Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

quinta-feira, 3 de março de 2016

RAPIDINHAS DO BLOG...

RELATÓRIO DO ORÇAMENTO CONFIRMA CORTE DE GASTOS E RETRAÇÃO DO PIB
O governo confirmou na terça-feira (1º), por meio do relatório de receitas e despesas do Orçamento de 2016, o corte de R$ 23,4 bilhões em gastos e também a estimativa de que o Produto Interno Bruto (PIB) terá uma retração de 2,9% neste ano, além de uma previsão de inflação de 7,1%. Essas informações já haviam sido divulgadas anteriormente pelos Ministérios da Fazenda e do Planejamento. No relatório, o governo confirmou que considera o valor de R$ 12 bilhões no Orçamento deste ano por conta da contabilização de precatórios (pagamentos que a União, estados e municípios têm que fazer a pessoas ou empresas após decisão judicial) como superávit primário. Recentemente, o governo enviou ao Congresso Nacional projeto de lei que permite que os valores não sacados pelos beneficiários possam ser convertidos em superávit primário. Além disso, também estima o ingresso de R$ 22,7 bilhões referentes a receita de concessões já realizadas pelo Governo Federal e R$ 8,2 bilhões de novas concessões. "Destacase que, em janeiro de 2016, já foram arrecadados R$ 11,05 bilhões referentes à primeira parcela do leilão de usinas hidrelétricas realizado em novembro de 2015, estando prevista arrecadação da segunda parcela no mês de julho de 2016, no valor de R$ 6,4 bilhões", acrescentou.
DÉFICIT DO INSS
Ao mesmo tempo, o governo também revisou para cima a estimativa de déficit do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), sistema público que atende aos trabalhadores do setor privado, em relação ao projeto de lei orçamentária que foi divulgado no ano passado. Na época, a previsão do governo era de um resultado negativo (pagamento de benefícios acima das receitas previdenciárias) de R$ 124,9 bilhões para a Previdência Social este ano. No relatório divulgado nesta terça, a expectativa de rombo subiu para R$ 129,95 bilhões - valor que já constava no Orçamento deste ano. No ano passado, segundo o governo, foi contabilizado um déficit de R$ 85,81 bilhões (diferença entre as receitas e o pagamento de benefícios previdenciários), ou 1,5% do PIB, contra um resultado negativo de R$ 56,69 bilhões - o equivalente a 1% do PIB - em 2014. A piora foi de R$ 29,12 bilhões de um ano para o outro e rombo subiu em 51%.O déficit do INSS de 2015 foi o maior valor nominal (R$ 85 bilhões), mas, em proporção com o PIB, ficou abaixo do patamar registrado de 2004 a 2007. O governo pretende enviar nos próximos meses uma proposta de reforma da Previdência Social ao Congresso. Até lá, pretende discutir no fórum da Previdência, que é composto por representantes do governo, dos trabalhadores (centrais sindicais), dos aposentados e dos empregadores, sete pontos. São eles: demografia e idade média das aposentadorias; financiamento da Previdência Social: receitas, renúncias e recuperação de créditos; diferença de regras entre homens e mulheres; pensões por morte; previdência rural: financiamento e regras de acesso; regimes Próprios de Previdência; e convergência dos sistemas previdenciários.

GRANDE BARREIRA DE CORAL AUSTRALIANA APRESENTA SINAIS DE DESBOTAMENTO
A Grande Barreira de Coral apresenta sinais de desbotamento devido ao aumento da temperatura do mar, fenômeno que pode ficar mais rápido caso as condições meteorológicas não melhorem - alertaram nesta semana pesquisadores australianos. Pesquisadores alertaram no final de 2015 que o ressurgimento da corrente quente do Pacífico El Niño poderia provocar em 2016 o pior episódio de desbotamento de corais já registrado no mundo. Cientistas da Universidade de Queensland e da Agência Norte-Americana Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA) explicaram que trata-se apenas do terceiro evento deste tipo, e que recifes como os da Grande Barreira australiana seriam particularmente afetados. O Centro ARC para estudos dos recifes de corais advertiu nesta terça-feira que tais preocupações estavam começando a ser justificadas. "Os relatórios atuais sobre o desbotamento da barreira não correspondem a um episódio de desbotamento maciço", explica Terry Hughes, diretor do centro. "Mas estamos preocupados com a ocorrência de um número crescente de incidentes de desbotamentos leves ou moderados em vários locais na Grande Barreira de Coral com a aproximação do verão". O desbotamento dos corais é um fenômeno de enfraquecimento que resulta em descoloração. É causado pelo aumento da temperatura da água, resultando na expulsão de algas simbióticas que dão cor e nutrientes aos corais. Janice Lough, pesquisadora do Instituto Australiano de Ciência Marinha, disse que as próximas semanas serão cruciais. "Os serviços meteorológicos preveem temperaturas significativamente maiores do que as médias durante o mês de março, o que poderia resultar em mais desbotamento para a Grande Barreira de Coral, a não ser que tenhamos em breve vento e nuvens". A Grande Barreira de Coral australiana, listada como Patrimônio Mundial desde 1981, está ameaçada pelo aquecimento global, escoamento agrícola, o desenvolvimento econômico e a proliferação das coroas-de-espinhos, espécie de estrelas do mar que destroem os corais.

ESTUDANTES CRIAM PULSEIRA QUE AVISA A HORA DE TOMAR REMÉDIO, NO ESPÍRITO SANTO
Os universitários André Rocha Soares, de 25 anos, e Pedro Henrique Moraes Guizardi, de 23, estão de malas prontas. Eles embarcam nesta terça-feira (1) para Istambul Internacional Inventions Fair (ISIF), em Istambul, na Turquia, onde apresentarão seu invento: uma pulseira eletrônica que alerta os pacientes para tomar os remédios pontualmente. Segundo André, que cursa o último período de medicina em uma faculdade particular, o invento surgiu ao perceber que os pacientes tomavam as medicações em doses e horários errados. “A pulseira é programada por um profissional da saúde, e ela permite que cada medicamento tenha uma cor de identificação, e essa cor é a mesma do pote onde está remédio. Na hora que o paciente deve tomar o remédio, ela apita, vibra e mostra a cor que o profissional programou”, conta André. O universitário avalia que a pulseira minimiza os riscos de erros e permite tratamentos mais eficientes. “Toda vez que o paciente toma o remédio, ele registra, assim eu tenho maior controle sobre a conduta dele frente à prescrição do médico”. Para que o invento saísse do papel, André contou com a ajuda do amigo e estudante do 8º período de engenharia elétrica, Pedro Henrique Moraes Guizardi, que foi o responsável por fazer orçamentos nas empresas para a confecção do protótipo e por desenvolver o sistema que faz o controle do dispositivo. De maio do ano passado até segunda-feira (29), ele chegava a se dedicar ao projeto por até 18 horas diárias.
PRÊMIO
A dupla já ganhou um prêmio com o invento, ao participar da Feira Health Hackday – evento de tecnologia voltado para a saúde – no ano passado. Agora, vão apresentar o objeto na Istambul Internacional Inventions Fair. A pulseira é voltada, principalmente, para pessoas em tratamento de doenças crônicas, mas pode ser usada por pacientes de qualquer faixa etária, em tratamentos clínicos. André afirma que ele e o amigo estão trabalhando para que ela tenha preço acessível, caso seja comercializada. “Espero que ela custe bem pouco, para atender, sobretudo, os pacientes do SUS”.
ENTENDA COMO FUNCIONA
Pulseira
Os comprimidos são colocados em distintos frascos, diferenciados por cor. Na hora prevista para o medicamento, a pulseira fica da cor do frasco do remédio necessário.
Público-alvo
É voltada, principalmente, para pessoas em tratamento de doenças crônicas, mas pode ser usada por outros pacientes.

Nenhum comentário: