüência até que Elaine chega de férias da Faculdade.  Incentivado por seus pais, Ben vai até a casa dos Robinson para apanhá-la.  A Sra. Robinson o olha com ódio.  Ben e Elaine saem em seu Alfa Romeo, estranham-se inicialmente, mas terminam se beijando, com Ben declarando seu amor por ela. Sentindo que ele não se acha intimamente tranqüilo, Elaine lhe pergunta se ele está tendo um caso com alguém.  Ele lhe fala do relacionamento insatisfatório com uma mulher casada mais velha, mas afirma que o mesmo já acabou.  Demonstrando afeição um pelo outro, ela termina aceitando sair com ele no dia seguinte. Na hora marcada, Ben chega à casa dos Robinson para apanhar Elaine.  Antes de descer do carro, é abordado pela Sr. Robinson, que o ameaça se ele insistir em sair com sua filha.  Disposto a esclarecer a situação, ele corre até o quarto de Elaine, onde ela termina sabendo que a mulher mais velha com quem ele tivera um caso é sua mãe.  Indignada, ela o expulsa. Pouco tempo depois, ela viaja de volta à Faculdade em Berkeley.  Ben informa aos pais que gosta de Elaine e que está decidido a procurá-la.  Ao chegar à Berkeley, ele toma conhecimento que ela está namorando Carl Smith, um estudante de medicina. Ao se encontrarem, ela procura saber o que realmente houve entre ele e sua mãe e descobre que a versão por ela contada não corresponde à verdade.  Os dois se beijam e pensam em casamento. O Sr. Robinson, que está se divorciando, chega à Berkeley e, ressentido, proíbe Ben de continuar a ver sua filha.  Algum tempo depois, ao retornar à Los Angeles, Ben toma conhecimento de que Elaine vai-se casar com Carl Smith em Santa Bárbara.  Ele viaja 400 milhas até Berkeley e mais 300 milhas até Santa Bárbara, onde chega com a cerimônia já sendo concluída.  Entretanto, quando ela o vê, grita seu nome e os dois terminam saindo correndo da igreja.
COMENTÁRIOS
"A Primeira Noite de um Homem" está, sem dúvida, entre os melhores filmes produzidos nos anos 60.  Realizado pelo cineasta Mike Nichols, o filme é muito bem escrito, magnificamente dirigido e otimamente interpretado. Nichols mostra que sabe contar uma ótima história com uma câmera na mão.  No elenco, Anne Bancroft, Dustin Hoffman e Katharine Ross dão um verdadeiro show de interpretação.  A trilha sonora, com várias músicas de Simon & Garfunkel, onde se destaca "The Sounds of Silence"  (que abre e fecha o filme), é simplesmente maravilhosa.  A bela fotografia, assinada´por Robert Surtees, é um outro ponto alto do filme. Enfim, "A Primeira Noite de um Homem" tem todos os ingredientes presentes em um grande filme, o que o torna imperdível.

por Carlos Augusto de Araújo 

Nenhum comentário: