Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

CITAÇÃO DO DIA

“... Você é o obstáculo que deve enfrentar, você é quem escolhe seu lugar, você deve dizer para onde quer ir, o quanto quer estudar, qual verdade oculta quer conhecer. Deus o equipou para a vida, mas Ele deixa-o decidir aquilo que quer ser. A coragem deve vir da alma interior. O homem deve enfrentar barreiras com vontade de vencê-las. Então, avalie você mesmo. Você nasceu com tudo o que os grandes tinham. Com seu equipamento, todos eles começaram. Apoie-se em si mesmo e diga: Eu posso".   (RIVALCIR LIBERATO)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...

PRÉVIA DA INFLAÇÃO ACELERA A 0,31%, MAS É A MENOR PARA JANEIRO DESDE 1994
O IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor - Amplo 15), considerado uma prévia da inflação oficial (IPCA), foi de 0,31% em janeiro, o mais baixo para o mês desde 1994, quando começa a série história do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), com a criação do Plano Real. A série começa em 1994 porque o instituto não compara inflações de períodos com moedas diferentes. O resultado mostra uma aceleração em relação a dezembro, quando o indicador havia registrado alta de preços de 0,19%. Em janeiro do ano passado, o IPCA-15 foi de 0,92%. Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) na quinta-feira (19). A meta em 2017 é manter a inflação em 4,5% ao ano, mas há uma tolerância de 1,5 ponto, ou seja, pode variar entre 3% e 6%. No ano passado, a inflação oficial no Brasil foi de 6,29%, dentro do limite máximo da meta. O objetivo era manter a alta dos preços em 4,5% ao ano, mas com tolerância de dois pontos para mais ou para menos, ou seja, podendo variar entre 2,5% e 6,5%. No acumulado de 12 meses, o índice acumula alta de 5,94%. 
JUROS X INFLAÇÃO
Na semana passada, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) decidiu cortar a taxa básica de juros (Selic) pela terceira vez seguida. A Selic caiu 0,75 ponto percentual, para 13% ano. Foi o maior corte em quase cinco anos. Os juros são usados pelo Banco Central para tentar controlar a inflação. De modo geral, quando a inflação está alta, o BC sobe os juros para reduzir o consumo e forçar os preços a caírem. Quando a inflação está baixa, o BC derruba os juros para estimular o consumo. A inflação mais baixa que o esperado em 2016 contribuiu para a decisão do Copom de reduzir os juros. 
METODOLOGIA
O IPCA-15 refere-se às famílias com rendimento de um a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia. A metodologia utilizada é a mesma do IPCA, considerada a inflação oficial; a diferença está no período de coleta dos preços e na abrangência geográfica.

CLIQUE CIÊNCIA: SE A LUA GIRA, POR QUE VEMOS APENAS UMA DE SUAS FACES?
Se você é um admirador da Lua, já deve ter reparado que daqui da Terra é possível ver apenas uma de suas faces, independentemente da época do mês. Isso acaba dando a sensação de que o astro é estático, quando na verdade ele gira em torno de si mesmo continuamente. O tempo que a Lua demora para dar essa volta completa é de 29,5 dias, um período conhecido como mês lunar. Mas, então, por que vemos apenas um de seus lados? Porque existe uma sincronia entre o tempo que ela leva para dar a volta em si mesma (sua rotação) e o tempo necessário para dar uma volta completa ao redor da Terra, movimento chamado de translação. Essa perfeita sintonia acaba deixando apenas um de seus lados visíveis para nós. Quer comprovar? Faça o seguinte teste: enquanto você gira em torno de si mesmo, peça a um amigo para fazer o papel da Lua e repetir os movimentos do satélite. Uma vez em que a sincronia esteja estabelecida, seu colega jamais te dará as costas. Muito pelo contrário, vocês ficarão sempre de frente um para o outro. Essa sincronia perfeita entre Lua e Terra só é possível pela ação da energia gravitacional entre eles e, especialmente, pelas forças da maré dos oceanos. Segundo o astrônomo Rundsthein de Nader, professor da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), há muitos milhões de anos a Lua era bem mais próxima da Terra. Conforme ela foi se afastando, a troca de energias com o nosso planeta foi se acomodando e o resultado foi essa sincronia entre os períodos de rotação e de translação. Apesar de também ser conhecida como lado escuro, a face oculta da Lua é bastante iluminada. Ironicamente, ela passa mais tempo recebendo luz solar do que aquela vista por nós porque não tem eclipses. "A sombra da Terra projetada na Lua, que caracteriza os eclipses lunares, cai sempre no lado voltado para nós", explica o astrônomo Roberto Costa, professor do Departamento de Astronomia da USP. O lado distante, como também é conhecido, foi fotografado na década de 1960 por satélites dos Estados Unidos e da União Soviética. Seu terreno tem algumas diferenças geológicas. É nessa face que se encontra a maior quantidade de crateras, formadas pelo impacto com asteroides, já que é a parte que fica mais exposta. O lado visível tem terreno predominante de marés e de regiões montanhosas. Como na Lua não existe atmosfera, ventos ou chuvas, não há erosão e todas as marcas de impactos passados continuam visíveis e inalteradas. Recentemente, a sonda Lunar Reconnaissance Orbiter fez um mapeamento detalhado de toda a superfície.

INTERNAUTAS AINDA NÃO APRENDERAM A USAR SENHA; VEJA O QUE NÃO FAZER
Você é daqueles que acha um exagero pensar em senhas elaboradas? Que suas contas na internet não são dignas de ataques e invasões são uma realidade muito distante? Pois saiba que eles são mais frequentes do que imaginamos. Pesquisa da empresa de segurança digital Kaspersky mostra que boa parte dos entrevistados acredita que deve proteger bem apenas as contas de bancos online (51%), de e-mail (39%) e de lojas virtuais (37%). "As pessoas deveriam ter mais cuidado ao se proteger com eficácia utilizando senhas. Poder parecer óbvio, mas muitos parecem não perceber que cometem erros simples ao gerenciá-las. Esses erros funcionam como se fossem uma porta aberta para o acesso a e-mails, contas bancárias, arquivos pessoais e outros", explica Andrei Mochola, chefe de negócios ao consumidor da Kaspersky Lab. Não se deixe enganar pela falsa sensação de anonimato e confira estes passos recomendados para evitar os erros mais comuns:
1) NÃO USE A MESMA SENHA EM DIVERSAS CONTAS. 
A maioria das pessoas faz isso, mas isso significa que se uma delas for descoberta, todas suas contas poderão ser invadidas. Segundo a Kaspersky, quase um quinto das pessoas entrevistadas (18%) já passou por uma tentativa de invasão de conta. Ainda assim, apenas um terço (30%) criou senhas novas para diferentes contas 
2) NÃO USE SENHAS FRACAS, FÁCEIS DE DECIFRAR. 
A pesquisa apontou ainda que os usuários não criam senhas fortes o suficiente. Menos da metade dos participantes da pesquisa (47%) usa combinações de letras maiúsculas e minúsculas, e 64% usam uma mistura de letras e números.
3) NÃO ARMAZENE SUAS SENHAS SEM SEGURANÇA.
Isso invalida o objetivo de ter uma senha.
4) NÃO ANOTE OU COMPARTILHE SUA SENHA.
Quase 28% dos ouvidos pela Kaspersky já compartilhou senha com familiares, e 11% contou a amigos, o que aumenta as chances de as senhas vazarem. Mais de um quinto (22%) também admitiu que anota as senhas em um caderno para não as esquecer. Mesmo que a senha seja forte, isso deixa o usuário vulnerável.
CONFIRA AS SENHAS FRÁGEIS PREFERIDAS DOS INTERNAUTAS:
Uma pesquisa da Keeper, que cuida do app gerenciador de senhas com esse mesmo nome, revelou a fragilidade de nossas senhas e quais são as mais usadas. Fica a dica: não entre nas estatísticas abaixo:
1) Quase 17% dos usuários ainda escolhem a combinação "123456" para proteger suas contas.
2) Sequências são uma prática comum: no do top 5 desta lista estão "123456789", "qwerty" (as primeiras letras do teclado), "123456789" e "111111".
3) Quatro das dez senhas mais usadas têm seis caracteres ou são ainda mais curtas.
4) A palavra mais usada como senha é "password" (senha em inglês), que ocupa o oitavo lugar geral da lista.
VEJA DICAS PARA UMA SENHA SEGURA
1) As melhores senhas não se encontram nos dicionários.
2) Prefira senhas longas, com letras maiúsculas e minúsculas, números e sinais de pontuação.
3) Para lembrar ou gerar senhas, use um programa ou aplicativo de gerenciamento de senhas --como LastPass, Keeper, 1Password, Password Store e Kaspersky Password Manager. Eles reúnem várias senhas e o usuário só precisa lembrar-se de uma senha mestra.

ARTE NO BLOG

A ARTE DE MARCELO CSETTKEY – PARTE 02
Artista Plástico,  Escritor e  Jornalista
 GRADUAÇÃO: 
Bacharelado em Ciências Sociais (Jornalismo)
UNESA – Universidade Estácio de Sá
Início: 08/2001
Término: 06/2006

ACADEMIAS:
Academia de Letras e Artes Buziana - ALAB
Membro da Academia
Sede: Búzios - RJ
Data: 24/05/2013

Divine Académie Française des Arts Lettres et Culture
Embaixador da Academia
Sede: Paris - França
Data: 06/05/2013

Academia Nacional de Artes Plásticas - ANAP
Membro da Academia
Sede: Minas Gerais - MG
Data: 20/12/2012

Academia de Letras e Artes de Paranapuã - ALAP
Membro da Academia
Sede: Rio de Janeiro - RJ
Data: 30/10/2012


Fonte: Saber Cultural

RECEITA DO BLOG

BACALHAU GRELHADO COM TOMATES VARIADOS E CARAMELO DE ACETO BALSÂMICO 

INGREDIENTES PARA 2 PORÇÕES:
·         Caramelo de aceto
·         2 xícaras (chá) de aceto balsâmico; 6 colheres (sopa) de açúcar
·         Bacalhau e farofA
·         2 postas de bacalhau altas e dessalgadas
·         300 g de tomates variados (grape, cereja e tomate amarelo)
·         1/2 xícara (chá) de cebolinha-pérola aferventada
·         1 pão francês torrado e moído
·         1 dente de alho picado; azeite, tomilho e sal a gosto

MODO DE PREPARO:
FAROFA
1. Aqueça; 2 colheres (sopa) de azeite e refogue a cebola por 5 minutos. 
2. Acrescente os tomates e refogue por 1 minuto ou até começar a murchar. 
3. Tempere com sal e tomilho; reserve. 
4. Passe papel toalha na frigideira e refogue o alho em 1 colher (sopa) de azeite até dourar. 
5. Adicione o pão moído e deixe dourar ligeiramente, mexendo com uma espátula; reserve.
CARAMELO
1. Coloque o aceto e o açúcar em uma panela, misture e leve ao fogo moderado. 
2. Deixe por aproximadamente 25 minutos ou até reduzir a 1/3 do volume inicial e engrossar um pouco. 
3. Retire do fogo e deixe esfriar.
BACALHAU
1. Prepare o bacalhau conforme a receita anterior. 
2.Retire as postas do forno e cubra a superfície com a farofa. 
3. Arrume-as em um prato e coloque um pouco do tomate em volta. 
4. Acrescente colheradas do caramelo sobre os tomates e sirva em seguida. 

Fonte: Receitas de Fabiana Badra Eid, jornalista especializada em gastronomia e produtora culinária de Prazeres da Mesa.

CIRCULA NA INTERNET

OUTRAS VIAS!

IMAGEM DO DIA

Uma deslumbrante imagem na nossa amada e bela Praia de Tibau - RN - Brasil, clicada pela digital de Fernanda Couto Gurgel.

PIADA DO BLOG

A MEMÓRIA DO ALFREDÃO
O grande filósofo Alfredão com o os seus amigos Carlão e Borjão, estavam conversando sobre os problemas de saúde na terceira idade no “happy hour” das sextas no movimentado “Tio Armênio” do Shopping Rio Mar de Fortaleza-CE.
O Carlão disse:
- Tenho 70 anos. Mas estou em plena forma. Só o meu estômago é que anda rateando um pouco. Outro dia comi uma feijoada, acompanhada de umas três caipirinhas. Depois me senti meio pesado e sonolento…
O Borjão falou:
- Pois eu tenho 67. Não ando muito legal, acho que minhas PERNAS andam fraquejando. Ontem eu joguei um futebol na praia, depois nadei uns três quilômetros. À noite, minhas pernas estavam um pouco doloridas.
Foi então que o Alfredão naquela velha pose de filósofo de meia tigela falou: 
- Já eu, que tenho 84 anos. Não sinto esses problemas. Minha memória está começando a falhar. Ontem, de madrugada, eu bati na porta do quarto da minha empregada Toinha, ela acordou assustada e falou:
- Quequiéisso, seu Alfredão!!! QUER DAR MAIS UMA???

TEXTO DO BLOG

CINZAS NA PAISAGEM
por Gaudêncio Torquato*

O mundo da política é, frequentemente, povoado por cinzas. Principalmente em democracias incipientes. Massas escuras se acumulam nos espaços e nas distâncias, dificultando a visão de atores e espectadores.
É assim que o Brasil hoje se apresenta. Há nuvens plúmbeas esmaecendo a claridade para qualquer canto que se olhe.
Para onde os políticos irão após a conclusão das meticulosas investigações da Operação Lava Jato?
Chega a 200, comenta-se, o número de habitantes dos largos dutos abertos nas curvilíneas estruturas da afamada empreiteira que virou fonte maior da corrupção no país.
O Poder Judiciário recebe as glórias do aplauso, cantado e aclamado por camadas de todas as classes. Merece tantas loas?
O Poder Legislativo, o mais aberto e exposto à indignação, vegeta no mais profundo poço da descrença. Seus participantes passam a vergonha do apupo quando se identificam em lugares de afluxo popular.
O Poder Executivo, decidido a puxar a locomotiva de mudanças para tirar o país do atoleiro, continua a ser alvo de críticas do grupo que abriu o maior rombo nas finanças do Estado em todos os tempos.
Dissonâncias e paradoxos se multiplicam nos vãos e desvãos da República, a indicar acentuada falta de bom senso tanto por parte daqueles que se dão ao trabalho de interpretar os acontecimentos quanto por parte das massas.
AS TRILHAS DO LABIRINTO
Percorramos trilhas desse labirinto. Comecemos com o Judiciário, onde o juiz Sérgio Moro, elevado às alturas, tornou-se símbolo da moralidade.
Não há como negar a coragem e, sobretudo, sua  determinação de seguir um roteiro bem traçado para apurar os desvios que se acumularam ao longo dos anos nas malhas do Estado sob o mando de um grupo  treinado na arte de trocar favores.
Mas o exemplo de Moro serve para pavimentar a trajetória do Judiciário ou ele é uma exceção?
Se lembrarmos, por exemplo, que dos quase 700 mil presos no Brasil, cerca de 40% ou mais esperam por julgamento? A inferência torna-se obvia: as rebeliões e os massacres que ocorrem no território, com destaque para as matanças de Manaus e Boa Vista, apontam o Poder Judiciário com sua parcela de responsabilidade na paisagem da insegurança nacional.
Ainda na esfera do Judiciário, não há como deixar de apontar a fúria legisladora que usa para reinar sobre uma pletora de assuntos.
Será que o Congresso Nacional não tem competência, por exemplo, para dizer se o presidente de um mandato-tampão na Câmara dos Deputados pode ou não ser candidato à presidente na legislatura seguinte?
Um juiz pode proibir a concessão de aumento de tarifas de transportes? Tem ele de se imiscuir no planejamento financeiro de empresas de transportes e nas planilhas governamentais?
Subamos ao STF. Por falta de uma legislação infra-constitucional, o Supremo tem se transformado em fabriqueta de leis, sob o argumento de que apenas cumpre a missão de interpretar a Constituição.
A avalanche legislativa chega até o terreno da primeira instância, onde juízes paralisam serviços da Internet, proíbem aumentos nas tarifas de transporte urbano etc.
Quanto à questão dos massacres nas prisões, só mesmo incautos e desinformados enxergam a União como a responsável única pela situação dos presídios, quando a tarefa da segurança é, primordialmente, dos Estados. Mas a segurança pública é uma questão que afeta a todos os Poderes.
A vigilância de nossas fronteiras é crucial para fechar as fontes de abastecimento das gangues. Tarefa da União.
Recursos do Poder federal devem ser disponibilizados para o adequado funcionamento dos presídios.
Do Legislativo devem sair os instrumentos legais para o duro combate aos arsenais da bandidagem.
Nesse momento, porém, o Poder Legislativo se debruça sob sombras. Daí ser turva a visão do que poderá ocorrer com os cerca de 200 habitantes do planeta empreiteiro. Haverá para eles luz no fim do duto?
A luzinha que se vislumbra é a vela do caixa dois. Isso mesmo. Recursos financeiros para partidos e candidatos teriam duas  origens: o caixa oficial, que recebe recursos doados e comprovados pelos partidos; e o caixa dois, com recursos não contabilizados, sujeitos, sim, a uma pena, porém não tão grave como a propina. Essa é a tese que ganha força nas interlocuções.
Enfiar uma grande parcela do Parlamento na prisão provocaria uma balbúrdia monumental.
AS REFORMAS
Quanto ao Poder Executivo, vê-se um governo profundamente interessado em fazer decolar a nave da economia, sob o bumbo de grandes reformas, como a PEC do teto de gastos, a reforma da previdência, a modernização da legislação trabalhista e a reforma educacional, entre outras.
Do outro lado da rampa, em palanques politiqueiros, o comandante Lula, sempre de vermelho a tiracolo, anuncia uma possível candidatura em 2018 para (vejam bem) “recuperar a confiança, a credibilidade” do país. É mesmo para gargalhar. 13 anos de PT queimaram as bandeiras da esperança e da fé. A confiança no país ruiu. E agora reaparece Lula invertendo a  ordem das coisas.
Mais: pregando o crescimento com o uso do “compulsório” (dinheiro retido dos bancos) e das reservas internacionais.
O pior é que a galera que, por anos a fio, ganhou  trocados para gritar slogans e aplaudir o verbo roto e saturado de Lula, volta a vê-lo como o santo que vai salvar o Brasil.
Lula, com 5 processos nas costas, espera uma revolução das ruas caso seja condenado em segunda instância e impedido de se candidatar à presidente em 2018.
Há muito mais a se ver sob as cinzas que cobrem o território.
Mocinhos e bandidos se abraçam fazendo uma algaravia.
Constroem-se estátuas para heróis, alguns merecendo o epíteto, outros nem tanto.
A expressão demagógica ressurge como se o ontem já estivesse de todo sepultado. É o caso de pinçar o verso do poeta Reinhold Niebuhr: “Senhor, dai-me serenidade para aceitar o que não pode ser mudado;  coragem para mudar o que pode ser mudado; e sabedoria para distinguir uma coisa da outra."

(*) Gaudêncio Torquato é jornalista, professor titular da USP, consultor político e de comunicação Twitter @gaudtorquato

INDICADORES DO BLOG

BOVESPA
O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou na quinta-feira (19) em queda de 0,31%, a 63.950,86 pontos. É a segunda baixa seguida. Na véspera, a Bovespa havia fechado com desvalorização de 0,32%. O resultado da quinta-feira foi influenciado, principalmente, pelo desempenho negativo ações da mineradora Vale, com queda de 2,55%, da Petrobras e dos bancos Itaú e Bradesco. No lado positivo, os papéis do Banco do Brasil e da Ambev fecharam em alta. Essas empresas têm forte peso no Ibovespa.
COMMODITIES
UNIDADE
COMPRA
VENDA
VARIAÇÃO
Petróleo (Brent)
Barril
US$     52,720
US$     52,740
-1,29%
Ouro
Onça troy
US$ 1204,950
US$ 1206,450
-0,01%
Prata
Onça troy
US$     16,990
US$     17,040
-0,23%
Platina
Onça troy
US$   952,800
US$   962,800
-0,1%
Paládio
Onça troy
US$   750,750
US$   755,750
+0,39%

CÂMBIO
COMPRA
VENDA
VARIAÇÃO
Dólar com.
3,1987
3,2002
-0,58%
Dólar tur.
3,0400
3,3600
-0,88%
Euro
3,4071
3,4080
-0,98%
Libra
3,9406
3,9422
-0,64%
Pesos arg.
0,2010
0,2011
-0,59%

INDICADORES
VALOR
ATUALIZAÇÃO
Salário Mínimo
R$ 937,00
2017
Global 40
+112,32%
19.Jan.2017
TR
+0,19%
19.Jan.2017
CDI
+12,88%
19.Jan.2017
SELIC
+13,0%
11.jan.2017
IPCA
+0,3%
dez.16

INFLAÇÃO
ÍNDICE
MÊS
VALOR
IPCA
Dez.16
+0,3%
IPC-Fipe
Dez.16
+0,72%
IGP-M
Dez.16
+0,54%
INPC
Dez.16
+0,14%


quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

CITAÇÃO DO DIA

“Há homens que lutam um dia, e são bons; há outros que lutam muitos dias, e são muito bons; há homens que lutam muitos anos, e são melhores; mas há os que lutam toda a vida, esses são os imprescindíveis! ”  (BERTOLT BRECHT)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...

BRASILEIRO SE APOSENTA AOS 58, EM MÉDIA, E A MAIORIA GANHA 1 SALÁRIO MÍNIMO
O governo quer mudar as regras para a aposentadoria e enviou ao Congresso, no final do ano passado, uma proposta de reforma da Previdência. Uma das principais mudanças é que todos os trabalhadores deverão ter, no mínimo, 65 anos de idade e 25 anos de contribuição com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) para conseguir se aposentar. Para receber o valor integral da aposentadoria, será preciso contribuir por 49 anos. Afinal, com que idade o brasileiro costuma pendurar as chuteiras atualmente e quanto ganha de aposentadoria?
COMO É O APOSENTADO NO BRASIL HOJE*
O Brasil tem hoje pouco mais de 19 milhões de aposentados pelo INSS, segundo a Secretaria da Previdência Social. Atualmente, o brasileiro se aposenta, em média, aos 58 anos. De cada três aposentados, dois ganham um salário mínimo.  Há dois tipos de aposentadoria mais comuns no momento: por tempo de contribuição e por idade.
1) Por tempo de contribuição
Basta ter contribuído com o INSS por 35 anos, no caso dos homens, ou 30 anos, para as mulheres, independentemente da idade do trabalhador. Atualmente, cerca de 5,7 milhões de pessoas fazem parte desse grupo. Quem se aposenta por tempo de contribuição consegue o benefício com pouco menos de 55 anos e recebendo dois salários mínimos.
2) Por idade
A maior parte dos brasileiros, porém, se aposentou por idade: são pouco mais de 10 milhões de pessoas. Para conseguir se aposentar por idade, os homens precisam ter pelo menos 65 anos e as mulheres, 60 anos. Todos precisam ter contribuído com o INSS por 15 anos, no mínimo. Em geral, as pessoas mais pobres se aposentam por idade porque costumam trabalhar mais tempo sem ter carteira assinada e sem pagar o INSS. Assim, não conseguem completar os requisitos mínimos para a aposentadoria por tempo de contribuição. Quem se aposenta por idade acaba trabalhando mais e ganhando menos, atualmente. Em média, o aposentado por idade trabalha até os 61 anos, e ganha um salário mínimo.
(*) Esses são números médios, ou seja, nem todo mundo se aposenta com essas idades ou recebe esses valores.

CIENTISTAS CALCULARAM A MASSA DE TODA A VIA LÁCTEA, E O NÚMERO TEM 40 ZEROS
Astrônomos chegaram ao que acreditam ser a medida mais precisa da massa da Via Láctea: cerca de 4,8 x 10¹¹ vezes a massa do Sol, ou "massas solares", se quiser usar uma unidade padrão de massa da astronomia. Isso representa cerca de 9,5 x 10^41 kg, traduzindo, é o número 95 seguido por 40 zeros. O valor, é claro, é estimado, já que não temos nenhuma medida exata de todos os bilhões de estrelas e outros objetos que existem na Via Láctea (e nem conseguimos pesá-los em uma balança). Em um artigo publicado no The Astrophysical Jornal, os cientistas explicam como usaram métodos de medição que envolvem complexas técnicas matemáticas e estatísticas, como a análise hierárquica bayesiana, além de medições diretas da velocidade de aglomerados globulares, os grupos esféricos bem embalados de 10.000 a 100.000 velhas estrelas que se movem pela galáxia. Assim como a massa do Sol pode ser calculada medindo sua força gravitacional na Terra, a massa da Via Láctea pode ser calculada medindo sua atração gravitacional sobre os aglomerados globulares. A estimativa inclui tudo dentro de 125 quiloparsecs (unidade de distância usada em astronomia para representar distâncias estelares) do centro da galáxia – ou seja, em 3,9 x 10^18 quilômetros. E "tudo" não são apenas estrelas: existem planetas, luas, gases, poeira e outros objetos, para não mencionar a imensa quantidade de matéria escura. A autora principal da pesquisa, Gwendolyn M. Eadie, da Universidade de McMaster, em Ontário, Canadá, afirmou em entrevista ao "The New York Times" que as descobertas eram importantes do ponto de vista de um astrônomo. "Os métodos que desenvolvemos podem ser importantes em outros estudos. Estes métodos eram utilizados em outros campos, mas estão começando a se tornar mais úteis na astronomia agora que temos computadores que podem fazer cálculos complexos". O que isso significa para nós, reles mortais? "Isso apenas satisfaz a curiosidade sobre o mundo e galáxia em que vivemos", disse ela.

BUSCA NO GOOGLE NO ANDROID SERÁ SALVA SE VOCÊ PERDER A CONEXÃO
O Google atualizou seu aplicativo para celulares com o sistema Android com uma funcionalidade que pode ajudar a vida de muitos usuários. A partir de agora, se você ficar sem conexão durante uma busca na ferramenta, o próprio app recuperará automaticamente a busca assim que o sinal for restabelecido e te enviará um alerta. A funcionalidade deve ajudar quem faz pesquisas durante uma viagem com pouca conexão ou quem usa o celular em metrôs de grandes cidades, por exemplo. O usuário não precisará retornar toda vez para o app para tentar completar a busca que falhou – o serviço fará isso por você, nos "bastidores". De acordo com o Google, a novidade não tirará mais bateria do celular do usuário. Há esse temor por ser uma funcionalidade atuante em segundo plano, mas a companhia alega que nada mudará para quem mexe com o app. O Google também diz que a funcionalidade impactará "minimamente" o uso de dados do usuário. É possível, segundo a companhia, até enfileirar várias pesquisas diferentes para que os resultados apareçam quando o celular voltar a ter conexão.  Para ter acesso à novidade do aplicativo, basta atualizar o app para a sua versão mais recente.