Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

COMUNICADO DO BLOG

O BORJÃO COMUNICA AOS SEUS “WEB LEITORES”, QUE POR MOTIVOS ALHEIOS À SUA VONTADE, O “BLOG DO BORJÃO” SOMENTE RECEBERÁ NOVAS ATUALIZAÇÕES A PARTIR DE JANEIRO DE 2018. INTÉ A PRÓXIMA ATUALIZAÇÃO SE “DEUS” ASSIM NOS PERMITIR.

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

DICAS DE SEGURANÇA

O Blog do Borjão disponibiliza hoje mais 01 (uma) "Dica de Segurança" com a colaboração do amigo Coronel Evaldo Carvalho para o devido conhecimento do nosso Web leitor.

CITAÇÃO DO DIA

"Esta mensagem é para alegrar você e lhe dar forças para enfrentar esta fase que está sendo tão difícil de encarar. Faça de seus pensamentos a força de que está precisando. Esqueça as coisas ruins e limpe a mente cultivando somente bons pensamentos. Acredite no sucesso total, não imagine obstáculos na sua mente. Tudo que uma pessoa é capaz de planejar, ela é capaz de realizar. Tenha fé, otimismo e ação. Sua vida só você a vive, portanto goste mais, acredite mais, e seja mais feliz. Procure plantar sementes de amor e otimismo na sua vida, e você colherá sempre maravilhosos frutos. Eu acredito em você!" (RIVALCIR LIBERATO)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...

PETROBRAS SERÁ ‘SELETIVA’, MAS ‘MUITO FIRME’ NO LEILÃO DO PRÉ-SAL, DIZ PEDRO PARENTE
Petrobras será "seletiva" nas ofertas que fará no próximo leilão de áreas do pré-sal, que será realizado nesta sexta-feira (27). A estatal, no entanto, será "firme" nas propostas que fará para as áreas que vê potencial de produção. A afirmação foi feita pelo presidente da empresa, Pedro Parente, em entrevista exclusiva ao Jornal da Globo. A edição de quinta-feira trouxe mais informações sobre o leilão e sobre a participação da Petrobras na disputa. A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realiza nesta sexta-feira (27) as 2ª e 3ª Rodadas de Partilha de Produção, as primeiras com o fim do monopólio de exploração do pré-sal pela Petrobras. São ofertados oito blocos nas duas rodadas. Se todos forem vendidos, a União arrecadará R$ 7,75 bilhões com os bônus de assinatura. Leia a seguir a íntegra da entrevista de Parente:
Qual a expectativa da Petrobras sobre o leilão de sexta-feira?
Nós temos uma expectativa bastante elevada porque são dois leilões somente de áreas no pré-sal e, como nós vimos no leilão passado, essas áreas que têm um potencial de óleo na camada do pré-sal. Existe realmente um potencial muito grande e um interesse muito grande no contexto mundial.
A Petrobras foi protagonista no último leilão. Pretendem novamente ser protagonistas?
Há um dado importantíssimo que é o fato de que, como nós temos uma perspectiva de investimentos definida, nós temos que ser bastante seletivos. Você vai lembrar que no último leilão nós fomos muito seletivos. De mais de 150 blocos em disputa, fizemos bid (oferta) apenas para oito desses blocos, ganhamos em sete deles, um deles perdemos. Em seis desses blocos estivemos em parceria com uma grande empresa americana, a Exxon.
A Petrobras vai manter a estratégia de parcerias?
Sem dúvida porque num setor que é como o de exploração de óleo e gás em que os investimentos são muito elevados e o tempo de maturação destes projetos também é bastante longo. Além disso, os riscos dessa atividade são riscos importantes. Parcerias ajudam muito na redução de necessidade de capital e também na redução dos riscos. Então parcerias são uma coisa que se usa usualmente na exploração tradicional de óleo e gás em todo o mundo e a Petrobras certamente vai estar olhando parcerias para a sua participação nesses próximos leilões.
O tamanho da participação da Petrobras nessas duas rodadas já está pré-definido ou pode mudar?
A Petrobras tem por lei direito de preferência na exploração das áreas do pré-sal. Das oito áreas em oferta nós definimos que queremos ter o direito de exercer este direito de preferência em três destas áreas. Mas não somos obrigados a ficarmos limitados a essas áreas onde já declaramos direito de preferência. Pode ser que no contexto das negociações destas parcerias surja a oportunidade de participar em outras áreas e nós estaremos olhando. Mas é claro que isso sempre levará em conta aquela questão da seletividade e da avaliação de potencial de cada uma dessas áreas que estão em leilão.
O Brasil não fez leilão das áreas de pré-sal há anos. Esse é um momento importante de retomada?
Esse é um momento de fato extremamente importante porque a gente sabe que como outras indústrias a de óleo e gás também enfrenta desafios muito importantes, seja pelo lado da oferta - porque hoje existe o shale gas, o óleo que é produzido nessa nova tecnologia, e isso aumentou muito a oferta de óleo no mundo. Portanto, existe um desafio pelo lado da oferta, mas existe também pelo lado da demanda, com uma crescente consciência global a respeito de uso mais eficiente de combustíveis fósseis e mesmo combustíveis renováveis, de baixa carbono. Portanto, é uma indústria que está em desafio e, portanto, o País ter a oportunidade de aproveitar os recursos que tem disponíveis de óleo e gás e numa condição de preço que ainda é econômica é importante. O País de fato ficou muito tempo sem fazer leilões. Só fez um leilão de campos na área do pré-sal. E retomar isso com um calendário definido, como o governo está fazendo, e com todas as mudanças regulatórias que foram feitas, isso trouxe um novo ânimo para o setor, uma nova perspectiva, muita animação, uma demonstração de interesses importante.

BRASIL TEM ALTA DE 8,9% NAS EMISSÕES DE GASES DO EFEITO ESTUFA EM 2016, DIZ ONG
O Brasil teve uma alta de 8,9% nas emissões de gases de efeito estufa em 2016 em comparação com ano anterior. É o nível mais alto desde 2008 e a maior elevação desde 2004. O relatório foi lançado na quinta-feira (26) pela ONG Observatório do Clima, em uma nova edição do Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa (SEEG). Foram 2,278 bilhões de toneladas brutas de gás carbônico (CO2), contra 2,091 bilhões em 2015. Isso representa 3,4% do total produzido no mundo, colocando o Brasil como o sétimo país que mais polui. Leia o relatório completo.
Este é o segundo ano consecutivo de alta. Os anos de 2015 e 2016, juntos, tiveram uma elevação acumulada de 12,3%. A organização chama a atenção para a redução no Produto Interno Bruto (PIB) nestes dois anos, com um recuo de 3,8% e 3.6%. A pesquisa relaciona a alta das emissões no ano passado ao crescimento do desmatamento na Amazônia, que chegou a 27%. O índice de emissão por uso da terra também aumentou e atingiu 23%, respondendo a 51% de todos os gases emitidos pelo Brasil.
AGROPECUÁRIA
Segundo o Observatório do Clima, a agropecuária é a principal responsável pelos gases do efeito estufa – 76%, uma soma entre emissões diretas (22%) e as emissões por uso da terra (51%). Entre 1990 e 2016, o setor emitiu mais de 50 bilhões de toneladas de CO2. No setor de energia, que antes da crise econômica apresentou uma alta nas emissões de gases, ocorreu uma queda de 7,3%, índice também ligado ao investimento em energias renováveis. As emissões relacionadas à geração de eletricidade caíram 30%. De acordo com o relatório, é possível associar essa queda à redução da participação das usinas termelétricas fósseis.

AMAZON VAI VENDER FECHADURAS INTELIGENTES PARA ENTREGAR PRODUTOS DENTRO DA CASA DO CLIENTE
A Amazon anunciou nesta semana o Amazon Key, um sistema de câmeras e fechaduras que os clientes controlam remotamente para permitir que entregas de mercadorias sejam feitas dentro de suas casas. É possível criar senhas temporárias para que amigos e outros profissionais também tenham acesso ao interior de suas residências. A ferramenta, em elaboração há mais de um ano, pode ajudar a Amazon a conquistar compradores que não estariam em casa para receber uma encomenda e que preferem não arriscar que suas encomendas sejam roubadas se forem deixadas do lado de fora de suas moradias. O sistema também sinaliza as ambições da Amazon no crescente mercado de dispositivos de segurança doméstica, onde compete com a Nest, da Alphabet. "Isso não é um experimento para nós", disse Peter Larsen, vice-presidente da Amazon Delivery, em uma entrevista. "Esta é uma parte fundamental da experiência de compras da Amazon a partir de agora". Os membros do serviço premium Amazon Prime podem pagar US$ 250 por uma câmera controlada pela internet e uma fechadura. Os entregadores são orientados a tocar a campainha ou bater quando chegam à casa de alguém. Se ninguém recebê-los, eles pressionam "destrancar" em um aplicativo móvel e a Amazon verifica seus sistemas para certificar o entregador e o pacote diante da casa do cliente. A câmera transmite vídeo ao vivo para o cliente que, remotamente, pode assistir a entrega do produto comprado em sua casa. O entregador não pode prosseguir com outras entregas até que a casa seja novamente trancada. Não está claro se tais proteções convencerão os clientes de que o serviço é seguro. Larsen afirmou que com base em testes do sistema pela companhia roubo "não é algo que acontece na prática". O novo serviço será lançado em 8 de novembro em 37 cidades dos Estados Unidos, informou a empresa.

ARTE NO BLOG

A NOITE DO DIA DE MAGRITTE EM O IMPÉRIO DAS LUZES (1954/1955)
Óleo sobre tela, 195,4 x 131,2 cm.
A exposição “vache” foi um sucesso entre os membros do grupo surrealista em Bruxelas, mas em Paris, como já vimos, foi um fracasso. Seguindo os conselhos de sua mulher e do marchand Alexander Iolas, Magritte abandonou aquelas experimentações e voltou ao seu estilo dos anos 30. Em 1949, o pintor lança um novo manifesto, “A Verdadeira Arte da Pintura”, no qual expôs o que pensava sobre o papel da pintura para o Homem. Segundo ele, a pintura perfeita produz um grande efeito, mas de curta duração. A arte da pintura é a arte do pensamento, que deve levar o homem a pensar, a ter uma reação duradoura em nível mais profundo que o da simples emoção. Foi durante o período que vai de 1949 a 1960, que Magritte produziu seus mais importantes trabalhos. Além das versões que fez de quadros dos grandes mestres, fez também muitas versões de suas primeiras telas, instado por seu marchand, inclusive uma série de versões de “O Império das Luzes”, iniciada em 1949. Também por essa época ele começou sua “petrificação”, quando transformava objetos vivos em pedras, em quadros que ficaram célebres, como “A Palavra Dada”, “Os Passos Desperdiçados”, “O Filtro”. Já comentamos aqui que Magritte era leitor entusiasmado de Edgar Allen Poe: há longas notas de pé de página sobre a petrificação em alguns contos desse genial escritor americano. Até morrer Magritte foi afeiçoado a histórias com enigmas e nessa sua foto (à esquerda) podemos ver como gostava que tudo tivesse um ar misterioso. Outro de seus autores favoritos era Dashiel Hammet. Além de sua atividade como pintor, ele colaborou ao longo da vida em diversas revistas; fez capas para partituras de música popular; escreveu múltiplos artigos para a imprensa de esquerda; realizou uma série de pequenos filmes, por vezes com cenários compostos por ele e seus companheiros; compôs cartazes e anúncios publicitários. Essas produções lhe possibilitaram diversos meios de ganhar a vida à margem da arte sem, no entanto, violentar aquela liberdade que todo criador exige.  Em “O Império das Luzes”, tela de hoje, há uma rua escura, é noite, mas o céu está banhado de luz, todo azul-pastel, marcado por nuvens leves como se fossem pelotas de algodão. Sem nada de extraordinário ou de fantástico em sua composição, Magritte apenas com uma paradoxal combinação de noite e dia, perturba uma das mais organizadas e fundamentais premissas da vida. A crítica de arte Lucy Flint, comentou numa nota para a Guggenheim Foundation: "A luz do sol, normalmente a fonte da claridade, aqui cria certa inquietude associada à escuridão. Torna a escuridão mais impenetrável do que seria em um contexto normal. O tema, bizarro e tratado de forma impessoal, é uma das características do surrealismo que Magritte adotou desde 1920". Essa é uma das versões desse quadro, havendo muitas outras, inclusive no MoMA e no Museu de Belas Artes de Bruxellas.

FonteGuggenheim Foundation, Nova York

RECEITA DO BLOG

BACALHOADA DA SENHORA OLEMA

INGREDIENTES PARA 6 A 8 PORÇÕES:
·         1 kg de lombo de bacalhau dessagaldo
·         1 kg batatas médias, sem casca e cortadas em rodelas finas
·         700 ml de azeite de oliva extravirgem
·         4 ovos cozidos e cortados em rodelas finas
·         3 cabeças de cebola, cortadas em rodelas finas
·         1 pimentão verde, sem o miolo e cortado em rodelas finas
·         1 pimentão vermelho, sem o miolo e cortado em rodelas finas
·         1 pimentão amarelo, sem o miolo e cortado em rodelas finas
·         Pimenta-do-reino a gosto
·         Azeitonas pretas e salsinha cortada bem pequena, para decorar

MODO DE PREPARO:
1. Em uma panela, acomode os lombos de bacalhau e acrescente água filtrada, cobrir as postas até o meio. Deixe cozinhar por 20 a 30 minutos. (é importante verificar com frequência se a água não está completamente seca, evitando que o bacalhau grude no fundo da panela. Se necessário, vá acrescentando água até o bacalhau cozinhar. As postas devem ficar inteiras e pré-cozidas, pois o bacalhau ainda será levado ao forno, onde terminará seu cozimento.)
2. Cozinhe as batatas cortadas em rodelas finas, até ficarem “al dente”. Reserve
3. Em outra panela, despeje um pouco de azeite de oliva e refogue as cebolas e os pimentões. Tempere com pimenta-do-reino. (pré-cozer as batatas e refogar as cebolas e pimentões evitará que acumulem água no forno, por isso nunca devem ser utilizados crus.)
MONTAGEM
1. Separe um refratário oval e alto e monte a bacalhoada da seguinte forma: Cubra por completo o fundo da travessa com as batatas cozidas, formando uma “cama” para acomodar o bacalhau. Regue com azeite de oliva.
2. Acrescente metade da cebola e os pimentões refogados.
3. Disponha as postas cozidas no refratário com cuidado para que não despedacem.
4. Acrescente o restante das cebolas e pimentões. Regue com o azeite.
5. Delicadamente monte a última camada, acrescendo os ovos cozidos e as azeitonas pretas, abusando do azeite de oliva até completar metade da altura da travessa.
6. Asse em forno pré-aquecido por aproximadamente 40 minutos.
7. Finalize com a salsinha e sirva em seguida.

Fonte: Receita da Senhora Olema, do Lar Santana, larsantana.com.br


CIRCULA NA INTERNET

ESCOVINHA – CORTE DE CABELO MASCULINO
Pelo menos agora sabemos de onde foi tirada a inspiração desse corte de cabelo. Será que dá para fazer uma faxina no lar com esse cabelo?


IMAGEM DO DIA

Uma encantadora imagem da nossa amada e bela Tibau-RN-Brasil.

PIADA DO BLOG

ALFREDÃO E SUA ESPOSA ROSICLEA NO PSICÓLOGO
O grande filósofo Alfredão leva sua esposa Rosicléa a um Psicólogo, após 40 anos juntos. Logo que chegam no consultório, o terapeuta, jovem e bonitão, super malhado, pergunta qual é o motivo da consulta, e a esposa do Alfredão diz:
- Pouca atenção, falta de intimidade, vazio, solidão, não me sinto amada e desejada... e por aí vai.
O Psicólogo se levanta, se aproxima da Rosicléa, pede que ela também se levante, a abraça e a beija na boca com paixão, enquanto o Alfredão os observa, impressionado. A Rosicléa fica muda e se senta meio atordoada. O Terapeuta vira para o Alfredão e diz: 
- Isto é o que sua esposa precisa, pelo menos 3 vezes por semana!!! Você consegue?
O Alfredão naquela velha pose de filósofo de meia tigela pensa um pouco e responde: 
- Bom, eu posso trazê-la 2ª e 4ª, mas, às 6ª feiras tenho o encontro com os meus amigos no nosso happy hour do Dallas Grill!

TEXTO DO BLOG

GOVERNOS NA QUARTA MARCHA
por Gaudêncio Torquato*

O ciclo de vida de uma administração – federal, estadual ou municipal – se assemelha a um carro de quatro marchas. Cada ano correspon­de a uma marcha. A primeira dá a partida do carro. Que vai pegando velocidade nos primeiros meses, quando o governante examina as condições dos espaços, fazendo o mesmo diagnóstico do motorista, testando o ambiente, olhando para a frente e para os lados. Na segunda marcha, o carro avança com mais velocidade, correspondendo ao se­gundo ano da administração, quando os governantes praticamente começam a governar, depois de sanear  a estrutura e colocar a casa em ordem. A terceira marcha é a da velocidade mais alta, com estabilidade e o carro avançando bem. A administração, de modo equivalente, usa esse tempo para abrir uma bateria de obras. Na quarta marcha, o carro, muito veloz, faz ul­trapassagens, queima etapas, faz tudo que for possível para chegar ao final do caminho.
A cada etapa, o administrador tenta pincelar sua imagem. Ao sentar na cadeira, a imagem mais parece a do rapaz que comprou seu primeiro carro. O governante ingres­sa num universo de fantasias. Pensa no que poderá realizar, escolhe a equipe, e verifica como deverá usar o poder da caneta. Sabe que poderá usar a força do cargo, testa a capacidade de mandar, solicitar, nomear, “desnomear”, receber aten­cão. Começa a construir sua Identidade, que abriga o conceito que deseja para ser conhecido pela comunidade (nacional, estadual, municipal). O governante assume uma feição de magistrado, ouvindo muito, aceitando conselhos, reservando para si as decisões finais. Torna-se, de certo modo, cúmplice dos interlocutores.
O DESPACHANTE
A segunda imagem mais parece a do despachante. Passa a atender um sem número de pessoas por dia, assina pilhas de papéis, enquanto a burocracia começa a prendê-lo com reuniões, articulações, contatos com as organizações da sociedade. Dorme contando carneirinhos, aliás, os pedintes – políticos da base, lideranças, setores – que entram e saem do gabinete, na verdade um salão de despachos. A terceira imagem é a do artesão-obreiro. Cansado da rotina dos papéis, é aconselhado a ouvir mais a população, sair do confinamento de suas sedes, visitar canteiros de obras, pôr bonés na cabeça, sujar-se de poeira, visitar cidades, dar incertas em hospitais, despachar nas ruas. Não faz muito tempo, um prefeito de uma capital de Estado sulino despachava sob uma árvore, sentado num banquinho e cercado do povo. (Fazia parte da imagem que queria projetar a ideia de se identificar com o clima das ruas e gente ao redor).
Nesse momento, os governos passam a ser reconhecidos com a marca registrada por meio de placas, frases de efeito e logomarcas. Fotos de governantes papados de suor (amostra do obreirismo fa­raônico) inundavam as redações para transmitir a imagem de uma ad­ministração transformada em canteiro de obras. Claro, esse era um flagrante mais comum no passado. Em tempos de euforia econômica, cofres cheios, população bem atendida em serviços.
A quarta imagem e última imagem da administração se assemelha a de César, imperador romano. Queixo apontando para a testa do interlocutor, rodeado de áulicos, que lhe fazem elogios e dão versões sempre positivas de sua administração, o governante ordena maior volume de propaganda na mídia e expansão da articulação política.  A circunferência das barrigas também se avoluma com a proliferação de eventos gastronômicos. E haja churrasco. Essa é a fase áulica e festiva, quando os encontros sociais invadem noites, sob a conversa frouxa de grupos mais chegados. Mas o povo só aparece se os eventos são públicos, como festas de padroeira.  O governante capricha na articula­ção política com o objetivo de aplainar o caminho com vistas à reeleição.
A PARTILHA
As imagens dos mandatários passam a expressar o próprio ciclo da vida da administração. Da simplicidade da primeira fase, a uma certa arrogância da última fase, elas retratam a incultura política do País. De inquilinos dos espaços públicos, acabam sendo vistos como proprietários de feu­dos. A coisa pública (res publica) se transforma em extensão de espaço particular. A falta de preparo torna o governante refém de pequenos grupos que se formam nos vãos do poder. Ocorrem partilhas de áreas, com distribuição de cargos, benesses e posições. Os programas de assistência social se transformam em moeda de troca do fisiologismo. “Aos amigos, tudo, aos inimigos, os rigores da administra­ção”. Mas o verniz cosmético não consegue limpar os entulhos que se acumulam nas vias das administrações em tempos de crise.
Esse é o dilema. Praticamente o mapa da administração pública no país exibe, nesse final de outubro, borrões e manchas. Quase nenhum governante consegue mostrar administração aprovada com louvor pelas populações. Municípios e Estados estão à beira da falência. Os serviços públicos são uma calamidade. Salários do funcionalismo estão atrasados em Estados e municípios. Portanto, os governantes passam a ser alvo da indignação geral. A parte mais sensível do corpo – o estômago – é frontalmente atingida quando salários atrasam. Lembram-se da equação BO+BA+CO+CA (Bolso cheio, Barriga satisfeita, Coração agradecido, Cabeça aprovando o governante)? Pois bem, a recíproca é verdadeira.
A campanha eleitoral de 2018 estará, portanto, sujeita às intempéries, esse monte de desajustes, inação, serviços desqualificados, salários atrasados etc. Mesmo assim, por falta de opção serão reeleitos administradores ruins e com imagem negativa. Mas a renovação será bastante acentuada, principalmente se ao eleitorado for oferecida a opção por perfis que expressem o conceito de limpeza, honestidade, seriedade, compromisso e experiência. Esses meses de final de semestre – que se aproximam da quarta marcha dos governos – serão importantes para tomar o pulso das comunidades. Se a temperatura ultrapassar os 40 graus, será difícil baixar a febre. Até porque não haverá grana para comprar os remédios.

(*) Gaudêncio Torquato é jornalista, professor titular da USP e consultor político. Twitter@gaudtorquato

INDICADORES DO BLOG

BOVESPA
O principal índice da bolsa paulista (B3) fechou em queda na quinta-feira (26), refletindo cautela sobre o andamento de reformas no Congresso, após Câmara dos Deputados rejeitar a denúncia contra o presidente Michel Temer com um placar mais apertado, em dia marcado por resultados corporativos, destaca a Reuters. O Ibovespa caiu 1,01%, a 75.896 pontos. 

COMMODITIES
UNIDADE
COMPRA
VENDA
VARIAÇÃO
Petróleo (Brent)
Barril
US$ 59,040
US$ 59,060
0,0%
Ouro
Onça troy
US$ 1266,110
US$ 1266,900
0,0%
Prata
Onça troy
US$ 16,760
US$ 16,800
+0,13%
Platina
Onça troy
US$ 912,500
US$ 922,500
+0,45%
Paládio
Onça troy
US$ 967,500
US$ 973,500
+0,1%

CÂMBIO
COMPRA
VENDA
VARIAÇÃO
Dólar com.
3,2840
3,2846
+1,22%
Dólar tur.
3,1600
3,4200
+1,79%
Euro
3,8268
3,8280
+0,3%
Libra
4,3180
4,3196
+0,79%
Pesos arg.
0,1863
0,1864
+0,7%







INDICADORES
VALOR
ATUALIZAÇÃO
Salário Mínimo
R$ 937,00
2017
Global 40
+112,32%
26.Out.2017
TR
0,0%
26.Out.2017
CDI
+7,39%
26.Out.2017
SELIC
+7,5%
25.out.2017







INFLAÇÃO
ÍNDICE
MÊS
VALOR
IPCA
Set.17
+0,16%
IPC-Fipe
Set.17
+0,02%
IGP-M
Set.17
+0,47%
INPC
Set.17
-0,02%


quinta-feira, 26 de outubro de 2017

CITAÇÃO DO DIA

“Sempre que houver alternativas, tenha cuidado. Não opte pelo conveniente, pelo confortável, pelo respeitável, pelo socialmente aceitável, pelo honroso. Opte pelo que faz o seu coração vibrar. Opte pelo que gostaria de fazer, apesar de todas as consequências. ”  (OSHO)

CHARGE DO DIA


RAPIDINHAS DO BLOG...

SEM REFORMA DA PREVIDÊNCIA, GOVERNO PODE SUSPENDER ABONO SALARIAL, DIZ MEIRELLES
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, admitiu nesta semana que a suspensão do abono salarial pode ser uma das alternativas para conter os gastos do governo caso a reforma da Previdência não passe no Congresso. Ele reforçou, porém, que acredita na aprovação da reforma. "Olha, isso é uma discussão teórica, porque o que está na mesa é a reforma da Previdência. Agora, não há dúvida de que, se por ventura não fosse aprovada a reforma da Previdência, outras medidas teriam que ser tomadas", disse a jornalistas em São Paulo. O abono salarial é um benefício pago pelo governo aos trabalhadores com carteira assinada que recebem até dois salários mínimos por mês. O valor pode chegar a um salário mínimo por ano. Ele é pago com recursos do PIS (da Caixa, para trabalhadores do setor privado) ou do Pasep (do Banco do Brasil, para funcionários públicos). A declaração do ministro foi dada após evento com executivos promovido pela Câmara de Comércio França-Brasil.  A reforma da Previdência é uma das medidas de ajuste fiscal propostas pela equipe econômica do governo federal. O texto ainda precisa ser votado na Câmara e no Senado antes de entrar vigor.
NOVA DATA
Meirelles disse acreditar que a reforma da Previdência deve ser votada na segunda quinzena de novembro. Segundo o ministro, já é consenso que as mudanças nas regras da aposentadoria precisam ser feitas e que, se elas não forem aprovadas neste ano, dificilmente serão em 2018 por conta das eleições. Ele afirmou que, se a reforma não for aprovada neste ano, o próximo presidente já teria que começar o mandato em 2019 enfrentando o tema, o que favorece que a votação ocorra ainda em 2017. Nos meses anteriores, o ministro da Fazenda afirmou diversas vezes que o texto seria aprovado até outubro. Ele mudou o prazo após o presidente Michel Temer ser denunciado pela segunda vez pela Procuradoria Geral da República.
REFIS
O ministro disse também que acredita que o Refis será sancionado ainda nesta semana. O Refis é um programa que permite a pessoas e empesas a renegociação das dívidas tributárias com a União. "Estamos encaminhando para o presidente as recomendações da Fazenda de possíveis vetos e felizmente ele deve estar tomando uma decisão esta semana". Ele não adiantou quais matérias devem ser vetadas e ponderou que isso ainda está em discussão e deve ser definido nos próximos dois dias. O texto original do Refis enviado pelo governo federal foi alterado no Congresso e concedeu mais benefícios às empresas devedoras, o que reduz a capacidade de arrecadação do programa e beneficia os maus pagadores.
ENERGIA
Questionado, Meirelles disse que o aumento do preço da energia anunciado na terça-feira (24) deve ter algum impacto na inflação. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou um aumento de 42,8% para a taxa cobrada na conta de luz quando ela está com bandeira vermelha."Certamente é um item que compõe o consumo e não há dúvida de que é relevante. Agora, o importante é que isso reflita a realidade. O que nós não podemos é criar distorções insustentáveis na economia. O preço da energia tem que refletir o custo da energia. O que nós temos que fazer é trabalhar para baixar os custos", disse. Uma medida provisória publicada pelo governo Dilma Rousseff em 2012 baixou artificialmente a conta de luz. O texto permitia que empresas de geração e transmissão renovassem contratos de concessão sem licitação se elas se comprometessem a reduzir as tarifas. A perda de receitas pelas companhias, porém, gerou prejuízos para o setor elétrico.
SAÍDA DA RECESSÃO
Na apresentação, Meirelles voltou a afirmar que "o Brasil já saiu da pior recessão da sua história" e que o tamanho do Estado está diminuindo – e não apenas por meio das privatizações. O ministro também disse que a reforma tributária é outra prioridade, mas que ela é "demorada e complicada" porque envolve governo federal, estados e municípios, além do Congresso. "A ideia é que essa será a próxima reforma importante depois da Previdência", disse.

BICARBONATO DE SÓDIO AJUDA A RETIRAR ATÉ 96% DE AGROTÓXICO DA MAÇÃ, MOSTRA PESQUISA
Um produto de uso doméstico comum, o bicarbonato de sódio, pode ajudar a tirar resíduos de agrotóxico na superfície da maçã, diz pesquisa publicada na quarta-feira (25) no "Journal of Agricultural and Food Chemistry". Para avaliar a eficácia do bicarbonato, Yang e sua equipe utilizaram dois pesticidas comuns: o tiabendazol e o inseticida phosmet na maçã, que ficou exposta ao produto por um período de 24 horas. Depois, eles fizeram três testes: 1) colocaram água misturada com bicarbonato na fruta na proporção de 10 mg/ml ; 2) lavaram a maçã com água da torneira por dois minutos; e 3) deixaram a maçã imersa em solução de hipoclorito de sódio (10 mg/ml) por 8 minutos. Segundo os pesquisadores, o bicarbonato, de longe, foi o método mais efetivo. Após um período de 15 minutos em que as maçãs ficaram imersas na solução, o bicarbonato reduziu 80% do tiabendazol e 96% do inseticida phosmet. A diferença entre as substâncias, segundo os pesquisadores, se deu pelo alcance da penetração de cada composto. O mapeamento de imagens mostrou que o tiabendazol penetrou até 80 micrometros de profundidade nas maçãs; já o phosmet, foi detectado a uma profundidade de apenas 20 micrometros. Lavar o produto com água da torneira simples durante dois minutos, de acordo com o padrão da indústria nos Estados Unidos, foi um método muito menos efetivo, afirmaram os pesquisadores. No entanto, na ausência de bicarbonato de sódio e de produtos orgânicos, os pesquisadores dizem que a lavagem, apesar de não ser o método mais efetivo, também ajuda a remover o agrotóxico da fruta. Uma outra maneira de amenizar a quantidade de agrotóxico, dizem, é descascar a maça, mas isso pode retirar propriedades importantes presentes na casca, como fibras.

EMPRESA RUSSA ADMITE TER OBTIDO CÓDIGO DA NSA DE COMPUTADOR AMERICANO
A Kaspersky Lab, empresa de tecnologia russa sediada em Moscou, reconheceu na quarta-feira (25) que seu software de segurança tomou o código-fonte de uma ferramenta secreta de hacking a partir de um computador pessoal nos Estados Unidos. A admissão ocorreu em uma declaração da empresa, que descreveu resultados preliminares de um inquérito interno após o "Wall Street Journal" publicar que russos usaram o software antivírus Kaspersky para roubar arquivos da NSA (a Agência de Segurança Nacional dos EUA). Embora a explicação seja considerada plausível por especialistas em segurança consultados pela agência de notícias Reuters, oficiais americanos que têm feito campanha contra o uso do software em computadores "sensíveis" do governo provavelmente aproveitarão a admissão para justificar sua proibição. Os temores sobre os laços da Kaspersky com a inteligência russa e a capacidade do seu software antivírus para roubar e remover arquivos provocaram uma série crescente de avisos e ações das autoridades americanas, que culminou com o Departamento de Segurança Interna dos EUA impedindo as agências governamentais de usar produtos da Kaspersky.
'ARQUIVO FOI EXCLUÍDO'
No comunicado, a empresa disse que encontrou o código em 2014, um ano antes do que os relatórios do "Wall Street Journal", e que os registros mostraram que o antivírus encontrou um arquivo .zip que foi marcado como malicioso. Ao analisar o conteúdo do arquivo, um analista descobriu que continha o código-fonte de uma ferramenta de hacking posteriormente atribuída pela Kaspersky ao Equation Group. O analista teria informado o presidente-executivo da empresa, Eugene Kaspersky, que ordenou que a cópia do código fosse destruída, segundo a empresa. "O arquivo foi excluído de todos os nossos sistemas", afirma a empresa, que diz também que nenhum terceiro viu o código, embora a imprensa diga que a ferramenta de espionagem acabou nas mãos do governo russo.
DESCOBERTAS DA IMPRENSA
O Wall Street Journal publicou em 5 de outubro que hackers que trabalhavam para o governo russo atacaram um funcionário da NSA usando o software da Kaspersky para identificar arquivos classificados. O New York Times publicou cinco dias depois que as autoridades israelenses relataram a operação nos Estados Unidos após terem pirateado a rede da empresa russa. A Kaspersky não disse no comunicado de hoje se o computador pertencia a um trabalhador da NSA que indevidamente levou os arquivos secretos para casa - o que os funcionários americanos dizem que aconteceu.  A empresa diz ainda que não encontrou nenhuma evidência de que o arquivo havia sido pirateado por espiões russos ou qualquer outra pessoa, exceto os israelenses, embora sugerisse que outros poderiam ter obtido as ferramentas ao invadir o computador americano através de uma brecha encontrada.
PROJETO DA NSA
A nova data do incidente, 2014, é intrigante porque a Kaspersky só anunciou a descoberta de uma campanha de espionagem pelo Equation Group em fevereiro de 2015. Naquela época, a Reuters citou ex-funcionários da NSA que disseram que o grupo era um projeto da NSA. O relatório do Equation Group da Kaspersky foi uma das descobertas mais célebres da empresa, pois indicou que o grupo poderia infectar o firmware da maioria dos computadores. Isso dava à NSA uma presença quase indetectável nos computadores infectados.