Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

RAPIDINHAS DO BLOG...

PETROBRAS CONFIRMA DESCOBERTA DE PETRÓLEO NA BACIA POTIGUAR
A Petrobras confirmou na terça-feira (17) a perfuração de um poço de extensão que comprovou a existência de petróleo na área de Pitu, localizada a 60 quilômetros do litoral do Rio Grande do Norte. A descoberta desta acumulação, a primeira em águas profundas da Bacia Potiguar, chegou a ser comunicada em 17 de dezembro de 2013. Ainda de acordo com a Petrobras, o poço 3-BRSA-1317-RNS, informalmente conhecido como 'Pitu Norte 1', é o primeiro poço de extensão na área do Plano de Avaliação da Descoberta (PAD) de Pitu e está localizado a 60 quilômetros do litoral potiguar, em profundidade de água de 1.844 metros, com profundidade final de 4.200 metros. A descoberta foi comprovada por meio de análise de perfis e de amostras de fluido, que serão analisadas em laboratório.

EL NIÑO GANHA FORÇA E SERÁ UM DOS TRÊS PIORES DA HISTÓRIA, AFIRMA ONU
O fenômeno El Niño, o superaquecimento das águas de superfície do Pacífico, deve se fortalecer ainda mais antes do fim do ano e se tornar um dos mais intensos já registrados, afirma a OMM (Organização Meteorológica Mundial). Por ser conectado ao clima global -- associado a secas, tempestades e inundações em outros lugares -- essa anomalia causa preocupação. O atual El Niño já é o mais forte registrado nos últimos 15 anos, e segundo os meteorologistas já está "forte e maduro" em novembro. O El Niño é causado por uma desaceleração dos ventos alísios, que sopram na direção oeste perto do equador. Na falta de algo que transporte o calor na direção do Índico, as águas do Pacífico ficam cozinhando ao sol, sem se moverem muito, e acabam mais quentes. Desta vez, a média de temperatura ao longo de três meses já está 2°C acima do normal. Isso põe o El Niño atual já no mesmo patamar que os de 1972/73, de 1982/83 e de 1997/98 “Agora achamos que ele realmente vai ser um dos três mais fortes já registrados, senão um dos dois mais fortes, mas ainda não sabemos”, disse ontem Michel Jarraud, secretário-geral da OMM, que é um braço da ONU (Organização das Nações Unidas).
TERRITÓRIO DESCONHECIDO
Segundo a entidade, o mundo está mais bem preparado para enfrentar esse El Niño do que em anos anteriores, e os países mais afetados já estão se antecipando a possíveis impactos na agricultura, nos recursos pesqueiros, na água e na saúde. Planos de gerenciamento de desastres estão sendo renovados. "Apesar disso, o evento atual está ocorrendo em território desconhecido", afirmou Jarraud. "Nosso planeta se alterou drasticamente por causa da mudança climática, a tendência geral a oceanos mais quentes, a perda de gelo marinho ártico e mais de 1 milhão de km² de cobertura de neve de verão no hemisfério norte". "Esse El Niño, que é um fenômeno natural, e a mudança climática, alimentada por humanos, vão interagir e modificar um ao outro de maneiras que nunca experimentamos", afirmou. "Mesmo antes do início do El Niño, temperaturas médias de superfície na Terra já estavam batendo recordes. O El Niño está elevando o calor ainda mais."
PREVISÃO DO TEMPO
Ondas de calor serão mais quentes e mais frequentes e mais lugares ficarão sob risco de inundação, disse Jarraud, enquanto as tempestades mais severas -- como furacões de categorias 4 e 5 -- poderão ocorrer com mais frequência. Além disso, o aumento do nível do mar significa que tsunamis e ressacas terão mais alcance e infligir mais dano quando atingirem a terra, afirmou Jarraud. As condições do El Niño em geral atingem força máxima entre outubro e janeiro e persistem pela maior parte do primeiro trimestre do ano, mas neste ano pode ser diferente. "Antecipamos que o El Niño terá pico dentro dos próximos meses e, progressivamente -- quando entrarmos em maio, junho e julho, quando entrarmos n segundo trimestre --, entrará em condições mais neutras" afirmou Jarraud.

GOOGLE PLAY TERÁ PREÇO MÍNIMO PARA APPS E JOGOS REDUZIDO PARA R$ 1,00
 O Google informou na terça-feira (17) que o preço inicial de aplicativos, jogos e itens vendidos dentro desses programas no Brasil cairá para R$ 1,00. A empresa não informou quando a redução ocorrerá. Até agora, o valor mínimo cobrado por esses produtos custava R$ 2,50. Os desenvolvedores já podem fazer os cortes diretamente na ferramenta de controle da Google Play. A partir daí, os descontos passarão a chegar aos consumidores. O desconto a ser implementado no Brasil também chegará a 16 outros mercados, como os vizinhos Chile, Colômbia e Peru. A novidade segue um projeto piloto implementado na Índia no começo deste ano. A expectativa do Google é que a alteração impulsione o alcance de aplicativos pagos e faça os desenvolvedores aumentarem seus negócios em sua loja digital. 

Nenhum comentário: