Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

quinta-feira, 27 de abril de 2017

NOTÍCIA DA HORA

LANÇAMENTO DO LIVRO “PODE ENTRAR QUE A CASA É SUA” EM MOSSORÓ-RN
Na sede da OAB, avenida Duodécimo Rosado, 1125, bairro Nova Betânia, a partir das 19:30h de hoje, 27 de abril, o médico e amigo Silvério Soares lançará o livro "PODE ENTRAR QUE A CASA É SUA", uma obra que narra à vida do seu pai, ex-prefeito de Mossoró, Raimundo Soares de Sousa. A apresentação será feita pelo também médico e escritor Paulo Negreiros. Se você quer participar de momentos mágicos, únicos, programe-se para ir e prestigiar. Lá você vai encontrar o médico gastroenterologista e gente do bem Silvério Soares de Sousa Neto, cercado de familiares e amigos, muitos amigos, do mundo político e social de Mossoró.

CITAÇÃO DO DIA

“Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho sem necessariamente ter que depois mostrar performances dignas de um atleta olímpico, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão "apenas" dormir abraçados, sabe, essas coisas simples que perdemos nessa marcha de uma evolução cega.”  (ARNALDO JABOR)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...

APÓS DOIS MESES DE ALTA, ARRECADAÇÃO FEDERAL VOLTA A RECUAR EM MARÇO
Depois de dois meses de aumento real (acima da inflação), a arrecadação de impostos, contribuições federais e das "demais receitas" voltou a registrar queda em março, informou na quarta-feira (26) a Secretaria da Receita Federal. No mês passado, a arrecadação somou R$ 98,99 bilhões, com queda real (números corrigidos pela inflação) de 1,16% frente a março de 2016. A comparação com período igual do ano anterior é considerada a mais apropriada por especialistas. Ao contrário dos últimos meses, a Receita Federal não divulgou o resultado da arrecadação total de anos anteriores a 2016. Com isso, não é possível saber em que lugar a arrecadação do mês passado se situa na série histórica. O Fisco informou que pode divulgar posteriormente estes números. Em janeiro e fevereiro deste ano, a arrecadação teve crescimento principalmente por conta do desempenho das receitas não administradas pelo Fisco - que são as cobranças feitas por outros órgãos do governo, como os "royalties" do petróleo. Em março, essa arrecadação voltou a subir em termos reais (27,75% sobre março de 2016), mas isso não foi suficiente para impedir um tombo da arrecadação total. A arrecadação segue influenciada pela a atividade econômica, que continua em patamar baixo. De dezembro de 2016 a fevereiro de 2017, a produção industrial teve pequena alta de 0,2%, mas as vendas de bens recuaram 3,93% e, as vendas de serviços, caíram 4,8%.
PRIMEIRO TRIMESTRE
No primeiro trimestre deste ano, porém, os números do Fisco mostram que a arrecadação registrou pequeno aumento real, de 0,08% sobre o mesmo período do ano passado, para R$ 328,74 bilhões. De acordo com o Fisco, contribuiu para aumento marginal da arrecadação nos três primeiros meses deste ano o pagamento mensal do IRPJ e da CSLL, por estimativa, com alta de R$ 4,5 bilhões neste período, além dos reajustes salariais, em especial do setor público, que contribuíram para o aumento real de 4,98% na arrecadação do IRRF. Os ganhos de capital na alienação de bens também ajudou no aumento da arrecadação do Imposto de Renda das Pessoas Físicas (IRPF) em 15,94%, mas no ajuste anual do IRPJ/CSLL, encerrado em março, apontou para um queda de R$ 1,5 bilhão na arrecadação.
META FISCAL
O comportamento da arrecadação é importante para o governo tentar atingir a meta fiscal. Para todo ano de 2017, o objetivo foi fixado em um déficit primário (despesas maiores do que receitas, sem contar os juros da dívida pública) de até R$ 139 bilhões para as contas do governo. Recentemente, o governo anunciou um bloqueio de R$ 42,1 bilhões em gastos na peça orçamentária deste ano e um aumento da tributação sobre a folha de pagamentos, com arrecadação extra prevista de R$ 4,8 bilhões em 2016 e de R$ 1,2 bilhão com a instituição do IOF para cooperativas, para tentar atingir a meta fiscal deste ano. No ano passado, o rombo fiscal somou R$ 154,2 bilhões, o maior em 20 anos. Em 2015, o déficit fiscal totalizou R$ 115 bilhões. A consequência de as contas públicas registrarem déficits fiscais seguidos é a piora da dívida pública e mais pressões inflacionárias. Os analistas das instituições financeiras, porém, preveem que a meta fiscal não será cumprida em 2017. Estimativa do mercado feita em fevereiro, e divulgada recentemente, aponta para um rombo de R$ 149,64 bilhões nas contas do governo neste ano, acima da meta fiscal. A crise econômica, e os rombos sucessivos nas contas públicas, já provocaram a retirada do chamado "grau de investimento" - uma recomendação para investir no país - pelas três maiores agências de classificação de risco (Standard & Poors, Fitch e Moody´s).

CIENTISTAS DESENVOLVEM ÚTERO ARTIFICIAL PARA AJUDAR BEBÊS PREMATUROS
Cientistas nos Estados Unidos desenvolveram um útero artificial a partir de uma bolsa preenchida por fluido, conhecida como um suporte extrauterino que pode transformar o tratamento de bebês que nascem extremamente prematuros, aumentando significativamente as chances de sobrevivência. Em estudos pré-clínicos com cordeiros, os pesquisadores conseguiram simular o ambiente do útero e as funções da placenta, dando a prematuros a oportunidade crucial para desenvolver os pulmões e outros órgãos. Aproximadamente 30 mil bebês, somente nos Estados Unidos, nascem prematuros em estado crítico --entre 23 e 26 semanas de gestação, disseram os pesquisadores a repórteres por telefone. Nesse período, um bebê pesa um pouco mais do que 500 gramas, seus pulmões ainda não conseguem lidar com o ar e suas chances de sobrevivência são mínimas. A taxa de morte é de até 70 por cento, e aqueles que sobrevivem enfrentam deficiências por toda a vida. "Esses bebês têm uma necessidade urgente de uma ponte entre o útero da mãe e o mundo exterior", disse Alan Flake, um cirurgião especializado no Hospital de Crianças da Filadélfia que liderou o desenvolvimento do novo dispositivo. O objetivo da equipe, disse Flake, era desenvolver um sistema extrauterino pelo qual bebês extremamente prematuros poderiam ficar suspensos em câmaras preenchidas por fluido por algumas semanas vitais até chegarem a idade de 28 semanas, quando suas chances de sobrevivência aumentam drasticamente. Pode demorar mais 10 anos, mas até lá Flake espera ter um dispositivo licenciado no qual bebês que nascem muito prematuramente têm a chance de se desenvolver em câmaras preenchidas por fluido, em vez de incubadoras com ventilação mecânica.

FUNDADOR DA WIKIPÉDIA LANÇA SITE COLABORATIVO PARA COMBATER NOTÍCIAS FALSAS
Jimmy Wales, o fundador da enciclopédia online Wikipédia, lançou um site com o objetivo de conter a difusão de notícias falsas. A publicação reúne jornalistas profissionais e uma comunidade de voluntários para produzir reportagens. A nova plataforma, chamada de Wikitribune, terá acesso gratuito e nenhuma propaganda, e dependerá de seus leitores para financiamento. Segundo Wales, a veracidade das reportagens será facilmente verificada porque o material usado como fonte também será publicado. "O jornalismo está quebrado, mas nós descobrimos como consertá-lo", afirma Wales em um vídeo promocional publicado na página inicial do site. A proliferação online de notícias falsas, algumas geradas para buscar lucro ou com fins políticos, se tornou um grande motivo de preocupação e debate em muitos países durante a eleição presidencial dos Estados Unidos. E ela continua, como mostra agora a eleição na França. Wales argumenta no vídeo que como as pessoas esperam acessar reportagens de graça na internet, sites de notícia dependem do dinheiro de anúncios, o que cria fortes incentivos para gerar as chamadas "iscas de cliques", como manchetes chamativas para atrair os leitores. "Isso é um problema porque anúncios são baratos, a competição por cliques é feroz e porque fontes de notícia de baixa qualidade estão por todo lado", diz Wales. A página inicial da Wikitribune informa que a plataforma irá ao ar em 29 dias. O comunicado também indica que a plataforma pretende contratar 10 jornalistas. É ou não é?’, seção de fact-checking (checagem de fatos) do G1, tem como objetivo conferir os discursos de políticos e outras personalidades públicas e atestar a veracidade de notícias e informações espalhadas pelas redes sociais e pela web. Sugestões podem ser enviadas pelo VC no G1, pelo Fale Conosco ou pelo Whatsapp/Viber, no telefone (11) 94200-4444, com a hashtag #eounaoe (caso prefira, a hashtag pode ser enviada logo após a mensagem também!)

RIVISTA DO MINO




Hermínio Macêdo Castelo Branco (Mino) é cearense, natural de Fortaleza. Filho de Francisca Macêdo e Raimundo Castelo Branco, nasceu no dia 3 de maio de 1944. Formado em Direito pela UFC (inscrito na OAB), a lista de suas atribuições é extensa: desenhista, artista plástico, cartunista, programador visual, projetista gráfico, poeta bissexto, livre pensador, autor de histórias, fábulas e contos infantis, ilustrador e publicitário. Trabalhando em agências de publicidade e colaborando com quase todos os jornais de Fortaleza, passou vários anos dedicado ao trabalho de criação de marcas, programação visual e projetos gráficos. Edita sua própria publicação mensal "RIVISTA", distribuída através da editora "RISO" (de sua propriedade) para vários colégios no Ceará. RIVISTA contém toda a diversificação de seu trabalho: fábulas, contos, frases, pensamentos, artigos, poesias, ilustrações e cartuns. O "Blog do Borjão" em homenagem ao Mino disponibiliza às 5ª feiras o tópico "RIVISTA DO MINO".

SAÚDE NO BLOG

PSICÓLOGA EXPLICA O QUE É TRANSTORNO BIPOLAR, DOENÇA VIVIDA POR DEMI LOVATO 

por Bruna Nastas

No final de 2016, a cantora Demi Lovato falou em entrevista à 'People' sobre sua bipolaridade. "Se você conhece alguém que está lidando com isso ou se você mesmo está passando por isso, saiba que é possível viver bem. Sou a prova viva disso", disse na época.
Além dela, outros famosos como Jean-Claude Van Damme, Cássia Kis e Maurício Mattar também assumiram publicamente a doença.
A psicóloga Maíra Madeira explica que essa é uma doença sem cura, caracterizada pela alternância de humor, com momentos de euforia e outros de depressão, intercalando ainda com períodos de normalidade. "A pessoa apresenta episódios em que fica com o humor exaltado, ou eufórico, constituindo a fase maníaca e também pode apresentar episódios em que fica com o humor rebaixado, muito triste, melancólico, constituindo a fase depressiva".
Segundo ela, o transtorno costuma se manifestar na adolescência ou no início da vida adulta. "As causas podem envolver inúmeros fatores como desregulações nos neurotransmissores cerebrais ou neuroendócrina, alterações cerebrais, fatores genéticos onde a incidência do transtorno bipolar é bem maior em parentes de pessoa que tem o transtorno do que na população geral, e é mais alta quanto mais próximo o parentesco e maior ainda em se tratando de gêmeos idênticos; fatores psicossociais com acontecimentos na vida, entre outros".
A profissional diz que os familiares e amigos ajudam na identificação da doença. "Ao notar essas alterações em algum familiar deve-se tentar convencê-lo a aceitar ajuda, estimulando-a buscar tratamento adequado com equipe multidisciplinar (psiquiatra, neurologista e psicólogos), pois a intervenção precoce pode evitar recaídas".
O tratamento inclui acompanhamento psicológico, tratamento medicamentoso e orientação psicoeducacional. A terapia cognitivo-compornamental, por exemplo, é um dos que mostra resultados favoráveis. "A orientação psicoeducacional auxilia no esclarecimento sobre sintomas e causas para os pacientes e familiares, além dos riscos e quais atitudes tomar durante a depressão ou a mania, como se preparar para as recorrências, entre outras. Outra questão a ser aprendida é como lidar com uma nova crise, evitando decepção, frustração, desesperança, além de prevenir consequências prejudiciais que são fundamentais na recuperação", conclui. 

CIRCULA NA INTERNET

KIBE LOCO EM REVISTA (PARTE 33)
Senhoras e senhores, com vocês, a nova capa de seção “KIBE LOCO EM REVISTA”…

IMAGEM DO DIA

Uma bela imagem na região Praia das Fontes - CE - Brasil.

PIADA DO BLOG

RESPOSTA SAFADA DO MARIDO
O marido chega de viagem e a sua ciumenta mulher lhe pergunta:
- O que significa este cabelo loiro no seu paletó?
E o marido, tentando se safar, responde:
- Significa que você não manda lavar meus ternos desde quando oxigenava seus cabelos, querida.

TEXTO DO BLOG

CONSTELLATION
por Luis Fernando Veríssimo*

Minha primeira viagem de avião durou quatro dias. Porto Alegre a Miami. Não, o piloto não era o Santos Dumont. E não, não ficamos quatro dias no ar. Ia-se de Porto Alegre ao Rio de Janeiro num daqueles Douglas do tamanho aproximado de uma turbina dos jatos de hoje. No dia seguinte fazia-se o trecho Rio-Recife. No outro, Recife-Trinidade, no Caribe. Finalmente Trinidade-Miami.
Chegava-se alguns quilos mais magro, pois uma das atividades de bordo, nos aviões da época, era vomitar. O avião não precisava jogar para você vomitar. O avião não precisava nem decolar. O cheiro do interior dos aviões induzia ao vômito.
É a isso, crianças, que se referem aqueles saquinhos de papel com as palavras “Para indisposição”. Quer dizer “Vomite aqui em vez de no vizinho”.
Hoje ninguém vomita mais em avião, mas os saquinhos permanecem, talvez prevendo algum regurgitador nostálgico.
Com vômito e tudo, viajar de avião era coisa fina. As mulheres se vestiam com o melhor que tinham para entrar num avião. Os homens usavam gravata.
Me lembro de quando apareceu o Constellation” o avião mais bonito já construído até hoje. O fino do fino passou a ser viajar num ‘Constellation”.
Nada representava melhor a elegância de voar do que aquele avião comprido com algo de garça no seu formato.
Ouviam-se maravilhas da sua velocidade a turbo-hélices e do seu requintado serviço de bordo.
Nunca entrei num Constellation, que por isso mesmo ficou para mim como uma referência mítica, o símbolo de viajar com classe, ou simplesmente do prazer de ir para longe sendo bem tratado.
Jamais viajei tão bem quanto dentro de um Constellation na minha imaginação.
Estas lembranças são só para comentar como voar mudou, não só porque se massificou e os aviões ficaram maiores, mais rápidos e, apesar de tudo, mais seguros (e não cheiram mais), mas porque se perdeu aquela aura de prazer que começava no aeroporto, na expectativa de embarque numa experiência rara. Aquele espírito de Constellation imaginário.
Com o agravante das atuais medidas anti-terrorismo, o prazer antegozado virou martírio compartilhado, aqui, nos Estados Unidos e no resto do planeta. E não é preciso nem falar nas poltronas em que cabe só meio Jô Soares.
Hoje, em todos os aeroportos neurotizados do mundo, há um Constellation fantasma pousado no pátio, dizendo “Nunca mais, nunca mais”.

(*) Luis Fernando Veríssimo é escritor

INDICADORES DO BLOG

BOVESPA
O principal índice da bolsa paulista fechou em queda na quarta-feira (26), com investidores avaliando uma série de resultados corporativos de primeiro trimestre e à espera do andamento da reforma trabalhista. O Ibovespa caiu 0,44%, a 64.861 pontos. No mês, o índice acumula queda de 2,70%. No ano, o Ibovespa acumula alta de 7,69%.
COMMODITIES

UNIDADE
COMPRA
VENDA
VARIAÇÃO
Petróleo (Brent)
Barril
US$ 49,050
US$ 49,070
+1,28%
Ouro
Onça troy
US$ 1269,360
US$ 1270,130
+0,09%
Prata
Onça troy
US$ 17,490
US$ 17,540
+0,15%
Platina
Onça troy
US$ 950,400
US$ 952,000
-0,21%
Paládio
Onça troy
US$ 809,220
US$ 814,770
+0,25%

CÂMBIO


COMPRA
VENDA
VARIAÇÃO
Dólar com.
3,1715
3,1730
+0,68%
Dólar tur.
3,0200
3,3300
+0,6%
Euro
3,4635
3,4646
+0,65%
Libra
4,0773
4,0813
+0,99%
Pesos arg.
0,2051
0,2053
+0,44%

INDICADORES

VALOR
ATUALIZAÇÃO
Salário Mínimo
R$ 937,00
2017
Global 40
+112,32%
26.Abr.2017
TR
+0,08%
26.Abr.2017
CDI
+11,13%
26.Abr.2017
SELIC
+11,25%
12.abr.2017

INFLAÇÃO
ÍNDICE
MÊS
VALOR
IPCA
mar.17
+0,25%
IPC-Fipe
mar.17
+0,14%
IGP-M
mar.17
+0,01%
INPC
fev.17
+0,24%





quarta-feira, 26 de abril de 2017

CITAÇÃO DO DIA

“Para entender o coração e a mente de uma pessoa, não olhe para o que ela já conseguiu, mas para o que ela aspira.”  (KAHLIL GIBRAN)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...

MERCADO REDUZ ESTIMATIVA DE INFLAÇÃO E VÊ ALTA MAIOR DO PIB EM 2017
Os economistas do mercado financeiro estimam um comportamento melhor para a inflação neste ano e, também, uma alta maior do Produto Interno Bruto (PIB) em 2017. As expectativas dos analistas do mercado financeiro foram coletadas pelo Banco Central na semana passada e divulgadas nesta segunda-feira (24) por meio do relatório de mercado, também conhecido como Focus. Mais de cem instituições financeiras foram ouvidas. Para o comportamento do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2017, a "inflação oficial" do país, o mercado baixou sua previsão de 4,06% para 4,04%. Foi a sétima redução seguida do indicador. Com isso, manteve a expectativa de que a inflação deste ano ficará abaixo da meta central, que é de 4,5%. A meta de inflação é fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e deve ser perseguida pelo Banco Central, que para isso eleva ou reduz a taxa de juros (Selic). A meta central de inflação não é atingida no Brasil desde 2009. Naquele momento, o país ainda sentia os efeitos da crise financeira internacional de forma mais intensa, que acabou se espalhando pelo mundo. Pelo sistema vigente no Brasil, a meta de inflação é considerada formalmente cumprida quando o IPCA fica dentro do intervalo de tolerância também fixado pelo CMN. Para 2017, esse intervalo é de 1,5 ponto percentual para baixo ou para cima do centro da meta. Assim, o BC terá cumprido a meta se o IPCA terminar este ano entre 3% e 6%. No ano passado, a inflação ficou acima da meta central, mas dentro do intervalo definido pelo CMN. Já em 2015, a meta foi descumprida pelo BC - naquele ano, a inflação superou a barreira dos 10%. Para 2018, a previsão do mercado financeiro para a inflação recuou de 4,39% para 4,32%. O índice está abaixo da meta central de inflação para o período (4,5%) e também do teto de 6% fixado para o ano que vem.
PRODUTO INTERNO BRUTO
Para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2017, o mercado financeiro elevou sua estimativa de crescimento de 0,40% para 0,43%. O PIB é a soma de todos os bens e serviços feitos no país, independentemente da nacionalidade de quem os produz, e serve para medir o comportamento da economia brasileira. Em 2016, o PIB brasileiro caiu pelo segundo ano seguido e confirmou a pior recessão da história do país, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para 2018, os economistas das instituições financeiras mantiveram sua estimativa de expansão do PIB estável em 2,50%.
TAXA DE JUROS
O mercado financeiro manteve sua previsão para a taxa básica de juros da economia, a Selic, em 8,5% ao ano no fechamento de 2017. Ou seja, os analistas continuam estimando novas reduções de juros neste ano. Atualmente, a Selic está em 11,25% ao ano. Para o fechamento de 2018, a estimativa dos economistas dos bancos para a taxa Selic continuou em 8,5% ao ano. Com isso, estimaram que os juros ficarão estáveis no ano que vem. A taxa básica de juros é o principal instrumento do BC para tentar conter pressões inflacionárias. A instituição tem de calibrar os juros para atingir índices pré-determinados pelo sistema de metas de inflação brasileiro. As taxas mais altas tendem a reduzir o consumo e o crédito, o que pode contribuir para o controle dos preços. Entretanto, também prejudicam a economia e geram desemprego.
CÂMBIO, BALANÇA E INVESTIMENTOS
Na edição desta semana do relatório Focus, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2017 permaneceu em R$ 3,23. Para o fechamento de 2018, a previsão dos economistas para o dólar recuou de R$ 3,40 para R$ 3,38. A projeção do relatório Focus para o resultado da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações) em 2017 subiu de US$ 52 bilhões para US$ 53 bilhões de resultado positivo. Para o próximo ano, a estimativa dos especialistas do mercado para o superávit ficou estável em US$ 42 bilhões. A projeção do relatório para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil em 2017 ficou estável em US$ 75 bilhões. Para 2018, a estimativa dos analistas permaneceu inalterada também em US$ 75 bilhões.

CRESCIMENTO CONSTANTE: TAXA DE SUICÍDIO ENTRE JOVENS SOBE 10% DESDE 2002
De assunto mantido entre quatro paredes a tema de série na internet, o suicídio de jovens cresce de modo lento, mas constante no Brasil: dados ainda inéditos mostram que, em 12 anos, a taxa de suicídios na população de 15 a 29 anos subiu de 5,1 por 100 mil habitantes em 2002 para 5,6 em 2014 - um aumento de quase 10%. Os números obtidos com exclusividade pela BBC Brasil são do Mapa da Violência 2017, estudo publicado anualmente a partir de dados oficiais do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde. Um olhar atento diante de uma série histórica mais longa de dados permite ver que o fenômeno não é recente nem isolado sobre o que acontece com a população brasileira. Em 1980, a taxa de suicídios na faixa etária de 15 a 29 anos era de 4,4 por 100 mil habitantes; chegou a 4,1 em 1990 e a 4,5 em 2000. Assim, entre 1980 a 2014, houve um crescimento de 27,2%. Criador do Mapa da Violência, o sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz destaca que o suicídio também cresce no conjunto da população brasileira. A taxa aumentou 60% desde 1980. Em números absolutos, foram 2.898 suicídios de jovens de 15 a 29 anos em 2014, um dado que costuma desaparecer diante da estatística dos homicídios na mesma faixa etária, cerca de 30 mil. "É como se os suicídios se tornassem invisíveis, por serem um tabu sobre o qual mantemos silêncio. Os homicídios são uma epidemia. Mas os suicídios também merecem atenção porque alertam para um sofrimento imenso, que faz o jovem tirar a própria vida", alerta Waiselfisz, coordenador da Área de Estudos da Violência da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso). O sociólogo aponta Estados do Centro-Oeste e Norte em que a taxa de suicídio de jovens é maior, num fenômeno que os especialistas costumam associar aos suicídios entre indígenas: Mato Grosso do Sul (13,6) e Amazonas (11,9). Na faixa etária de 15 a 29 anos, a taxa de suicídio tem se mantido sempre um pouco acima da verificada na população brasileira como um todo, segundo a publicação "Os Jovens do Brasil", lançada por Waiselfisz em 2014, com um capítulo sobre o tema. Segundo a publicação, o Brasil ainda apresenta taxas de suicídio relativamente baixas na comparação internacional feita com base em dados compilados pela ONU. Em países como Coreia do Sul e Lituânia, a taxa no conjunto da população supera 30 por 100 mil habitantes; entre jovens, supera 25 por 100 mil habitantes na Rússia, na Bielorússia e no Cazaquistão. Em números absolutos, porém, o Brasil de dimensões continentais ganha visibilidade nos relatórios: é o oitavo país com maior número de suicídios no mundo, segundo ranking divulgado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) em 2014.
DEPRESSÃO, DROGAS, ABUSOS E BULLYING
O suicídio na juventude intriga médicos, pais e professores também pelo paradoxo que representa: o sofrimento num período da vida associado a descobertas, alegrias e amizades, não a tristezas e morte. O tema foi debatido numa roda de conversa organizada pelo Centro Acadêmico Sir Alexander Fleming (Casaf), do curso de Medicina da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), com a presença de estudantes e professores. Segundo especialistas ouvidos pela BBC Brasil, o problema é normalmente associado a fatores como depressão, abuso de drogas e álcool, além das chamadas questões interpessoais - violência sexual, abusos, violência doméstica e bullying. A cientista política Dayse Miranda, coordenadora do Grupo de Estudo e Pesquisa em Suicídio e Prevenção da UERJ, participou do debate e destacou os relatos dos estudantes. "Fiquei impressionada como os alunos falaram de sofrimento, seja deles, seja a dificuldade para lidar com o sofrimento de outros jovens, além do uso excessivo de medicamentos, que eles naturalizam", afirma. "Um deles disse considerar impossível um aluno passar pelo terceiro ano de Medicina sem usar remédios para ansiedade e depressão". A coordenadora-geral do centro acadêmico de Medicina, Elisabeth Amanda Gomes Soares, de 22 anos, aluna do sexto período, diz que a intenção ao promover o evento foi debater a saúde mental do estudante. Segundo ela, o aluno de Medicina muitas vezes acaba se distanciando das questões mais humanas e esquece a vida social e familiar para se dedicar ao curso, sucumbindo às pressões. "É muita cobrança por competitividade, nota, sucesso, presença... Temos de discutir isso dentro do curso, é um tema ainda pouco falado", afirma. Dayse Miranda destaca, entre os jovens que cometem suicídio, o grupo que tem de 15 a 24 anos. "É um período que inclui adolescência, problemas amorosos, entrada na faculdade, pressão social pelo sucesso... Depois dos 25 anos, já é um jovem adulto, as preocupações mudam, já são mais relacionadas a emprego", avalia. "Também alerto não ser possível falar do jovem como um grupo único. Há diferenças entre grupos sociais. O aluno de Medicina é parte de uma elite. Como é em outros grupos? Temos de discutir esse tema seriamente, pois o problema vem crescendo."
AMBIENTE ESCOLAR
Psiquiatra da infância e da adolescência e pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Carlos Estelita estuda a interface entre o suicídio e outros fenômenos violentos - desde famílias que vivem em comunidades urbanas tomadas por tiroteios e vivem o estresse diário dos confrontos até jovens indígenas que se sentem rejeitados tanto por suas tribos como por grupos brancos. O bullying no ambiente escolar é citado por ele como um dos principais elementos associados ao suicídio. "Pessoas que seguem qualquer padrão considerado pela maioria da sociedade como desviante, seja o tênis diferente, a cor da pele, o peso, o cabelo ou a orientação de gênero, são hostilizadas continuamente e entram em sofrimento psíquico", afirma Estelita, professor do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde, ligado à Fiocruz. "Temos de alertar também para a transformação do modelo tradicional de família e para o fato de que a escola nem sempre consegue incluir esse jovem". Outra dificuldade é falar do assunto com jovens. Muitas vezes, estratégias que funcionam com adultos não têm o mesmo resultado quando usadas com adolescentes - e, entre as peculiaridades desse grupo, está a forma como usa a internet e as redes sociais. A rede vem sendo palco para grupos que não só romantizam o suicídio, mas exortam jovens a cometê-lo, usando a falsa ideia do desafio. O psiquiatra sublinha a necessidade de uma política nacional de atendimento a urgências, pois, muitas vezes, os profissionais não sabem como lidar com casos de tentativas de suicídio. A psicóloga Mariana Bteshe, professora da Uerj, diz que os pais devem estar atentos a qualquer mudança brusca no comportamento do jovem, como, por exemplo, um adolescente expansivo que, de repente, fica introspectivo, agressivo, tem insônia, dorme demais ou passa muito tempo no quarto. Mais uma vez, o alerta especial vai para o uso da internet, e Bteshe lista, na contramão do jogo que incentivaria o suicídio, iniciativas que tentam combater a depressão e lançam desafios "do bem", como o jogo da Baleia Rosa. "Muitas vezes o jovem fica muito tempo na internet, e os pais não sabem o que ele anda vendo ou com quem anda falando. É preciso que a família, mantendo a privacidade do jovem, busque uma forma de contato com ele e abra um espaço de diálogo", afirma a psicóloga, que defendeu na Fiocruz uma tese de doutorado sobre suicídio. Bteshe reitera que silenciar sobre suicídio não ajuda a combater o problema. Este é um dos tabus associados ao tema, o chamado "Efeito Werther" - a ideia de que falar de suicídio pode inspirar ondas de casos por imitação. O nome vem do protagonista do livro "Os sofrimentos do jovem Werther", de Goethe, publicado em 1774, sobre um rapaz que se suicida após um fracasso amoroso e cujo exemplo teria provocado outros suicídios de jovens. Atualmente, diz a psicóloga, a diretriz da OMS é abordar o tema sem glamour, sem divulgar métodos e sem apontar o suicídio como solução para os problemas - agindo sem preconceito e oferecendo ajuda a quem precisa.

ESQUADRÃO NERD COMBATE DESMATAMENTO NA AMAZÔNIA
Nas profundezas da floresta amazônica, um esquadrão de nerds está à solta. Um de seus membros estudava oceanografia do Ártico na Alemanha. O comandante era professor de Ciências do ensino médio. Juntos formam uma das mais temidas unidades de combate da América Latina, nas fronteiras da luta contra o desmatamento. O comandante da equipe, Roberto Cabral, riu quando perguntei como juntou esse Esquadrão de Elite de nerds. “No universo das atividades ilegais da Amazônia existe desmatamento, mineração de ouro, caça, madeireiras e tráfico de animais”, afirmou. “Queremos combater esse comércio usando a cabeça e nossa presença aqui”. O Grupo Especializado de Fiscalização (GEF), opera em algumas das regiões mais sem lei da Bacia do Amazonas. Parte do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a agência de proteção ambiental, o grupo geralmente faz patrulha de helicóptero, usando imagens de satélite e informações de inteligência, para detectar o desmatamento e sinais de mineração ilegal.
DO ALTO
“É preciso ver a Amazônia do alto para ter ideia do tamanho da devastação”, afirmou Maurício Brichta, de 44 anos, oceanógrafo especializado no estudo das algas do Ártico pelo Instituto Alfred Wegener. “Como você pode imaginar”, acrescentou com um sorriso, “não havia muita demanda no Brasil para especialistas em Ártico”. Antes dessa fase em sua vida, ele cuidava dos filhos em Jacarta e Nova York, cidades onde sua ex-mulher trabalhava como diplomata do Ministério das Relações Exteriores. Depois de voltar ao Brasil, Brichta afirmou que foi atraído pelo idealismo do Ibama e por seu sucesso em controlar o desmatamento, que atingiu níveis alarmantes no início da década passada. Como quase todos os integrantes da unidade - que inclui engenheiros florestais, um biólogo, um especialista em pesca e até uma pessoa que costumava trabalhar com publicidade -, Brichta conta que nunca imaginou que iria pegar em armas para proteger a Amazônia. Foi aprovado no GEF depois de resistir a um trajeto de sobrevivência na floresta, no qual saltou de helicóptero, enfrentou trilhas na mata fechada, picadas de cobra, longos períodos sem comer nem dormir, além de treinar com armas e facas.
COMBATE 
Hoje participa de ações em um grupo vestido com roupa de combate, colete e capacete à prova de balas - e com rifles de assalto Taurus cruzados sobre o ombro, como a reportagem acompanhou nos extremos do Maranhão. Entrando em territórios indígenas, onde as madeireiras saem em busca de madeira de lei, o esquadrão viu do alto uma serraria improvisada perto da fronteira com o Território Indígena do Alto Turiaçu, onde vive o povo Ka’apor. Os membros, alguns escondendo o rosto com capuzes, temendo retaliações, entraram rapidamente em ação. Eles atearam fogo na serraria e destruíram duas fornalhas usadas para fazer carvão, antes de subirem novamente nos helicópteros para saírem em busca de um novo alvo. Alguns minutos depois, pousaram novamente em outro local. A unidade ateou fogo ao trator e à serra elétrica antes de sair em busca dos lenhadores. Pingando suor ao subirem no helicóptero, os membros do esquadrão conseguiam ver a fumaça saindo dos veículos destruídos: uma pequena vitória na luta contra o desmatamento.

CINEMA NO BLOG

AMA-ME COM TERNURA (1956)
Love me tender

FICHA TÉCNICA
Outros Títulos:
Le cavalier du crépuscule (França)
Fratelli rivali (Itália)
Ámame tiernamente (Espanha)
La mujer robada (Chile)
La novia robada (México)
Hermanos y rivales (Venezuela)
Pulverdampf und heiße Lieder (Alemanha)
Duell i Texas (Suécia) 
Pais:
Estados Unidos
Gênero:
Faroeste, Romance, Música
Direção:
Robert D. Webb
Roteiro:
Robert Buckner
Produção:
David Weisbart
Música Original:
Lionel Newman
Fotografia:
Leo Tover
Edição:
Hugh S. Fowler
Direção de Arte:
Lyle R. Wheeler, Maurice Ransford
Figurino:
Mary Wills
Guarda-Roupa:
Charles Le Maire
Maquiagem:
Ben Nye
Efeitos Sonoros:
Alfred Bruzlin, Harry M. Leonard
Efeitos Visuais:
Ray Kellogg

ELENCO
Richard Egan
Vance Reno
Debra Paget
Cathy Reno
Robert Middleton
Sr. Siringo
Elvis Presley
Clint Reno
William Campbell
Brett Reno
Neville Brand
Mike Gavin
Mildred Dunnock
Martha Reno
Bruce Bennett
Major Kincaid
James Drury
Ray Reno
Russ Conway
Ed Galt
Ken Clark
Sr. Kelso
Barry Coe
Sr. Davis
Jay Jostyn
Major Harris
Frank Mills
Passageiro do trem
Heinie Conklin
Passageiro do trem
Paul E. Burns
Jethro
L.Q. Jones
Pardee Fleming
Steve Darrell
Condutor do trem
Bob Rose
Agente da Estação

VIDEOCLIPES

SINOPSE
Quando da Guerra Civil Americana, Vance Reno e um irmão alistam-se no Exército Confederado e são enviados para os campos de batalha.  Na casa da fazenda da família, no Texas, fica Clint Reno, o irmão mais novo. Tempos depois, a família toma conhecimento de que Vance e o irmão teriam morrido em combate.  Com a morte do irmão, Clint começa a se interessar por Cathy, a namorada que Vance deixara ao partir para a guerra, e termina casando-se com ela. Com o término da guerra, os dois irmãos combatentes, que não morreram como chegou a ser anunciado, retornam à fazenda da família.  Quando Vance toma conhecimento de que sua querida Cathy encontra-se casada com Clint, surge uma forte tensão entre os dois irmãos, especialmente quando fica claro que Cathy ainda ama Vance. Um outro problema é que, no último dia da guerra, Vance e alguns companheiros confederados roubaram um trem que transportava dinheiro da União e agora, o Governo quer o dinheiro de volta.

COMENTÁRIOS
Falar sobre "Ama-me com Ternura" é uma tarefa incômoda ou mesmo difícil porque há, na realidade, dois filmes a considerar.  Por um lado, trata-se de um filme comum contando uma história comum e, por outro lado, foi o primeiro veículo estrelando um dos mais populares artistas da história mundial. Assim, analisando o filme puramente como um filme, sem levar em consideração quem está nele e o seu valor histórico, diria que se trata de uma realização fraca.  Entretanto, julgando-o como o primeiro filme de Elvis Presley, ele é naturalmente valioso. Richard Egan e Debra Paget eram os atores principais, que já haviam sido consagrados em filmes anteriores.  Elvis era um artista coadjuvante e aparecia com um "introduzindo Elvis Presley".  Hoje, se perguntado às pessoas, 9 entre 10 dirão que "Ama-me com Ternura" é um filme de Elvis, deixando Egan e Paget como meros coadjuvantes. Embora não se trate de um bom filme, ele é pelo menos sincero.

por Carlos Augusto de Araújo

TURISMO NO BLOG

FORTALEZA É A ÚNICA CIDADE DO BRASIL ENTRE OS MELHORES DESTINOS PARA VIAJAR EM FAMÍLIA
A capital do Ceará está entre os melhores destinos para se viajar em família em 2017 segundo pesquisa realizada pelo Airbnb. Fortaleza é a única cidade do Brasil na lista e garantiu a 9ª posição. A campeã do estudo é a cidade de Osaka, no Japão. A pesquisa foi feita através da internet com famílias que tenham filhos maiores de idade. As informações são do portal InfoMoney. O levantamento também apontou alguns comportamentos das viagens em família. Cerca de 34% das viagens incluem os avós e 20% amigos da família. A praia é o destino favorito (75%) e o carro é o meio de transporte mais utilizado (72%). As famílias também buscam comodidades como acesso ao wi-fi (64%) e piscina (49%).
Confira a lista completa:

CIRCULA NA INTERNET

POLICIAL MULTA A SI PRÓPRIO NOS EUA POR EXCEDER LIMITE DE VELOCIDADE 

O chefe de polícia de uma pequena cidade dos EUA multou a si próprio após ultrapassar o limite de velocidade. Ele foi flagrado em um vídeo e alvo da reclamação de um cidadão. Justin Burch, chefe de polícia de Sperry, no estado de Oklahoma, postou um pedido de desculpas afirmando que errou ao dirigir a mais de 120 km/h. Burch disse que tinha um motivo para estar com pressa, mas admitiu que mereceu a multa. Ele disse que se multou em US$ 300 (cerca de R$ 925) e que vai pagar a multa integralmente.


IMAGEM DO DIA

Uma belíssima imagem na aprazível Natal - RN - Brasil.