Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

terça-feira, 22 de março de 2016

RAPIDINHAS DO BLOG...

AGRAVAMENTO DA CRISE POLÍTICA PARALISA AJUSTE FISCAL
O agravamento da crise política, com o início formal da discussão e futura votação do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, interditou a apreciação de propostas do ajuste fiscal e outras matérias que poderiam melhorar as contas públicas. A maior influência do PT e do ex-presidente Lula ao Palácio do Planalto também já provocou um efeito colateral: as propostas para colocar as contas em dia ficaram em segundo plano. Criticado pelas lideranças petistas e com risco de ficar isolado no governo e até mesmo de ser substituído no cargo, o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, abriu ainda mais a torneira do crédito, na contramão do ajuste fiscal no curto prazo. Pressionado, Barbosa também ampliou o alívio de curto prazo para os governadores, que terá impacto negativo nas contas públicas em 2016 e nos próximos anos. Embora os projetos previstos, como a fixação de um teto para o gasto, estejam prontos para serem enviados esta semana ao Congresso, o foco agora passou a ser direcionado também para medidas que o governo pode adotar para estimular o crescimento com ações que não precisem de aprovação do Parlamento, como mais recursos para o Programa Minha Casa, Minha Vida. O plano traçado pelo PT era tentar fazer de Lula, que está com sua nomeação para a Casa Civil suspensa por decisão judicial, uma espécie de fiador do retorno da confiança e da votação de propostas para melhorar o ambiente econômico. Uma articulação nesse sentido chegou a ser desenhada antes da posse pelo ex-presidente em conversas com parlamentares petistas. Mas, até o momento, não foi levada adiante. Alinhado com o discurso de Lula, o ministro da Fazenda disse na sexta-feira que as incertezas políticas atrasam a recuperação da economia. "Um debate público onde todo mundo grita e ninguém ouve não leva a lugar nenhum. Propostas extremas, para um lado e outro, não são sustentáveis e não vão resolver os problemas", disse. Enquanto isso, os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), tocam em paralelo ao avanço do impeachment uma pauta mínima de votações, muitas delas que contrariam interesses do Executivo. Do governo, as duas Casas devem votar só as medidas provisórias encaminhadas, mas propostas como o retorno da CPMF e a Desvinculação das Receitas da União (DRU) não devem caminhar durante o andamento do processo de afastamento. O presidente da Câmara disse que alguma pauta do governo pode ser votada pelos deputados durante o processo do impeachment. Ele disse que nesse período vai seguir a pauta, com votação de MPs, mas quer votar o projeto que define o teto do funcionalismo público e ainda pretende apreciar o projeto que define a Lei de Responsabilidade das Estatais, proposta encampada pelos tucanos e aprovado na terça-feira pelo Senado. Eduardo Cunha destacou que a votação de reformas da Previdência e tributária, as quais passou a dar apoio desde o fim do mês passado, só devem ser apreciadas após a votação do afastamento de Dilma. "Isso só depois do impeachment, porque precisa negociar e ninguém vai querer negociar com um governo com risco de cair em pouco tempo", disse o presidente da Câmara, para quem o Executivo não tem agenda e que a CPMF - imposto que o governo esperava aprovar no Congresso até maio, mas está parado na Câmara - é um "engodo". No Senado, Renan Calheiros pretende continuar a dobradinha de pautas que inaugurou desde o ano passado com os tucanos e que tem sido acelerada. Mesmo se mantendo aliado a Dilma, Renan deve colocar em votação na próxima semana o projeto do senador José Serra (PSDB-SP) que fixa o teto para o endividamento da União. Outras pautas como a adoção de governança para os fundos de pensão, proposta relatada pelo presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), também estará na agenda. O líder tucano no Senado, Cássio Cunha Lima (PB), afirmou que o País está paralisado e que as discussões no Congresso se voltam no momento para o processo de impeachment. Questionado sobre o fato de Renan estar privilegiando as pautas dos tucanos, ele disse que a legenda tem criado propostas no momento em que o governo não tem nenhuma iniciativa. Um dos deputados petistas mais próximos de Lula, Paulo Pimenta (RS), reconheceu que, no primeiro momento, o embate pelo impeachment, tem levado Dilma, o ex-presidente e os parlamentares aliados a centrarem esforços para manter o governo. "Não tem ambiente para estabilizar a economia sem resolver a política." Para o petista, o cenário político "atrapalha", mas o ex-presidente no governo tem condições de restabelecer o diálogo com o setor produtivo a fim de restabelecer o consumo, ampliar a oferta de crédito e reverter o cenário de recessão econômica. (As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.)

ESTUDO REVELA SURPRESAS SOBRE A SUPERFÍCIE GELADA DE PLUTÃO
Planeta anão tem variedade inesperada de montanhas e fluxos de geleiras. Dados foram coletados durante passagem da sonda New Horizons.  A análise mais detalhada da superfície de Plutão já feita revelou uma variedade inesperada de montanhas, fluxos de geleiras, planícies lisas e outras paisagens, de acordo com estudos divulgados na semana passada.  O olhar inédito sobre chamado planeta-anão, que orbita o sol como outros planetas, mas é menor, foi possível graças a fotos de alta resolução da espaçonave New Horizons, da agência espacial dos Estados Unidos (Nasa). Asonda espacial interplanetária fez a primeira visita da história a Plutão e suas cinco luas em julho do ano passado. As imagens, análises químicas e outros dados mostram um mundo complexo e geologicamente ativo a cerca de 4,8 bilhões de quilômetros da Terra, com um oceano subterrâneo e vulcões que parecem expelir gelo, segundo cinco artigos publicados na edição desta semana do periódico "Science". "É um lugar bem selvagem geologicamente falando", disse o cientista planetário William McKinnon, da Universidade Washington, de St. Louis, no Estado norte-americano do Missouri. Outro cientista descreveu a diversidade das paisagens como "espantosa". Como um terreno tão variado foi formado continua sendo um mistério do distante Plutão, cuja temperatura superficial média é de menos 229 graus Celsius.


FBI ALERTA DONOS DE CARROS SOBRE RISCOS DE ATAQUE DE HACKERS
A polícia federal dos Estados Unidos (FBI) e a agência de segurança de transporte do país (NHTSA) emitiram um alerta sobre o crescimento de riscos de ataques de hackers contra veículos. "O FBI e a NHTSA estão alertando o público e fabricantes - de veículos, componentes de veículos e outros aparelhos - para manterem atenção sobre potenciais riscos e ameaças relacionadas a tecnologias de veículos conectados", escreveram as agências em comunicado. Em julho de 2015, a Fiat Chrysler fez recall de 1,4 milhão de veículos nos Estados Unidos para instalação de software depois que uma reportagem na revista Wired levantou dúvidas sobre a possibilidade dos sistemas dos carros serem invadidos. O recall marcou a primeira ação do tipo na indústria automotiva. Também no ano passado, a General Motors divulgou uma atualização para um aplicativo de smartphone cuja brecha de segurança poderia permitir que um hacker assumisse o controle de algumas funções de seu veículo elétrico Volt, como ligar o motor e destravar as portas. Em janeiro de 2015, a BMW afirmou que consertou uma falha de segurança que poderia permitir que até 2,2 milhões de veículos da marca tivessem a porta a aberta remotamente por hackers. "Apesar de nem todos os incidentes poderem resultar em risco à segurança, como um hacker assumir o controle de um veículo, é importante que os consumidores tomem as medidas apropriadas para minimizar o risco", disse o FBI no alerta. O comunicado do FBI também alerta que criminosos podem explorar atualizações de software de veículos por meio do envio de emails falsos "para proprietários que estejam buscando obter atualizações legítimas. Em vez disso, os destinatários dos emails podem acabar sendo enganados ao clicarem em links para sites perigosos ou abrirem anexos que contenham softwares malignos".

Nenhum comentário: