Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

quarta-feira, 20 de abril de 2016

CINEMA NO BLOG

ATÉ O LIMITE DA HONRA (1997)
G. I. Jane
FICHA TÉCNICA
Outros Títulos:
Até ao limite (Portugal)
À armes égales (França)
Soldato Jane (Itália)
La teniente O'Neil (Espanha)
Hasta el límite (México, Argentina)
Die akte Jane (Alemanha)
Sotilas Jane (Finlândia)
Vojnik Džejn (Sérvia)
Infanterista Jane (Romênia)
Солдат Джейн (Rússia) 
Pais:
Estados Unidos
Gênero:
Ação, Drama, Guerra
Direção:
Ridley Scott
Roteiro:
David Twohy, Danielle Alexandra
Produção:
Ridley Scott, Roger Birnbaum, Demi Moore, Suzanne Todd
Design Produção:
Arthur Max
Música Original:
Trevor Jones
Direção Musical:
Kathy Nelson
Fotografia:
Hugh Johnson
Edição:
Pietro Scalia
Direção de Arte:
William Hiney, Richard L. Johnson
Figurino:
Marilyn Vance
Guarda-Roupa:
Joe McCloskey, Nancy Cone, Ed Fincher, David Rawley
Maquiagem:
Joanne Gair, Rodger Jacobs, Barbara Lacy, Cheryl Markowitz
Efeitos Sonoros:
Campbell Askew, David Ronne, Ray Merrin, Graham Daniel e outros
Efeitos Especiais:
Steve Galich, Jeff Sparks, Jeff Frink, Ray Svedin e outros
Efeitos Visuais:
David Sewell

ELENCO
Demi Moore
Jordan O'Neill
Viggo Mortensen
Sargento Chefe John James Urgayle
Anne Bancroft
Lillian DeHaven
Jason Beghe
Royce
Daniel von Bargen
Theodore Hayes
John Michael Higgins
Diretor de Pessoal
Kevin Gage
Instrutor Pyro
David Warshofsky
Instrutor Johns
David Vadim
Cortez
Morris Chestnut
McCool
Josh Hopkins
Flea
James Caviezel
Slovnik
Boyd Kestner
Wickwire
Angel David
Newberry
Stephen Ramsey
Stamm
Gregg Bello
Miller
Lucinda Jenney
Blondell
Jack Gwaltney
Goldstein
Robert Shepherd
Senador
Stephen Mendillo
Almirante O'Connor
Duffy Gaver
Instrutor
Scott Helvenston
Instrutor
Harry Humphries
Instrutor de Artilharia
Billy Dowd
Fotógrafo
Lee Eskey
Advogado do Tesouro


PRÊMIOS
Prêmios Razzie, Los Angeles, California, Estados Unidos:
Prêmio Razzie de Pior Atriz (Demi Moore)

INDICAÇÕES
Prêmios da MTV, Estados Unidos:
Prêmio de Melhor Luta

VIDEOCLIPES

SINOPSE
Durante a reunião de uma Comissão Especial do Senado, graças a pressões exercidas pela senadora Lillian DeHaven, a analista topográfica Jordan O'Neill se converte na primeira mulher de uma Unidade dos SEAL da Marinha dos Estados Unidos. No entanto, para conseguir fazer carreira na Marinha, ela tem que ser aprovada num rigoroso e cansativo treinamento, onde geralmente 60% dos participantes desistem na primeira semana. Conduzido pelo Sargento Chefe John James Urgayle, o programa do treinamento envolve vinte horas por dia de tarefas concebidas para exigir o máximo dos recrutas, física e mentalmente. Num determinado momento do treinamento, Urgayle a amarra com as mãos atrás das costas e, em seguida, mergulha várias vezes sua cabeça em água gelada. Apesar de seus braços imobilizados, ela reage e consegue causar algum dano ao Sargento. Tal fato faz com que ela ganhe o respeito de Urgayle e de seus colegas de treinamento. Durante a fase final de formação, um exercício operacional é interrompido por uma emergência que exige a participação dos formandos. A situação envolve um satélite de reconhecimento alimentado por plutônio que caiu no deserto da Líbia. Uma equipe de Guardas Florestais do Exército dos Estados Unidos é enviada para recuperar o plutônio, mas seu plano de evacuação falha e os formandos são convocados para ajudá-los. Durante a missão, usando sua experiência como analista topográfica, O'Neill percebe, ao consultar um mapa, que o Sargento Urgayle está dirigindo o grupo na direção errada. Por outro lado, ela também mostra sua capacidade de liderança e estratégia, ao resgatar o Sargento quando este é atingido por uma explosão. A missão de resgate na costa da Líbia é, finalmente, um sucesso. Após o regresso aos Estados Unidos, todos aqueles que participaram da missão na Líbia são confirmados como novos membros da Marinha americana. O Sargento Urgayle dá a O’Neill sua Cruz da Marinha, e um livro de poesias contendo um curto poema, “A Auto-Piedade”, de DH Lawrence , como reconhecimento e gratidão por resgatá-lo.

COMENTÁRIOS
Realizado pelo cineasta britânico Ridley Scott, a partir de um roteiro escrito por David Twohy e Danielle Alexandra, “Até o Limite da Honra” é um filme norte-americano que deixa a desejar. Sua trama procura contar a história fictícia da primeira mulher a receber formação para integrar o grupo de elite da Marinha dos Estados Unidos. Na direção, Scott apresenta um trabalho consistentemente fraco, marcado por um ritmo inadequado e abuso de clichês. No papel principal, Demi Moore não se sai bem, o que lhe valeu o prêmio Razzie de Pior Atriz do Ano.


por Carlos Augusto de Araújo

Nenhum comentário: