Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

quarta-feira, 31 de julho de 2013

CITAÇÃO DO DIA

“Mudam os homens, a vida varia seus aspectos; há  porém nas cousas inanimadas a virtude de guardar as feições fugitivas do tempo; e a rua insignificante, o prédio denegrido, o muro escalavrado cativam os olhos da memória, reconstruindo a sensação que se foi." (Machado de Assis (1839-1908), escritor e poeta carioca, no romance Iaiá Garcia)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...

AGRAVOU-SE, EM JUNHO, O DÉFICIT PREVIDENCIÁRIO
O desequilíbrio nas contas da Previdência Social aumentou de R$ 2,94 bilhões, em junho de 2012, para R$ 3,17 bilhões, no mês passado, e de R$ 22,22 bilhões para R$ 27,34 bilhões entre os primeiros semestres de 2012 e 2013. O INSS teve o maior peso no resultado primário do Tesouro Nacional, passando do déficit de R$ 20,5 bilhões, entre janeiro e junho do ano passado, para R$ 27 bilhões, em igual período deste ano, mas o ministro interino, Carlos Gabas, declarou que "não existe situação alarmante" e "não há risco de quebra da Previdência". No curto prazo, essas opiniões, dadas em entrevista ao jornal O Globo, não serão desmentidas. Já no longo prazo, elas não se sustentam, se o governo do PT não cumprir a promessa de promover uma reforma profunda no INSS. No curto prazo, as contas previdenciárias dependem, principalmente, de dois fatores: o pagamento pelo governo federal do rombo provocado sobre as contas do INSS pela concessão de benefícios às empresas, que passaram a recolher as contribuições com base no faturamento e não na folha de pagamentos, e a manutenção de um mercado de trabalho forte e formalizado. Mas o Tesouro protelou o pagamento de R$ 4 bilhões à Previdência pelo rombo provocado (e tratou o adiamento como economia, brincando com um assunto sério). No mercado de trabalho, a oferta de emprego com carteira assinada perdeu força: em junho, as contratações de 826,1 mil pessoas foram 21,2% inferiores às de igual período de 2012, pior resultado em quatro anos. Nos últimos 12 meses, foi aberto 1,016 milhão de postos, número pouco compatível com a projeção do ministro do Trabalho, Manoel Dias, de que 1,4 milhão de vagas formais serão oferecidas neste ano. Melhores resultados do INSS dependem do setor urbano, com superávit de R$ 2,4 bilhões, em junho, e de R$ 7,2 bilhões, no semestre. Mas no semestre, enquanto as receitas do INSS na área urbana cresceram 11,2%, as despesas aumentaram mais: 13,7%. Como proporção do PIB, o INSS teve déficit primário de 1,17%, no primeiro semestre, ante 0,96%, em igual período de 2012. O superávit da área urbana caiu de 0,45% do PIB para 0,34% do PIB e o déficit da área rural aumentou de 1,42% do PIB para 1,51% do PIB. Com crescimento econômico baixo, o desequilíbrio do INSS deve aumentar. É urgente organizar as contas da Previdência, pois enquanto não se faz isso o Tesouro terá de cobri-la.

SINAL 3G AINDA É RARO NAS ESTRADAS DO PAÍS
O sinal de telefonia 3G no Brasil está disponível apenas nos grandes centros urbanos e, quando é encontrado fora dessas regiões, a conexão tem uma velocidade baixa. A constatação é de uma pesquisa da associação de consumidores Proteste que percorreu 5 mil quilômetros de estradas em 12 Estados para medir o sinal 3G em algumas estradas das regiões. Segundo a associação, nenhuma das quatro grandes operadoras de celular (Claro, Oi, TIM e Vivo) cobre mais de 51% das regiões percorridas com o sinal 3G. A região Sul é a que teve a pior cobertura nos testes da associação e a Claro foi a pior entre as empresas avaliadas. O sinal da operadora não estava disponível em 57% dos trechos percorridos. As medições da associação foram feitas em pontos das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, e em 13 trechos de estrada nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste.  O teste foi feito entre 4 de março e 25 de abril, e o resultado foi publicado na edição de agosto da revista da associação. “No pior cenário, no Sul, o cliente TIM não se conectou à rede em 80% das vezes. No melhor, no Nordeste, com a Vivo, a internet móvel funcionou em 68% dos casos”, diz a Proteste. “No geral, o resultado é muito ruim para todas as operadoras. Há muitas regiões sem cobertura nenhuma e mais ainda com cobertura de baixa qualidade”. Em comunicado, a Claro disse que “está presente com sua rede 3G nas principais rodovias do país” e que tem cobertura 2G “na maior parte da malha viária brasileira”. A empresa também diz que planeja investir  R$ 6,3 bilhões em infraestrutura de rede e que “parte desses investimentos” será destinada ao “reforço da cobertura 3G nas estradas”. A TIM também afirmou que está investindo para melhorar a cobertura. “No primeiro trimestre de 2013, a operadora estava presente com tecnologia 3G em 749 cidades, cobrindo 72% da população urbana, e pretende fechar o ano com 990 municípios cobertos”, disse a empresa em comunicado. “No triênio que vai até 2015, 90% do investimento de R$ 10,7 bilhões da TIM serão utilizados em projetos de infraestrutura”. Procuradas pela reportagem, Vivo e Oi não haviam se pronunciado até a publicação deste texto.

‘ROBÔS MOLECULARES’ PODEM REDUZIR DANOS DO TRATAMENTO DO CÂNCER
Medicamentos para tratar o câncer ou administrar doenças autoimunes têm efeitos colaterais desagradáveis, porque enquanto eles matam células causadoras de doenças, também afetam as células saudáveis. Agora, um novo estudo demonstrou uma técnica para o desenvolvimento de drogas mais específicas, utilizando-se de "robôs moleculares” para afetar apenas grupos mais específicos de células. Todas as células têm diversos receptores de substâncias na sua superfície celular. Funciona como num quebra-cabeça, onde cada peça tem seu encaixe perfeito. No caso das células, cada receptor tem um encaixe químico perfeito para determinadas substâncias. Quando os anticorpos ou drogas se encaixam a um receptor, é como se a célula recebesse uma ordem para reagir de determinada forma. Pode ser uma ordem, por exemplo, para interromper uma inflamação. Quando se toma um remédio para tratar de um câncer, as células do tumor recebem a ação do medicamento. Mas, em muitos casos, os encaixes químicos do tumor são os mesmos de células sadias, gerando os efeitos colaterais. O estudo, do Hospital para Cirurgias Especiais (HSS, na sigla em inglês), usou culturas de células humanas para ser comprovado. De acordo com Sergei Rudchenko, diretor de citometria de fluxo do hospital, o próximo passo será realizar testes em um rato com leucemia. O estudo, uma colaboração entre pesquisadores do HSS e da Universidade de Columbia, está na publicação online no site da revista “Nature Nanotechnology”. Rituximab (Rituxan, Genentech), por exemplo, é utilizado para tratar a artrite reumatoide, o linfoma de não-Hodgkin e leucemia linfocítica crônica por encaixe receptores CD20 nas células doentes. No entanto, certas células do sistema imunológico, também têm receptores CD20 e, assim, a droga pode interferir na capacidade de uma pessoa de lutar contra a infecção. No estudo, os cientistas conceberam robôs moleculares capazes identificar vários receptores nas superfícies das células. Com isso, conseguem descobrir encaixes químicos mais específicos, que efetivamente só valham para a célula que se quer atacar com o remédio. Os robôs moleculares, chamados autômatos moleculares, são constituídos por uma mistura de anticorpos e cadeias curtas de DNA. Estes filamentos de DNA podem ser fabricados por pesquisadores em um laboratório na sequência que o paciente precisar. Os pesquisadores realizaram seus experimentos com células brancas do sangue. Os robôs reagiam com os diferentes receptores das células brancas até que se pudesse achar uma que fosse única para o tipo de célula que se quisesse atacar. Se os robôs moleculares funcionarem em estudos com camundongos e testes clínicos com humanos, os pesquisadores dizem que há uma ampla gama de possíveis aplicações clínicas. Por exemplo, pacientes de câncer poderiam se beneficiar de quimioterápicos mais segmentados. Medicamentos para doenças autoimunes podem ser mais especificamente adaptados para impactar apenas as células causadoras de doenças, e não enfraquecer o sistema imunológico. 

CINEMA NO BLOG

VIDAS SECAS (1963) 
FICHA TÉCNICA
Outros Títulos:
Sécheresses (França)
Barren lives (Estados Unidos)
Pais:
Brasil
Gênero:
Drama
Direção:
Nelson Pereira dos Santos
Roteiro:
Nelson Pereira dos Santos
Produção:
Luiz Carlos Barreto, Herbert Richers, Danilo Trelles
Música Original:
Leonardo Alencar
Fotografia:
Luiz Carlos Barreto, José Rosa
Edição:
Rafael Justo Valverde, Nello Melli
Efeitos Sonoros:
Geraldo José

ELENCO
Átila Iório
Fabiano
Maria Ribeiro
Sinhá Vitória
Orlando Macedo
Soldado Amarelo
Joffre Soares
Fazendeiro
Gilvan Lima
Gilvan
Genivaldo Lima
Genivaldo
Maria Rosa
.

PRÊMIOS
Festival Internacional de Cannes, França
Prêmio OCIC (Nelson Pereira dos Santos)
Indicações
Festival Internacional de Cannes, França
Prêmio Palma de Ouro (Nelson Pereira dos Santos)

VIDEOCLIPES


SINOPSE
Em meio à paisagem hostil do sertão nordestino, quatro pessoas e uma cadela se arrastam numa peregrinação silenciosa. O menino mais velho, exausto da caminhada sem fim, deita-se no chão, incapaz de prosseguir, o que irrita Fabiano, seu pai, que lhe  dá estocadas com a faca no intuito de fazê-lo levantar-se. Entretanto, compadecido com a situação do filho, ele o toma nos braços e o carrega. Depois de muito caminharem, Fabiano e família encontram uma fazenda completamente abandonada. Surge a intenção de se fixarem por ali. Baleia aparece com um preá entre os dentes, causando grande alegria aos seus donos. Haverá comida. Descendo ao bebedouro dos animais, em meio à lama, Fabiano consegue água. A inesperada caça é preparada, o que garante um rápido momento de felicidade para o grupo. Em vão, Fabiano procura por uma raposa. Apesar do fracasso da empreitada, está satisfeito. Pensa na situação da família, errante, passando fome, quando da chegada àquela fazenda. Todos estão bem agora. A fazenda, aparentemente abandonada, tem um dono que logo aparece e reclama sua posse. A solução é ficar por ali mesmo, servindo ao patrão, tomando conta do local. Ele pensa em Sinhá Vitória, sua mulher, e em seu desejo de possuir uma cama igual à de Seu Tomás da bolandeira, mas enquanto as coisas não melhoram, o importante é sobreviver. Fabiano vai à feira comprar mantimentos, querosene e um corte de chita vermelha. Injuriado com a qualidade do querosene e com o preço da chita, resolve beber um pouco de pinga  na bodega de seu Inácio. Nisso, um soldado amarelo convida-o para um jogo de cartas. Os dois acabam perdendo, o que irrita o soldado, que provoca Fabiano quando este está de partida. A ideia do jogo havia sido desastrosa. Perdera dinheiro, não levaria para casa o prometido. Fabiano, agora, pensa em como enganar Sinhá Vitória, mas a dificuldade de engendrar um plano o atormenta. O soldado provocador encara o vaqueiro e barra-lhe a passagem. Pisa no pé de Fabiano que, tentando contornar a situação à sua maneira, aguenta os insultos até o possível, terminando por falar mal da mãe dele.  Com o destacamento policial à sua volta, Fabiano é empurrado, humilhado publicamente e levado para a cadeia. No xadrez, pensa por que havia acontecido tudo aquilo com ele. Se não fosse Sinhá Vitória e as crianças, já teria feito uma besteira. Naquele dia, Sinhá Vitória amanhecera brava. A noite mal dormida na cama de varas era o motivo de seu mal humor. Falara pela manhã, mais uma vez, com Fabiano sobre a dificuldade de dormir naquela cama. Havia um ano que discutia com o marido a necessidade de uma cama decente. Ao voltar para casa, Fabiano não diz que perdera todo o seu dinheiro com o jogo. Armado como vaqueiro, doma uma égua brava com o auxílio da mulher. O espetáculo grosseiro excitava o menor dos garotos, impressionado com a façanha do pai e disposto a fazer algo que também impressionasse o irmão mais velho e a cachorra Baleia. Quando as cabras vão ao bebedouro, levadas pelo menino mais velho e por Baleia,  o pequeno toma o bode como alvo de sua ação. Sente-se altivo como o pai quando monta. No bebedouro, despenca da ribanceira sobre o animal, que o repele. Insistente, tenta se aprumar, mas é sacudido impiedosamente, praticando um involuntário salto mortal que o deixa tonto, estatelado no chão. O irmão mais velho ri sem parar do ridículo espetáculo. Fatalmente, será repreendido pelos pais. Retira-se humilhado, alimentando a raivosa certeza de que será grande, usará roupas de vaqueiro, fumará cigarros e fará coisas que deixarão Baleia e o irmão admirados. Com a chegada do inverno, a família se reúne ao lado da fogueira para aplacar o frio causado pelo vento e pela água que agitam a paisagem fora da casa. Fabiano e Sinhá Vitória conversam enquanto seus filhos, deitados, ficam a ouvir as estórias inventadas pelo pai, de feitos que ele nunca realizara. Quando chove, dá à família a certeza de que a seca não chegará por enquanto. A chuva começa a vir em boa hora. Após a humilhação sofrida na cidade, Fabiano decide que, após a estação das chuvas e com a chegada da seca, abandonará a família e partirá para a vingança contra o soldado amarelo e demais autoridades que lhe atravessaram o caminho. No entanto, as coisas começam a melhorar e ele muda de ideia, admitindo que talvez até Sinhá Vitória possa ter a cama tão desejada. Com a chegada do Natal, todos colocam suas melhores roupas e partem para a festa na cidade. A longa caminhada torna-se ainda mais cansativa por causa daquelas roupas e sapatos apertados. O mal-estar é geral, até que Fabiano cansa-se da situação e tira os sapatos, metendo as meias no bolso, livrando-se ainda do paletó e da gravata que o sufocava. Os demais fazem o mesmo. Voltam ao seu natural. Chegando à cidade, vão todos lavar-se à beira de um riacho antes de se integrarem à festa. A igreja, com suas imagens nos altares, os encanta ainda mais. O pai espreme-se no meio da multidão, sentindo-se cercado de inimigos. Quando a família deixa a igreja e vai ver o carrossel, Fabiano afasta-se para beber uma pinga. Embriagando-se, vai ficando valente e desejoso de bater em alguém. Vez ou outra, interrompe suas imprecações para uma confusa reflexão. Cansado do seu próprio teatro, Fabiano deita-se no chão, faz das suas roupas um travesseiro e dorme pesadamente. Sinhá Vitória, aflita, tem que olhar os meninos. Tomando coragem para realizar o que mais queria naquele momento, discretamente esgueira-se para uma esquina e ali mesmo urina. Em seguida, para completar o momento de satisfação, pita num cachimbo de barro pensando numa cama igual à de Seu Tomás da bolandeira. No dia seguinte, reunida a família, todos voltam para casa. Com os pelos caídos, feridas na boca e inchaço nos beiços, Baleia se mostra tão debilitada que Fabiano se vê obrigado a sacrificá-la. Sinhá Vitória recolhe os meninos, desconfiados,  a fim de evitar-lhes a cena. Fabiano retira para si parte do que rendem os cabritos e os bezerros. Na hora de fazer o acerto de contas com o patrão, sempre tem a sensação de que está sendo enganado. Ao longo do tempo, com a produção escassa, não consegue dinheiro e endivida-se. Certo dia, mais uma vez, Fabiano pede à Sinhá Vitória para que faça as contas. O patrão, novamente, mostra-lhe outros números e lhe explica que os juros é que causam a diferença. Não convencido, ele insiste em dizer que há um engano nas contas, mas seu patrão lhe diz que se ele desconfia, que procure outro emprego. Submisso, pede desculpas e sai arrasado, pensando mesmo que sua mulher foi quem cometeu o engano. Na rua, lembra-se do dia em que foi vender um porco na cidade e o fiscal da prefeitura exigiu o pagamento do imposto sobre a venda. Na ocasião, desconversou e disse que não iria mais vender o animal. Foi à outra rua negociar e, pego em flagrante, decidiu nunca mais criar porcos. Com vontade de entrar na bodega de Seu Inácio para tomar uma pinga, lembra-se da humilhação passada ali mesmo e decide voltar para casa. Procurando uma égua fugida, Fabiano mete-se por uma vereda e tem o cabresto embaraçado na vegetação local. Facão em punho, começa a cortar as palmatórias que impedem o prosseguimento da busca. Nesse momento, depara-se com o soldado amarelo que o humilhara um ano atrás. O soldado claramente treme de medo. Fabiano, por sua vez, reconhece o desafeto antigo e pressente o perigo. No entanto, após ganhar força, o soldado lhe diz que se acha perdido. Fabiano tira o chapéu numa reverência e ensina-lhe o caminho. Quando um bando de aves invade a região, Fabiano e Sinhá Vitória inquietam-se, pois sabem que tal episódio denuncia a chegada da seca. As aves vão roubar a água do gado e, por consequência, bois e cabras morrerão. Convencidos de que têm que deixar o local o mais rapidamente possível, ele e sua mulher iniciam os preparativos para uma nova peregrinação, uma nova fuga. A situação chega a um ponto que, dos animais, só sobrou um bezerro que foi morto para servir de comida na viagem que iniciarão no dia seguinte. Partem de madrugada, abandonando tudo como encontraram. O caminho é o do sul. Assim, a cada passo arrastado do grupo, um mundo de novas perspectivas vai sendo criado. Sinhá Vitória fala e estimula o marido. Sim, deve haver uma nova terra, cheia de oportunidades, distante do sertão a formar homens brutos e fortes como eles.

COMENTÁRIOS
Baseado num livro homônimo do fabuloso escritor Graciliano Ramos, “Vidas Secas” é um excelente filme brasileiro da década de 1940. Escrito e dirigido pelo cineasta Nelson Pereira dos Santos, trata-se de uma pérola do “Cinema Novo” e do único filme nacional a ser indicado pelo British Film Institute como uma das 360 obras fundamentais em qualquer cinemateca. Sua trama gira em torno de uma família de retirantes em busca de um local onde possam viver, modesta e dignamente, longe do terror proporcionado pela terrível seca que assola certas regiões áridas do nordeste brasileiro. O trabalho de Nelson Pereira dos Santos é formidável, tendo recebido o Prêmio OCIC do Festival Internacional de Cannes, além de ser indicado ao Palma de Ouro do mesmo Festival. Trata-se, sem dúvida, de uma verdadeira obra-prima, onde a realidade e a crueldade da história impressionam. A fotografia em preto e branco e as atuações de Átila Iório e Maria Ribeiro merecem nossos aplausos.

TURISMO NO BLOG

PORTALEGRE – RN - BRASIL 

A cidade de Portalegre desponta como destino em ascensão no Rio Grande do Norte, à medida que cresce a interiorização do turismo no Estado. Segundo dados da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), Portalegre está entre os 22 municípios potiguares com potencial turístico em desenvolvimento. Esta classificação enquadra o município como possuidor de recursos naturais e culturais expressivos. O poder público começa a investir em infra-estrutura para atender o turista. Recentemente, foi reformado o Terminal Turístico da Bica e construído o Mirante. Segundo a secretária de Turismo do Município, Maria Aucely Costa (2004), os principais atrativos da cidade se subdividem em histórico-culturais, ecológicos e de eventos.

ORIGEM DA CIDADE
No final do século XVIII, foi registrado o surgimento de Portalegre através do avanço de currais de gado que se estendiam até a várzea do rio Açu/Apodi. O Capitão-mor Manoel Nogueira Ferreira ergueu a primeira fazenda do município pela necessidade de procurar paz e tranqüilidade, subindo então para a serra. A terra foi demarcada com um toro de madeira (dormentes). Daí o primeiro nome da Vila ser considerado Serra dos Dormentes. No ano de 1740, a vila teve seus primeiros e legítimos fundadores, os irmãos portugueses Clemente Gomes d’Amorim e Carlos Vidal Borromeu, casado com Margarida de Freitas, filha do Capitão-mor Manoel Ferreira. Em 1752, dona Margarida de Freitas adoeceu.  Ela e seu marido fizeram votos de cura a Nossa Senhora de Sant’Ana, construindo uma capela em homenagem à santa pela graça alcançada. O segundo nome de Portalegre veio através dessa devoção, passando a se chamar Serra de Sant’Ana. Os irmãos portugueses, fundadores da vila, antes de receber do governo as concessões da terra já faziam benfeitorias e como não havia Títulos ou Cartas de Doação, o Capitão-mor Francisco Martins arrendava as terras pertencentes a Portugal. Por isso, a mudança do nome para “Serra do Regente” (da regência).  No dia 12 de junho de 1761, a pedido do governador de Pernambuco, o juiz de Recife, Dr. Miguel Caldas Caldeira de Pina Castelo Branco, foi enviado à vila para demarcar a terra para os índios Paiacus que viviam na Ribeira do Apodi. A fundação oficial da vila de Portalegre aconteceu no dia 8 de dezembro do 1761, em virtude da Carta-Régia de 1755, e Alvará-Regio, também de 1755. Segundo Câmara Cascudo, Portalegre foi a terceira vila a ser fundada no Rio Grande do Norte, sendo antecedida de Nova Extremoz do Norte (região que atualmente pertence a Ceará-Mirim), e da vila Nova Arês. A presença dos índios está registrada no documento datado de 3 de novembro de 1825, que fala da prisão e fuzilamento dos índios na vila de Portalegre. Os índios Luisa Cantofa e João do Pego, incentivadores da revolta indígena contra os moradores da vila, conseguiram escapar. Mais tarde, Cantofa foi assassinada, acompanhada de sua neta Jandi, no momento em que rezava o Ofício. O local do assassinato fica localizado, atualmente, na Bica. Portalegre foi destaque na Revolução de 1817, conhecida como Revolução Republicana, que lutou contra o poder imperial. Por esse motivo, é considerada a capital revolucionária do Oeste Potiguar.

ATRATIVOS ECOLÓGICOS
Portalegre foi contemplada pela natureza com belas paisagens naturais. A cidade possui dois sítios arqueológicos, a Pedra do Letreiro e a Furna do Pelado, descobertos por pesquisadores do Núcleo de Arqueologia da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte. Esses sítios ainda estão sendo estudados, mas já são pontos turísticos da cidade. Ambos contêm inscrições e gravuras rupestres. As riquezas naturais são mais visitadas por quem busca momentos de reflexão, relaxamento e contato com a natureza. Um dos principais pontos é o Terminal Turístico da Bica, distante 400 metros do centro da cidade, que recentemente foi reformado pela Prefeitura. Lá existem diversas nascentes de água cristalina que brotam do solo. Também no Terminal Turístico, está a oca da índia Cantofa e onde, segundo a lenda, se pode ouvir o Ofício de Nossa Senhora. Percorrendo a natureza, guiado pelas histórias populares, pode-se visitar a região da cova de Cantofa, onde, segundo os moradores, não nasce vegetação alguma.
CACHOEIRAS - A água é um elemento bastante presente na Serra de Portalegre e configura atrativos como a Cachoeira do Pinga e a Cachoeira da Chã de Vila, as mais visitadas. Delas é possível ver o arco-íris formado pelo cair da água. Existem também alguns olhos d’água e riachos que serviram, por algum tempo, como demarcadores naturais das terras.
TRILHAS - Os mais aventureiros podem enfrentar algumas trilhas. Uma delas vai até a Serra de Martins, um percurso quase inexplorado que era feito pelos carteiros. Os trechos são fortemente marcados por subidas e descidas íngremes, mas o visual compensa o esforço. Para os que querem apenas vislumbrar a paisagem, a sugestão é ir ao Mirante, de onde se pode ter uma bela vista da serra e região vizinha.
ROCHAS - As formações rochosas da cidade encantam os turistas, como as que lembram torres de castelos medievais, de onde se pode ter a mais bela vista do município de Portalegre e cidades vizinhas. O acesso ao local se dá através de trilhas.

ATRATIVOS HISTÓRICOS
Dentre as atrações do turismo histórico-cultural, a Dança de São Gonçalo é um dos pontos altos, por ser centenária e possuir grande simbolismo para a comunidade. Também é destaque a visita às comunidades remanescentes de quilombos, mesmo sabendo-se que, apesar da tonalidade da pele, o grupo é mestiço, com brancos e índios. A Pedra do “R” é bastante visitada, porque faz referência à realeza, ou seja, ao Rei de Portugal, no período colonial. A pedra, de aproximadamente 1,50 metro de altura, tem a letra "R" esculpida em alto relevo e serviu para demarcar a segunda fazenda da vila, pertencente ao senhor Carlos Vidal Borromeu. Outro ponto turístico da cidade que preserva os traços do período colonial é o prédio onde funcionou a cadeia pública de Portalegre. Hoje, é o centro histórico. O estilo arquitetônico da era colonial ainda é percebido em algumas casas do centro da cidade e também no mercado público.  A Igreja matriz traz em suas pedras a história do povo portalegrense, assim como a sua religiosidade e fé. A padroeira Nossa Senhora da Conceição é festejada no dia da fundação da cidade, 08 de dezembro. Desse período ainda é preservada a maneira de se fazer caldo de cana, mel e rapadura. Tudo produzido em engenhos de cana-de-açúcar que geraram riquezas para os seus donos. Conhecer esses locais é como entrar em uma máquina do tempo e voltar ao passado. As casas de farinha também unem passado e presente. A forma artesanal de se trabalhar a mandioca resiste até os dias atuais. E são elas que ainda geram empregos na cidade e conseguem unir famílias para a produção.

CULTURA
A cidade de Portalegre tem um passado bastante rico em história, lendas e atividades culturais. Pode-se ressaltar a religiosidade do povo e a devoção a Nossa Senhora da Conceição. A culinária é marcada pelas tapiocas e beijus (feitos com goma de mandioca produzida na cidade). O caju e a castanha são cultivados pela população, vale ressaltar a delícia que é a cachaça com essa fruta, também, produzida na cidade. Outro grande destaque na cultura da cidade é a Dança de São Gonçalo, praticada por diversos membros da comunidade, lembrando-se que apenas negros podem dançá-la na cidade de Portalegre.

ALIMENTAÇÃO
- Cajueiro`s Drinks 
Oferece bebidas e petiscos
Localização: Sítio Lajes, a 2 quilômetros do centro da cidade.
- Center Bar
Oferece bebidas e petiscos
Localização: Praça Cel. Vicente do Rego Filho, Centro. 
- Mirante Boa Vista 
Oferece petiscos, pratos diversificados, comida típica, drinks, sucos, bebidas quentes. Ambiente aconchegante, uma vista belíssima. 
Localização: Sítio Simão Dias. Apenas 500 metros a partir do centro da cidade.
Contato: Fone: 9999-6253 (Sr.Edielson)

- Pão Nosso (Bar, Lanchonete e Pizzaria)
Oferece lanches, sorvetes, pizzas e bebidas. 
Localização: Rua Antônio de Freitas, 47 (Próximo à Prefeitura).
Contato: Fone: 377-2243.

- Restaurante Bocão
Oferece comida típica e caseira.
Localização: Centro da cidade.
- Restaurante do Hotel Portal da Serra
À la carte e self-service 
Localização: Acesso por via principal (Av.Dr. Antônio Martins), logo na entrada da cidade, sentido Portalegre-Viçosa. A 500 metros a partir do Centro da Cidade.
Contato: Fone/fax: (84) 377-2002.
E-mail: portaldaserra@hoteissabinopalace.com.br.

- Restaurante do Hotel Portalegre 
Oferece comida típica e caseira. 
Localização: Av. Dr. Antônio Martins, s/n.
- Restaurante Ranulfo 
Oferece comida típica. 
Localização: Rua Gonçalo de Freitas Nobre, s/n.


ONDE FICAR
- Hotel Portal da Serra
Dispõe de 42 aptos. 
Localização: Acesso por via principal (Av. Dr. Antônio Martins), logo na entrada da cidade, sentido Portalegre-Viçosa. A 500 metros a partir do Centro da Cidade.
Contato: Fone/fax: (84) 377-2002.

- Hotel Portalegre 
Dispõe de 02 apartamentos e 04 quartos com banheiro coletivo. 
Localização: Av. Dr. Antônio Martins, s/n. Logo na entrada da cidade, no sentido Riacho da Cruz - Portalegre.
- Pousada Brisa da Serra
Localização: Rua Raimundo Correia Viana, SN. 
Contato: Fone: (84) 377-2344

- Pousada Ranulfo
Dispõe de 03 aptos com banheiro coletivo
Localização: Rua Gonçalo de Freitas Nobre, s/n.


COMO CHEGAR
Portalegre está localizada na região Oeste do Rio Grande do Norte, distante cerca de 370 quilômetros da capital. Para chegar, a partir de Natal, deve-se seguir pela BR-304 até Açu, de lá se toma a RN-233 até Caraúbas, e em seguida a RN-117 até Umarizal. De Umarizal, pega-se a RN-078 até Riacho da Cruz, e logo a RN-177.


CIRCULA NA INTERNET

PALMITO NA SALADA
Duvida? Clique AQUI.

IMAGEM DO DIA

Uma bela imagem da Catedral de Santa Luzia na minha amada Mossoró-RN-Brasil

PIADA DO BLOG

CAUSA MORTIS
Quando o Carlão faleceu, a sua esposa Mariazinha colocou em um jornal de grande circulação de Fortaleza-CE o anúncio da morte, acrescentando que ele havia morrido de gonorréia. Logo que o jornal foi distribuído, o filósofo Alfredão muito amigo da família telefonou e protestou veementemente:
- Você sabe muito bem que ele morreu de diarréia, e não de gonorréia!!!
A viúva Mariazinha com uma voz bem calma respondeu:
- Alfredão eu cuidei do Carlão noite e dia, portanto é lógico que eu sei que ele morreu de diarréia, mas eu achei que seria melhor que se lembrassem dele como um grande amante, ao invés do grande cagão, que ele sempre foi.

TEXTO DO BLOG

SUA BENÇÃO, PAPA FRANCISCO!
 
por  Elviro Rebouças*

O argentino Jorge Mario Bergoglio, o nosso Papa Francisco,herdeiro de São Pedro no trono, nasceu em  Buenos Aires, aos 17 de dezembro de 1936, é o 266º. Papa da Igreja Católica e atual chefe de estado do Vaticano, sucedendo o Papa Bento XVI, que abdicou ao papado em 28 de fevereiro de 2013, líder de mais de um bilhão de católicos no planeta.
Homem simples, de hábitos comuns aos sábios, e que sai da Itália, pela primeira vez após o conclave que o escolheu, para visitar o país mais católico do planeta Terra, o Brasil, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, a partir do dia 22 de julho.
Melhor ocasião não haveria para recebermos a sua benção. O povo  brasileiro está nas ruas clamando por reformas sociais, por melhor padrão ético e moral dos políticos, reclamando,  e com  elevada razão, por melhores condições de vida, no que diz respeito principalmente  à saúde, educação e segurança públicas, que, constitucionalmente, são deveres do Estado, mas que infelizmente estão sendo, há décadas,  negadas ao cidadão, notadamente aos mais necessitados.
Tendo o Brasil dimensões geográficas continentais, as mazelas dessa incúria são uma chaga aberta permanentemente, de Mossoró e Natal, até o Rio de Janeiro, Brasília ou São Paulo, as três maiores cidades do País, para não falar dos pequenos rincões aonde, como na música de Chico Buarque,  o tempo vai  passando, e os governos postergando o seu papel.
O povo cansou, e depois das Diretas Já, em 1984, e no impeachment de Fernando Collor, em 1992, voltou às ruas de novo, com o seu  brado retumbante e dever cívico de dizer BASTA. Milhões estão em casa, intrinsecamente solidários aos que explicitam nas praças o clamor nacional.
Obviamente há baderneiros de ocasião que infiltrados num momento grave da cidadania,  merecem o repúdio de todos nós pelo dano causado aos patrimônios público e privado.
Mas os movimentos de legítima  revolta explodem, de forma diversa, da Amazônia ao Chui, com  o governo federal  até agora atônito, procura de forma atabalhoada uma resposta aos anseios da sociedade brasileira.
A Jornada Mundial da Juventude é um evento religioso criado pelo notável e santo  Papa João Paulo II em 1984, que consiste na reunião de milhões de pessoas católicas, sobretudo jovens. O evento é celebrado a cada dois ou três anos, numa cidade escolhida para celebrar a grande jornada em que participam pessoas do mundo inteiro. Nos anos intermédios, as Jornadas são vividas localmente, no Domingo de Ramos, pelas dioceses ao redor do mundo.
Para cada Jornada, o Papa sugere um tema. Francisco, é o primeiro papa nascido no continente americano, o primeiro pontífice não europeu em mais de 1200 anos e também o primeiro jesuíta da história. Tornou-se Arcebispo de Buenos Aires em 28 de fevereiro de 1998 e cardeal-presbítero em 21 de fevereiro de 2001, foi eleito papa em 13 de março de 2013.
O Papa Francisco é conhecido por um estilo pessoal despojado e frugal de viver. Durante seus anos como cardeal em Buenos Aires, vivia num pequeno e austero quarto atrás da Catedral Metropolitana e usava normalmente apenas transporte público, como metrô e ônibus, para se locomover, além de cozinhar a própria comida, sendo um desportista atuante, destacado, torcedor do San Lorenzo de Almagro e adepto do peronismo, quando em sua juventude.
Eleito Papa, seu crucifixo sobre a batina branca quando apareceu ao povo na sacada do Vaticano era de aço e não de ouro, como de costume com Papas anteriores. Francisco recusou o manto vermelho decorado com peles usado por Bento XVI com a alegação de que “o carnaval acabou”.
Também recusou usar os múleos, continuando a fazer uso de sapatos totalmente pretos. Mostrando desde o início do papado um novo estilo, Francisco recusou a limusine blindada papal para comparecer a um primeiro encontro, na residência de Santa Marta, no dia seguinte de sua eleição, preferindo um veículo comum, e espantou a todos ao pagar pessoalmente a conta do hotel onde se hospedou para o Conclave, hotel este pertencente à própria Igreja Católica.
Dias depois de eleito, surpreendeu o telefonista de uma ordem jesuíta em Roma, ao ligar pessoalmente querendo falar com um padre amigo e anunciando-se ao atendente – nunca outro Papa fez ligações telefônicas diretamente, sempre feitas por assessores ou por seu secretário – ouvindo de volta: “Você é o novo Papa? Ah sim, e eu sou Napoleão!.”
Na semana seguinte em que foi eleito, ele ligou direto do Vaticano para a banca da Praça de Maio, em Buenos Aires, onde comprava os seus jornais e revistas quando vivia na cidade, para cumprimentar o jornaleiro, seu amigo de muitos anos, e avisar que dificilmente voltariam a se ver. Nesta ocasião, ao ter sua chamada novamente confundida com um trote, foi chamado de “idiota”.
É o visitante ilustre que, circunflexos, recebemos, implorando: “ABENÇOE-NOS PAPA FRANCISCO”. 

(*) Elviro Rebouças é economista e empresário

INDICADORES DO BLOG

BOVESPA 

BOLSAS DO MUNDO
ÍNDICE
VARIAÇÃO (%)
VARIAÇÃO (PTS)
TOTAL (PTS)
Dow Jones - Estados Unidos
-0,01%
-1,38
15.520,59
S&P 500 - Estados Unidos
+0,04%
+0,63
1.685,96
NASDAQ COMPOSITE
+0,48%
+17,33
3.616,47
DAX Frankfurt - Alemanha
+0,15%
+11,99
8.271,02
CAC 40 - França
+0,45%
+17,70
3.986,61
Euro Stoxx 50 - Europa
+0,64%
+17,48
2.759,21
Merval - Argentina
-1,40%
-47,43
3.336,74
Nikkei 225 - Japão
+1,53%
+208,69
13.869,82
SSE Composite - China
+0,70%
+13,76
1.990,06
Hang Seng - China
+0,48%
+103,81
21.953,96
30/07/2013 20h30 | Thomson Reuters

MOEDAS
MOEDA
COMPRA (R$)
VENDA (R$)
VAR (%)
Dólar Comercial
2,2825
2,2840
+0,61%
Euro
3,0218
3,0229
-0,18%
Libra
3,4717
3,4733
-0,17%
Peso Argentino
0,4144
0,4147
-0,17%
30/07/2013 20h27 | Thomson Reuters

INFLAÇÃO
ÍNDICE
VALOR (%)
IBGE IPCA Month
0,26%
INPC IBGE (mês)
28,00%
BR IPC-FIPE infl
FIPE
IPC-DI FGV (mês)
0,08%
IGP-DI FGV (mês)
1,10%
IGP-M FGV (mês)
0,77%
IPA-DI FGV (ano)
0,00%
ICV Dieese (mês)
0,93%
30/07/2013 20h33 | Thomson Reuters

JUROS E POUPANÇA
ÍNDICE
VARIAÇÃO (%)
Selic (ano)
8,50%
CDI (ano)
8,21%
TJLP - Taxa de juros de longo prazo (trimestre)
5,00%
TR - Taxa referencial (mês)
0,0113%
Poupança (mês)
0,500%
30/07/2013 20h33 | Thomson Reuters

COMMODITIES
ÍNDICE
VARIAÇÃO (%)
VARIAÇÃO (PTS)
COTAÇÃO (US$)
Prata
-
+0,02
19,73
Platina
-
+1,50
1.436,00
Petróleo WTI
+1,07%
+1,01
95,25
Ouro
-
+0,86
1.327,55
Petróleo Brent
0,00%
0,00
106,84
Paládio
-
+0,98
728,25

30/07/2013 20h33 | Thomson Reuters                 

terça-feira, 30 de julho de 2013

CITAÇÃO DO DIA

“Eu andei sem te encontrar por quase todo lugar, eu perguntava por ti, seus passos sempre segui querendo te encontrar só pra falar de amor. Frases que nunca falei, carinhos que nunca fiz, beijos que nunca te dei, o amor que te neguei, agora quero lhe dar e te fazer feliz.” (Dominguinhos)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...

BMW LANÇA O “ELÉTRICO i3”, MAIS LEVE PARA ECONOMIZAR ENERGIA
A BMW AG lançou na segunda-feira, 29, o modelo i3, novo compacto elétrico que utiliza materiais de fibra de carbono para reduzir o peso do veículo e torná-lo mais econômico. O carro marca um novo conceito de produção que começou com a mudança da fábrica, em Leipzig, adaptada para usar energias limpas. O lançamento mundial do primeiro BMW elétrico foi feito simultaneamente em Londres, Nova York e Pequim. O presidente da empresa, Norbert Reithofer, ressaltou durante o lançamento em Nova York que o carro é o primeiro que nasceu elétrico desde o início do projeto. "O i3 é nativo elétrico", disse ele. A empresa diz que o i3, construído em Leipzig, na Alemanha, vai de zero a 100 quilômetros por hora em 7,2 segundos. O carro tem versão com modelo opcional a gasolina, com autonomia de até 300 quilômetros. O carro começa a ser vendido em novembro na Alemanha e em outros mercados europeus por preços a partir de US$ 46 mil, o equivalente a R$ 104 mil. No ano que vem o carro chega aos Estados Unidos, Japão e China. No segundo semestre de 2014, deverá estar disponível também no Brasil.

BOLSISTA NO EXTERIOR LEVA MAIS TEMPO PARA SE FORMAR NO BRASIL
Os estudantes de graduação do Ciência sem Fronteiras (programa federal de bolsas de estudo no exterior) podem levar um ano a mais para se formar no Brasil. Isso porque as universidades brasileiras não reconhecem as disciplinas feitas fora do país. No Brasil, todas as universidades --públicas e privadas-- têm grupos de disciplinas obrigatórias nos seus cursos. O modelo é diferente do de outros países. Nas universidades dos EUA, por exemplo, os alunos escolhem, com ajuda de um tutor, as disciplinas que querem cursar. O estudante de medicina Edvan Camilo Filho, da UFC (Universidade Federal do Ceará), é um dos alunos que levarão um ano a mais para se formar. Serão sete anos até obter o diploma de médico. Apesar de ter participado de um grupo de estudos de ponta em neurologia nos EUA e ter feito estágio em uma das UTIs neurológicas mais conhecidas do mundo, da Cleaveland Clinic, em Ohio, ele ainda terá de fazer as disciplinas do 4º ano do curso de medicina aqui no Brasil. Já o estudante de biotecnologia Tarsius da Silva Souza, da UFPA (Universidade Federal do Pará), teve mais sorte. A UFPA criou uma comissão para estudar o caso do aluno, que cursou disciplinas que não "existem" no Brasil na Kent State University, em Ohio. Como resultado, ele conseguiu crédito de três das seis disciplinas que teria de fazer neste ano. "A maioria das universidades nem analisa o caso dos alunos que regressam ao país", diz Helena Nader, presidente da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência). Foi a entidade que organizou o encontro entre ex-bolsistas e dirigentes do programa federal durante a reunião anual da SBPC que acontece no Recife. "As universidades brasileira têm de se modernizar e aprender a reconhecer as disciplinas de outras universidades", afirma Glaucius Oliva, presidente do CNPq --principal agência de financiamento à ciência e uma das responsáveis pelo programa. Conforme a Folha apurou, as universidades estão "contrariadas" por não terem participado da discussão do Ciência sem Fronteiras. De fora de todo o processo, acabaram recebendo a "batata quente" agora e não sabem como agir. "As universidades receberam os estudantes de volta sem se preparar e não sabem o que fazer", disse uma fonte do governo federal. Até o final do ano, o programa pretende chegar a 50 mil estudantes de graduação e de pós-graduação enviados ao exterior.

TABLETS E NOTEBOOKS CHEGAM MAIS PERTO DE EXTINGUIR PC DE MESA
Dois estudos mostram uma situação que, gradativamente, pode colocar a espécie dos desktops em extinção. Divulgada pela IDC no final de junho, uma projeção indica que as vendas de tablets vão superar as de computadores de mesa ainda neste ano -enquanto o primeiro grupo ficaria com 5,8 milhões de unidades vendidas, o segundo teria 5,5 milhões. Já outra pesquisa apontou um dado até então inédito no país: notebooks já superam os desktops como o principal computador dos consumidores residenciais brasileiros, segundo estudo feito pela consultoria CVA Solutions e antecipado pela Folha em abril deste ano. De acordo com os dados, os portáteis agora representam 55,6% dos equipamentos domésticos, ante 42,4% dos PCs e 2% dos tablets. O número inverte a proporção calculada há apenas um ano, quando os computadores de mesa ainda eram maioria nos lares brasileiros. Nas vendas, entretanto, a tendência reversa já acontecia no país desde 2011, segundo a CVA Solutions. Dentro da projeção mundial para este ano no Brasil, a IDC afirma que as vendas de computadores (que incluem tanto notebooks quanto ultrabooks e desktops) vão diminuir cerca de 8%. O número representa um total calculado em 14,2 milhões de máquinas. O número é próximo ao que a indústria registrou há três anos.
A notícia, entretanto, pode ser ruim para a indústria nacional, que tem um desempenho sensivelmente melhor no mercado de computadores de mesa do que no de notebooks e tablets. De acordo com uma pesquisa realizada em fevereiro pela consultoria CVA, a Positivo é a marca de desktop mais presente nas casas do país, com 12,1% dos equipamentos existentes. A participação somada das empresas brasileiras no segmento chega a quase 35%. Já entre os notebooks, a Positivo, de novo a mais bem colocada entre as fabricantes brasileiras, vai para a quinta posição, enquanto a participação total das marcas nacionais cai para 21,4%. Nesse ranking, a liderança fica com a americana Dell, que tem fábrica no Brasil. "No desktop, o conceito de marca é fraco: o monitor, por exemplo, pode ser da Samsung e a CPU, não. No dispositivo móvel a marca dá status. Como as estrangeiras são mais fortes que as nacionais, levam vantagem", diz Sandro Cimatti, sócio-diretor da CVA. "É mais legal exibir um Apple que um Positivo", resume Cimatti.