Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

RAPIDINHAS DO BLOG...

INFLAÇÃO OFICIAL É A MAIOR PARA NOVEMBRO DESDE 2002, DIZ IBGE
A inflação oficial do país, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 1,01% em novembro, depois de chegar a 0,82% no mês anterior, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É a maior taxa para novembro desde 2002, quando atingiu 3,02%. O maior impacto no avanço geral de preços partiu de alimentos e bebidas, que ficaram 1,83% mais caros de outubro para novembro. No ano, de janeiro a novembro, a inflação acumula alta de 9,62% - a maior para esse período desde 2002. Naquele ano, o IPCA havia ficado em 10,22%. Em 12 meses, o indicador está em 10,48%, bem acima do teto da meta de inflação do Banco Central, de 6,5% ano. Essa variação também é a mais intensa desde novembro de 2003, quando atingiu 11,02%.

PESQUISA DA USP USA A MATEMÁTICA PARA PREVER PROPAGAÇÃO DE DOENÇAS
Um grupo de pesquisadores do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, está usando cálculos matemáticos para avaliar como é feita a propagação de uma informação ou a disseminação de uma epidemia e, com isso, prever e controlá-las. Uma espécie de rede social criada pelo professor Francisco Rodrigues mostra, por exemplo, quais pessoas são muito populares e têm mais chances de espalhar uma doença ou transformar um vídeo na internet em um viral. O projeto, intitulado 'modelagem de processos dinâmicos em redes complexas', é coordenado pelo professor e cinco alunos estão envolvidos na pesquisa, que começou em 2013.
PESSOAS-CHAVE
No século 18, a varíola se alastrou pela Europa e 300 milhões de pessoas morreram. No século 20, foi a gripe espanhola que matou 50 milhões durante a 1ª Guerra Mundial. Os vírus se espalharam muito facilmente, assim como os virais de internet, como um vídeo caseiro que, de repente, fica famoso no mundo. Tanto as doenças como esses conteúdos se espalham muito rápido, podendo chegar a um número muito grande de pessoas. Os cientistas se debruçaram sobre a questão e descobriram que existem algumas algumas 'pessoas-chave', que estão no centro dessas redes de convivência. Essas pessoas dão o ponta pé inicial pra espalhar algo.
VÍRUS E INFORMAÇÕES
Com isso, o professor Rodrigues foi em busca dessas pessoas e iniciou uma pesquisa para mapear quem são aquelas que têm mais contatos, conversam com muita gente, enfim, são muito populares no mundo real. A rede social do pesquisador mostra que elas têm mais chances de passar um vírus, por exemplo. Identificando essas pessoas, basta vaciná-las para evitar uma epidemia. “Assim você evita uma pandemia como o que aconteceu com a H1N1. A ideia é você vacinar o mínimo de pessoas, porque além de ser cara ela pode ter um efeito colateral”, disse. A pesquisa também mostra como as informações se espalham na internet. A Maria tem uma informação, o João compartilha, o vizinho curte e também publica. Assim o conteúdo vai rodar o planeta. Muitas empresas estão interessadas no estudo porque descobrir quem influência o público é muito para um artista ficar conhecido, por exemplo. Foi assim com o coreano Psy, que depois de ter o clipe da música Gangnam Style curtido por artistas famosos, teve mais de 2 bilhões visualizações no Youtube. As doenças podem ser tratadas com remédios, mas a informação é difícil controlar. “Hoje as pessoas têm que pensar muito bem no que compartilham. Depois que você soltou a informação na web não tem como parar”, disse o pesquisador.Por isso é bom pesquisar antes de compartilhar alguma coisa. Há quem prefira fugir de polêmicas pra não espalhar o vírus da fofoca. “Se for algo muito crítico eu nem compartilho, porque é melhor não compartilhar do que compartilhar algo que não é verdade”, disse a atendente Bruna Barbosa.

UNIÃO EUROPEIA CHEGA A ACORDO PARA CRIAR LEI DE CIBERSEGURANÇA
Parlamentares da União Europeia chegaram a um acordo sobre a primeira lei de cibersegurança do bloco que vai exigir que companhias de internet como o Google e Amazon divulguem casos graves de invasão de seus sistemas sob pena de sanções. O acordo foi alcançado em resposta a crescentes preocupações sobre ataques contra sistemas de informação resultantes de falhas de segurança. O chefe de assuntos digitais da Comissão Europeia, Andrus Ansip, afirmou que a nova lei vai ancorar a confiança dos consumidores em serviços de internet, especialmente os que são fornecidos entre fronteiras. A nova legislação, conhecida como Diretiva de Segurança de Informação e Rede, cria obrigações de segurança e de registro para companhias que fornecem sistemas a setores críticos, como transporte, energia, saúde e finanças. Sob a diretiva, empresas de internet como Google, Amazon, eBay e Cisco, mas não redes sociais como Facebook, terão que reportar incidentes sérios a autoridades nacionais, que, por sua vez, poderão impor sanções a empresas que não fizerem isso.

Nenhum comentário: